Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1980-003720150001&lang=pt vol. 17 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Força de preensão manual como preditor de aptidão física em crianças e adolescentes.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The objective of this study was to examine the association between hangrip strength and physical fitness in children and adolescents at different stages of sexual maturation. We measured body composition and handgrip strength in 233 children and adolescents (10 - 17 years-old), who varied in terms of pubertal status. The subjects also performed the vertical jump test, standing long jump and sit-ups, as well as tests of flexibility, agility and speed. The level of energy expenditure was assessed with the international physical activity questionnaire. Handgrip strength differed by pubertal status, regardless of gender, whereas other parameters of physical fitness differed by gender and in the sample as a whole. Handgrip strength was consistently and independently associated with all other physical fitness variables, regardless of gender; some of those were mediated by energy expenditure (i.e., speed in seconds and in meters per second for the sample as a whole). The strength of the association between handgrip strength and physical fitness ranged from 20% (vertical jump test: R 2=.20; P=.001) to 47% (speed in meters per second: R 2=.47; P=.001). Our results support the idea that handgrip strength is consistently associated with several distinct parameters of physical fitness, regardless of age, gender or sexual maturation, suggesting that handgrip strength could be a highly accurate, independent predictor of physical fitness<hr/>O objetivo deste estudo foi examinar a associação entre a força de preensão manual e a aptidão física de crianças e adolescentes de diferentes estágios de maturação sexual. Foram medidos a composição corporal e a força de preensão em 233 crianças e adolescentes (10 - 17 anos de idade), de diferentes estágios de maturação biológica. Também foram realizados os testes de impulsão vertical sem auxílio dos membros superiores, teste de abdominal, flexibilidade, agilidade e velocidade. O gasto de energético foi avaliado através das respostas ao questionário IPAQ. A força de preensão manual diferiu entre os diferentes estágios de maturação sexual. As outras variáveis de aptidão física diferiram entre os sexos. A força de preensão manual esteve associada com todas as outras variáveis ​​da aptidão física, independentemente do sexo e da maturação sexual. Algumas dessas associações foram mediadas pelo gasto energético. A força da associação entre a força de preensão e de aptidão física variou de 20 % (teste de salto vertical: R2=0,20, P = 0,001) a 47% (velocidade em metros por segundo: R2=0,47, P = 0,001). Nossos resultados suportam a hipótese de que a força de preensão manual está associada com vários parâmetros distintos de aptidão física, independentemente da idade, sexo ou maturação sexual, sugerindo que a força de preensão manual pode ser um preditor da aptidão física geral de crianças e adolescentes. <![CDATA[Prática de caminhada, atividade física moderada e vigorosa e fatores]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Physical inactivity is considered a major cause of morbidity and mortality worldwide. The aim of this study was to analyze the association of socio demographic factors, weight status, body adiposity and sedentary behavior with the practice of walking and moderate and vigorous physical activity in adolescents. This cross-sectional study included 631 adolescents (413 girls) aged 14-17 years. A self-administered questionnaire was used to collect data. Boys showed longer time of practice of walking and vigorous activity than girls. Adolescents of high economic level were more involved in vigorous activities. Overweight girls and adolescents showed, respectively, 98 and 138 minutes/week less of practice of walking when compared to boys and normal-weight adolescents. Adolescents with high body adiposity had 100 minutes/week more of practice of walking in relation to adolescents with normal adiposity. In relation to vigorous activity, girls showed 198 minutes/week less when compared to boys. The association of factors investigated in this study with the practice of physical activity in adolescents varies according to the type and intensity of the activity performed.<hr/>A inatividade física é considerada uma das principais causas de morbimortalidade no mundo. O objetivo do presente estudo foi analisar a associação de fatores sociodemográficos, status do peso, adiposidade corporal e comportamento sedentário com a prática de caminhada, atividade física moderada e vigorosa em adolescentes. Estudo transversal conduzido em 631 adolescentes (413 moças) de 14 a 17 anos de idade. Um questionário auto administrado foi utilizado para coletar as informações. Os rapazes apresentaram maior tempo de prática de caminhada e atividade vigorosa em comparação às moças. Os adolescentes de nível econômico médio tiveram maior participação em atividades vigorosas. As moças e os adolescentes com sobrepeso apresentaram, respectivamente, 98 e 138 minutos/semana a menos de prática de caminhada quando comparados aos rapazes e aos adolescentes de peso normal. Adolescentes com adiposidade elevada apresentaram 100 minutos/semana a mais de prática de caminhada em relação aos seus pares com adiposidade normal. Quanto às atividades vigorosas, as moças apresentaram menos 198 minutos/semana quando comparadas aos rapazes. A associação dos fatores investigados neste estudo com a prática de atividades físicas varia de acordo com o tipo e intensidade de atividade física realizada. <![CDATA[Aptidão cardiorrespiratória e nível de atividade física em adolescentes]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt More objective methods to detect inactive adolescents may help identify young people that are vulnerable to obesity and other chronic diseases. The objective of this study was to examine the association between classifications obtained with the cardiorespiratory fitness test and physical activity level in adolescents, as well as the agreement between tertiles and z-score distribution of the variables generated with these methods (distance covered and total physical activity score). A cross-sectional study was conducted using a random sample of 639 adolescents (61% girls) aged 12 to 19 years (mean age of 16 ± 1.8 and categorized into two age groups: 12-13 and 14-19 years), from public schools in Niterói, Rio de Janeiro, Brazil. Cardiorespiratory fitness was assessed by a 9-min run/walk test (T9) and physical activity level by the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ). The chi-square test (or Fisher's exact test) and Kruskal-Wallis test were applied for the evaluation of associations, and the weighted kappa coefficient and intraclass correlation coefficient were used to investigate agreement between variables. A level of significance of p&lt;0.05 was adopted. A significant association between the classifications obtained with the two methods was only observed for adolescents aged ≥ 14 years. However, there was agreement between the variables generated with the two methods in both age groups. The median distance covered in the T9 increased according to tertiles of total physical activity score. An association between the classifications obtained with the IPAQ and T9 was only found for older adolescents. However, the continuous variables and variables categorized into tertiles generated with the methods were associated and showed agreement in both age groups.<hr/> Métodos mais objetivos para identificar adolescentes inativos podem auxiliar na identificação de jovens vulneráveis à obesidade e outras doenças crônicas. O objetivo do estudo foi examinar a associação entre as classificações obtidas pelo teste de aptidão cardiorrespiratória e o nível de atividade física, bem como a concordância entre os tercis e a distribuição em z escore das variáveis geradas a partir destes métodos (metros percorridos e escore total de atividade física), em adolescentes. Estudo transversal com amostra probabilística composta por 639 adolescentes (61% meninas), entre 12 e 19 anos (idade média de 16 anos ± 1,8 e categorizados em duas faixas etárias: 12 a 14 e 15 a 19 anos), de escolas públicas de Niterói-RJ. A aptidão cardiorrespiratória foi estimada pelo teste de corrida e caminhada de 9 minutos -T9 e o nível de atividade física pelo International Physical Activity Questionnaire -IPAQ. Para avaliação de associações, foram utilizados os testes Qui quadrado (ou teste de Fisher) e Kruskal Wallis e para concordância o coeficiente Kappa ponderado (Kp) e coeficiente de correlação intraclasse (CCI). Adotou-se p&lt;0,05 para significância estatística. Observou-se associação significativa entre as classificações obtidas pelos dois métodos apenas para os adolescentes com idade igual ou maior que 14 anos, mas houve concordância entre as variáveis geradas a partir dos mesmos para as duas faixas etárias. As medianas de metros percorridos em T9 aumentaram de acordo com os tercis de escore total de atividade física. A associação entre as classificações obtidas com base nos métodos IPAQ e T9 foram observadas apenas para os adolescentes com mais idade. Todavia, as variáveis contínuas e categorizadas em tercis, geradas a partir dos métodos, associaram-se e apresentaram concordância para ambas as faixas etárias. <![CDATA[Treinamento físico pré-competitivo e marcadores de desempenho, estresse e recuperação em jovens atletas de voleibol]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100031&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The aim of this study was to analyze the effect of physical training during a pre-competition period on power and explosive strength endurance of the lower limbs, stress and recovery in young volleyball athletes. Seven male athletes (15.8 ± 0.5 years, 186.1 ± 6.6 cm, 75.9 ± 1.8 kg) of an Under-16 volleyball team were trained during a pre-competition period of 4 weeks. The internal training load (ITL) was monitored by the session RPE method. The participants performed a countermovement jump test (CMJ) and an intermittent jump test of four sets of 15 seconds (IJT) on the first day of training (baseline) and on the last day of the 2nd (post-week 2) and 4th week (post-week 4). The RESTQ-Sport Questionnaire was applied at baseline and on the last day of the 2nd, 3rd and 4th week (post-weeks 2, 3 and 4). No difference was observed in ITL (p&gt;0.05). CMJ performance increased gradually from baseline to post-week 2 and from post-week 2 to post-week 4 (p&lt;0.05). The average power in the first 15 seconds and average power of the four sets of 15 seconds of the IJT were higher in post-week 4 compared to baseline (p&lt;0.01). Scores on the Fatigue and Injury scales of the RESTQ-Sport changed during training (p&lt;0.05). We conclude that training applied during the pre-competitive period provided increments in CMJ performance and explosive strength endurance, and the changes in the RESTQ-Sport suggest that the athletes had adequate levels of stress and recovery.<hr/> O objetivo deste estudo foi analisar o efeito do treinamento físico aplicado em um período pré-competitivo na potência e na resistência de força explosiva de membros inferiores, no estresse e na recuperação de jovens atletas de voleibol. Sete atletas (15,8 ± 0,5 anos, 186,1 ± 6,6cm, 75,9 ± 1,8kg) de uma equipe de voleibol sub-16, do sexo masculino, foram treinados durante um período pré-competitivo de quatro semanas. A carga interna de treinamento (CIT) foi monitorada pelo método PSE da sessão. Testes de salto vertical com contramovimento (CMJ) e de natureza intermitente, de quatro séries de 15 segundos (TSVI), foram avaliados no 1º dia de treinamento (linha de base), no último dia da 2ª (pós-semana 2) e da 4ª semana (pós-semana 4). O Questionário RESTQ-Sport foi aplicado na linha de base, no último dia da 2ª, 3ª e 4ª semanas (Pós-semana 2, 3 e 4). A CIT não foi diferente (p&gt;0,05). O CMJ aumentou no pós-semana 2, comparado com a linha de base e no pós-semana 4, comparado com o pós-semana 2 (p&lt;0,05). A média de potência nos 15 segundos iniciais e a média de potência das quatro séries de 15 segundos do TSVI foram maiores no pós-semana 4, comparado à linha de base (p&lt;0,01). As escalas Fadiga e Lesões do RESTQ-Sport se alteraram ao longo do treinamento (p&lt;0,05). Conclui-se que o treinamento aplicado durante o período pré-competitivo proporcionou incrementos no CMJ e no TSVI, e as alterações no RESTQ-Sport sugerem que os atletas apresentaram níveis adequados de estresse e recuperação. <![CDATA[Respostas cardiorrespiratórias máximas e no limiar anaeróbio da corrida em piscina funda]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100041&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Aquatic exercises provide numerous benefits to the health of their practitioners. To secure these benefits, it is essential to have proper prescriptions to the needs of each individual and, therefore, it is important to study the cardiorespiratory responses of different activities in this environment. Thus, the aim of this study was to compare the cardiorespiratory responses at the anaerobic threshold (AT) between maximal deep-water running (DWR) and maximal treadmill running (TMR). In addition, two methods of determining the AT (the heart rate deflection point [HRDP] and ventilatory method [VM]) are compared in the two evaluated protocols. Twelve young women performed the two maximal protocols. Two-factor ANOVA for repeated measures with a post-hoc Bonferroni test was used (α &lt; 0.05). Significantly higher values of maximal heart rate (TMR: 33.7 ± 3.9; DWR: 22.5 ± 4.1 ml.kg−1.min−1) and maximal oxygen uptake (TMR: 33.7 ± 3.9; DWR: 22.5 ± 4.1 ml.kg−1.min−1) in TMR compared to the DWR were found. Furthermore, no significant differences were found between the methods for determining the AT (TMR: VM: 28.1 ± 5.3, HRDP: 26.6 ± 5.5 ml.kg−1.min−1; DWR: VM: 18.7 ± 4.8, HRDP: 17.8 ± 4.8 ml.kg−1.min−1). The results indicate that a specific maximal test for the trained modality should be conducted and the HRDP can be used as a simple and practical method of determining the AT, based on which the training intensity can be determined<hr/>Os exercícios aquáticos proporcionam inúmeros benefícios à saúde de seus praticantes. Para assegurar esses benefícios, é indispensável uma prescrição adequada às necessidades de cada indivíduo e, para isso, faz-se importante estudar as diferentes respostas cardiorrespiratórias das atividades desenvolvidas nesse meio. Deste modo, o objetivo do estudo foi comparar as respostas cardiorrespiratórias no limiar anaeróbio (LAn) entre o teste máximo de corrida em piscina funda (CPF) e da corrida em esteira terrestre (CET). Além disso, comparar dois métodos de determinação do LAn (ponto de deflexão da frequência cardíaca [PDFC] e método ventilatório [MV]) entre os protocolos máximos. Doze mulheres jovens participaram do estudo. Foi utilizada ANOVA de dois fatores para medidas repetidas com post-hoc de Bonferroni (α&lt;0,05). Foram encontrados valores significativamente maiores de frequência cardíaca máxima (CET: 190±5; CPF: 174±9 bpm) e de consumo de oxigênio máximo (CET: 33,7±3,9; CPF: 22.5±4.1 ml.kg-1.min-1) na CET em comparação à CPF. Além disso, não foram encontradas diferenças significativas entre os métodos de determinação do LAn (CET: MT: 28.1±5.3; PDFC: 26.6±5.5 ml.kg-1.min-1; CPF: MV: 18.7±4.8, PDFC: 17.8±4.8 ml.kg-1.min-1). Os resultados indicam a importância da realização de um teste máximo especifico da modalidade treinada e o PDFC parece ser uma alternativa simples e prática para a determinação do LAn <![CDATA[Características espaço-temporais de corridas com obstáculo e testes ergométricos durante a preparação no atletismo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100051&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The main goal of this study was to assess the appropriateness of both ergometric and modified hurdles tests for an annual cycle of hurdlers who were working on mastering the 400 m distance. Nine Polish hurdlers (personal best: 54.46±2.16 s, age: 20.67±1.87 years) were chosen as the research participants. In each of two mastering periods in the research, an ergometric test and a specific test were implemented during a hurdle run. In February, an interval ergometric test (5×6 s) and an interval hurdle test (IHT) were performed. Additionally, in May, a classic Wingate test and a 200 m hurdle run were introduced. With regard to the ergometric tests, we assessed the following measurements: maximum power (Pmax) and mean power (P×) reached in five repetitions as well as total work (Wtotal) performed in five attempts. The Mann-Whitney test was used to distinguish between the athletic test results obtained in the preparation period outlined above and those obtained in the first period. Lactate (LA) concentrations were assessed with the Chi-square test. Moreover, Spearman's rank correlation coefficients were used in the analysis. The achieved study results indicate the lack of significant differentiation of the ergometric test parameters (p≥ 0.05). The spatial structure of both specific tests (5×2 H v. 200 m H) was similar given that the first and the second parts of both hurdle races and the number of steps taken were similar. The basic parameters of the ergometric tests did not exhibit any relationship with the recommended record time achieved for the 400 m hurdle run.<hr/> O objetivo deste estudo foi avaliar a idoneidade de seleção dos testes ergométricos e testes modificados de corridas com barreiras ao longo do ciclo anual de treinamento dos atletas na distância de 400m. Participaram do estudo nove atletas poloneses (melhor resultado: 54,46±2,16s, idade: 20,67±1.87 anos). Em duas temporadas de treinamento foram realizados dois testes: ergométrico e especial (=na corrida com barreiras). Em fevereiro foi efetuado o teste ergonómico em intervalos (95x6s) e o teste com barreiras Rest com intervalos (IHT). Em maio foi efetuado o teste clássico de 30 s Wingate e uma corrida de 200m com barreiras (200mH). Nas corridas com barreiras foram considerados os parâmetros de tempo, potência máxima (Pmax), potência média (Px) e trabalho total (Wtotal). Para avaliar as diferenças entre os resultados dos testes numa temporada foi aplicado o teste de Mann-Whithney. As diferenças de concentração do lactato (LA) foram avaliadas com o teste Chi-square. Na análise foram considerados também os coeficientes de correlação de postos de Spearman. Os resultados dos estudos demostram a ausência de diferenças pertinentes nos parâmetros dos testes ergométricos (p ≥ 0,05). A estrutura espacial de ambos os testes especiais (5x2H vs. 200mH) foi semelhante: na primeira e segunda parte de ambas as corridas foi efetuado o número parecido dos passos. Os parâmetros essenciais dos testes ergométricos (Pmax, Px, Wtotal) não demostraram relações importantes com o resultado recorde na corrida de 400m com barreiras. A análise demostrou a possibilidade de utilização seletiva dos testes ergométricos na avaliação do grau de preparação dos atletas para a distância de 400m com barreiras. <![CDATA[Efeito de consumo de carboidrato e de exercício físico sobre a concentração de glicogênio]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100062&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Carbohydrate is an important source of energy which is stored as glycogen. Since this storage may be related to the use of sports drinks, this study evaluated the changes in liver, skeletal muscle and kidney glycogen content of rats supplemented with maltodextrin and submitted to aerobic exercise at maximum lactate steady state or high-intensity anaerobic exercise. Sixty-nine male Wistar rats, 60 days old at the beginning of the experiment, were used. The training protocol consisted of 8 weeks of continuous aerobic (60 min/day) or intermittent swimming (two periods of 30 min/day at an interval of 10 min and an exercise/rest ratio of 15 seconds), with overloads corresponding to 5% and 10% of body weight, respectively. The animals were supplemented for 37 days with a daily dose of 0.48 g/kg maltodextrin dissolved in water or received pure water. Factorial ANOVA or the Kruskal-Wallis test was used for data analysis. Aerobic training resulted in a significant increase in blood glucose (p˂0.02) and in a decline in hepatic glycogen content (p&lt;0.02), while anaerobic exercise promoted a significant increase in lactate concentration (p˂0.001) and a decrease in skeletal muscle (p=0.02) and kidney (p&lt;0.03) glycogen content. Maltodextrin supplementation significantly increased muscle (p=0.008) and kidney (p&lt;0.02) glycogen content in rats submitted to aerobic exercise. Eight weeks of aerobic and anaerobic exercise caused changes in liver, skeletal muscle and kidney glycogen content, as well as in blood glucose and blood lactate. Maltodextrin supplementation was effective in increasing skeletal muscle and kidney glycogen stores in rats submitted to aerobic exercise.<hr/>O carboidrato é um importante substrato energético, sendo armazenado na forma de glicogênio. Considerando que este armazenamento pode estar relacionado com o uso de soluções esportivas, este estudo verificou as alterações nos conteúdos de glicogênio hepático, muscular e renal de ratos suplementados com maltodextrina e treinados em exercício aeróbio no estado estável máximo de lactato ou anaeróbio de alta intensidade. Foram utilizados 69 ratos machos da linhagem Wistar, com 60 dias, no início do experimento. O protocolo de treinamento consistiu de oito semanas de natação em padrão aeróbio contínuo (60 min/dia) ou intermitente (dois períodos de 30 min, com intervalo de 10 min e relação esforço/pausa de 15 segundos), com sobrecargas correspondentes a 5% e 10% do peso corporal, respectivamente. Durante 37 dias, os animais foram suplementados com uma dose diária de 0,48 g/kg de maltodextrina dissolvida em água ou receberam água pura. Para a análise dos dados, utilizou-se a Anova fatorial ou o Teste de Kruskal-Wallis. O treinamento aeróbio ocasionou aumento na glicemia (p˂0,02) e redução de glicogênio hepático (p&lt;0,02), enquanto o exercício anaeróbio proporcionou aumento no lactato (p˂0,001) e diminuição de glicogênio muscular (p=0,02) e renal (p&lt;0,03). A maltodextrina causou elevação no conteúdo de glicogênio muscular (p=0,008) e renal (p&lt;0,02) dos ratos exercitados em exercício aeróbio. Oito semanas de exercício aeróbio e anaeróbio proporcionaram importantes alterações nos conteúdos de glicogênio hepático, muscular e renal, assim como na glicemia e no lactato sanguíneo. A suplementação com maltodextrina foi efetiva em elevar o conteúdo de glicogênio muscular e renal de ratos exercitados em exercício aeróbio. <![CDATA[Validação de equações de predição da taxa metabólica basal em sujeitos eutróficos e obesos]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100073&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Prediction equations for basal metabolic rate (BMR) continue to be the most common clinical tool for diet prescription; however, the values estimated may differ from those measured by indirect calorimetry (IC), especially in obese subjects. The objective of this study was to determine the BMR of obese and eutrophic subjects by IC, and to compare the results obtained with those estimated by prediction equations in order to identify whether differences exist between predicted values and those measured by IC. Forty men aged 18 to 30 years were evaluated; of these, 20 were grade 1 obese and 20 were eutrophic. The agreement between the prediction equations and IC was evaluated using Bland-Altman (1986) plots. The results showed a variation between the prediction equations and IC of -19.6% to -91% in obese subjects and of 4.2% to 4.4% in eutrophic subjects. In both groups, the Mifflin-St. Jeor equation (1990) was the most accurate, with a difference of -9.1% compared to IC in obese subjects and of 0.9% in eutrophic subjects. This study indicates the Mifflin-St. Jeor equation to be the most adequate to estimate BMR. However, it is important to measure the BMR of obese subjects more accurately and safely in order to establish the best intervention based on physical exercise and healthy eating<hr/>Equações de predição para taxa metabólica basal (TMB) são amplamente utilizadas para prescrição dietética, porém podem apresentar valores diferentes daqueles medidos por calorimetria indireta (CI), principalmente, em indivíduos obesos. O objetivo deste estudo foi verificar os valores de TMB por meio da CI em indivíduos obesos de grau I e eutróficos e comparar com os resultados obtidos pelas equações de predição, a fim de identificar se existe discrepância nos valores obtidos entre o medido pela CI e o estimado pelas equações. O estudo avaliou 40 homens entre 18 e 30 anos, sendo 20 eutróficos e 20 obesos grau I. Foi verificado o grau de concordância entre as equações e CI por meio da metodologia sugerida por Bland e Altman (1986). Os resultados mostram a variação entre os métodos de predição de -19,6% a -9,1%, quando comparadas a CI nos sujeitos obesos, e de -4,2% a 4,4% nos eutróficos. Em ambos os grupos, a equação que mais se aproxima da estimativa real é a de Miflin St. Jeor (1990), com -9,1% de diferença da CI nos sujeitos obesos e 0,9% nos eutróficos. Desta forma, o presente estudo indica a utilização da equação de Mifflin St. Jeor (1990) para estimar a TMB. Entretanto, é fundamental que se consiga medir a TMB de sujeitos obesos de maneira mais precisa e segura, para melhor conduzir a intervenção baseada em exercícios físicos e boa alimentação <![CDATA[Influência de diferentes padrões respiratórios na cinemática do nado crawl]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100082&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The aim of this study was to investigate the effects of different breathing patterns on the kinematics of front crawl. Eleven college swimmers (10 men and one woman) performed seven 25-m front crawl trials at maximum intensity, with 2-min intervals between trials. One trial was performed in the breath-holding condition and six trials were performed using variable breathing frequencies (every two, four and six strokes) and sides (preferred and opposite side). Twenty-five meter time (T25) and average stroke rate (SR), stroke length (SL) and swimming velocity (SV) were obtained by video analysis and compared between conditions. The results showed that breathing side had no effect on T25, SR, SL, or SV. The breathing frequency was unable to change SV, but T25 and SR were higher for the two-stroke breathing pattern. Stroke length was greater when the swimmer breathed every two strokes compared to six strokes. The breath-holding condition produced lower T25 values and higher SV and SR compared to the other breathing patterns. In conclusion, the breathing side does not seem to interfere with the kinematic variables and breath-holding resulted in shorter swim times.<hr/>O objetivo deste estudo foi verificar os efeitos da execução de diferentes padrões de respiração sobre a cinemática do nado crawl. Onze nadadores universitários (10 homens e uma mulher) realizaram sete repetições de 25 m em intensidade máxima no nado crawl, com dois minutos de intervalo. Das sete repetições, uma foi realizada com respiração bloqueada e seis repetições com variação da frequência respiratória (a cada duas, quatro e seis braçadas) e de lado (preferência e oposto). Tempo nos 25 m (T25), frequência média de ciclos de braçadas (FC), distância média percorrida por ciclo de braçada (DC) e velocidade média de nado (VN) foram obtidos com cinemetria e comparados entre as condições. Resultados: lado da respiração não apresentou efeitos sobre T25, FC, DC e VN. Frequência respiratória não foi capaz de alterar a VN, porém, o T25 e a FC foram maiores quando a cada duas braçadas. A DC foi maior na respiração a cada duas braçadas em comparação a cada seis braçadas. Respiração bloqueada possibilitou menores valores de T25 e maiores valores de VN e FC, quando comparada aos demais padrões respiratórios. Assim, o lado da respiração parece não interferir nas variáveis cinemáticas e o nado bloqueado apresenta menores tempos quando comparado aos nados com maiores frequências respiratórias. <![CDATA[Efeito de quatro semanas de treinamento de sprints repetidos sobre índices fisiológicos em atletas de futsal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100091&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The aim of this study was to investigate the effects of short repeated-sprint ability (RSA) training on the neuromuscular and physiological indices in U17 futsal players during the competitive period. Fourteen players were divided into two groups: intervention group (n = 8) and control group (n = 6). Both groups performed a repeated maximal sprint test (40-m MST), intermittent shuttle-running test (Carminatti's test) and vertical jumps before and after the training period. The intervention group was submitted to an additional four-week repeated sprints program, twice a week, while the control group maintained their normal training routine. There was no significant interaction between time and groups for all variables analysed (p &gt; 0.05). However, a significant main effect was observed for time (p &lt; 0.01) indicating an increase on speed at heart rate deflection point (VHRDP) and the continuous jump performance while the peak lactate (40m-LACpeak) and sprint decrement decreased after training, in both groups. Still, based on effect sizes (ES) the greater changes with practical relevance were verified for intervention group in important variables such as peak velocity (ES = 0,71), VHRDP (ES = 0,83) and 40m-LACpeak (ES = 1,00). This study showed that RSA-based and normal training routine are equally effective in producing changes in the analysed variables during a short period of intervention. However, the effect size suggests that four weeks of RSA training would be a minimum time that could induce the first changes of futsal player's physical fitness<hr/>O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos do treinamento de sprints repetidos (RSA) nos índices fisiológicos e neuromusculares em atletas de futsal sub17 durante a temporada competitiva. Quatorze jogadores foram divididos em dois grupos: grupo intervenção (n = 8) e controle (n = 6). Ambos os grupos desempenharam testes de sprints máximos repetidos (40-m MST), teste de corrida intermitente (teste de Carminatti) e saltos verticais antes e depois do período de treinamento. O grupo intervenção foi submetido a um programa adicional de quatro semanas de RSA, duas vezes por semana, enquanto o grupo controle manteve a rotina normal de treinos. Não houve interação significante entre tempo e grupo para todas as variáveis analisadas (p &gt; 0.05). Entretanto, um efeito principal significante foi observado para o tempo (p &lt; 0.01), indicando um aumento na velocidade do ponto de deflexão da frequência cárdica (VHRDP) e na performance do salto contínuo, bem como, diminuição no pico de lactato (40m-LACpeak) e no decréscimo dos sprints após o treinamento em ambos os grupos. Ainda, baseado no effect size (ES), maiores mudanças com relevância prática foram verificadas para o grupo intervenção em importantes variáveis tais como: pico de velocidade (ES = 0,71) VHRDP (ES = 0,83) e 40m-LACpeak (ES = 1,00). Este estudo demonstrou que o treinamento de RSA e a rotina normal de treinos são igualmente efetivos em produzir mudanças nas variáveis analisadas durante um curto período de intervenção. Porém, o effect size sugere que quatro semanas de treinamento de RSA pode ser um tempo mínimo para que ocorram as primeiras alterações no desempenho físico de atletas de futsal <![CDATA[Estabilidade da marcha de adultos em diferentes condições visuais: estudo piloto]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100104&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The visual system is fundamental for the control of gait stability. Visual deprivation or impairment can deteriorate walking stability in adults; however, in daily life, adults are exposed to different light intensities rather than visual deprivation. The objective of this study was to investigate gait stability in young adults exposed to different visual conditions. Ten adults without visual problems participated in the study. The subjects walked at two speeds (self-selected and 30% faster) under four visual conditions: normal vision and using three different masks covered with automotive film to reduce the passage of light to the eye (50% &gt; 20% &gt; 5% - lowest light passage). Stability parameters (margin of stability - MOS, center of mass separation - COMSEP, and time-to-contact - TtC) obtained by analysis of the COM displacement relative to the base of support, and spatiotemporal parameters (step length, gait velocity, and support time) were assessed. The different visual conditions did not affect gait stability or spatiotemporal parameters at the two walking speeds studied. The variations in stability between visual conditions relative to normal vision were not expressive for MOS (&lt; 4%), COMSEP (&lt; 7%), or TtC (&lt; 6%) at the two walking speeds. This lack of changes in stability may have been due to maintenance of the spatiotemporal characteristics because of the strong association between these characteristics. The adults studied can control stability without changing their gait patterns under different visual conditions, and lower light intensities do not increase the risk of falls<hr/>O sistema visual é fundamental no controle estável da marcha. A privação ou perturbação da visão pode deteriorar a estabilidade da caminhada em adultos, porém, diariamente, eles estão submetidos a diferentes luminosidades e não nas situações desafiadoras citadas. O objetivo do estudo foi investigar a estabilidade da marcha de adultos em diferentes condições visuais. Dez adultos sem problemas visuais participaram do estudo. Os sujeitos caminharam em duas velocidades (autosselecionada e 30% mais rápida) e quatro condições visuais: visão normal e usando três diferentes máscaras envolvidas por película automotiva, permitindo passagem de níveis reduzidos de luz até o olho (50% &gt; 20% &gt; 5% - menor passagem de luz). Os parâmetros de estabilidade (margem de estabilidade - MOS, separação do centro de massa - COMSEP, tempo até o contato - TtC), obtidos, analisando os deslocamentos do centro de massa relativos à base de suporte, e espaço temporais (comprimento de passo, velocidade da marcha e tempo de apoio) foram mensurados. As diferentes condições visuais não modificaram os parâmetros de estabilidade e espaço temporais da marcha em ambas as velocidades. As variações na estabilidade entre condições visuais relativas à visão normal não foram expressivas para MOS (&lt; 4%), COMSEP (&lt; 7%) e TtC (&lt; 6%) nas duas velocidades de caminhada. Esta ausência de mudanças na estabilidade pode ter ocorrido devido à manutenção das características espaço temporais, pela forte relação entre ambas. Os adultos analisados podem controlar a estabilidade sem alterar os padrões da marcha em diferentes condições visuais, com menores luminosidades não aumentando o risco de quedas <![CDATA[Efeito da intensidade do exercício prévio na resposta fisiológica e na performance aeróbia de curta duração]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372015000100112&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Athletes of different sports have frequently used warm-up exercises as preparation for the training session or competition. Increased metabolism and performance, as well as musculoskeletal injury prevention, are among the reasons that lead coaches to adopt this procedure. The effects of prior exercise have been studied to analyze the limiting factors of physiological adjustments at the beginning of exercise and its effects on subsequent exercise performance. Thus, this article analyzes studies that have investigated the effects of prior exercise on the cardiorespiratory and metabolic responses and short-term aerobic performance. In this context, factors such as prior exercise intensity and duration and recovery period between exercise sessions are discussed, and the possible mechanisms that could explain the effects of prior exercise are presented. The effects of prior exercise on the oxygen uptake (VO2) kinetics do not seem to depend on the prior exercise intensity and recovery period between exercise sessions (i.e., prior and subsequent). However, the effects on exercise tolerance appear to depend on the interaction between the intensity of both exercises and the recovery period between them.<hr/>Atletas de diferentes esportes têm usado frequentemente exercícios de aquecimento como forma de preparação para a sessão de treinamento ou a competição. Entre as razões que levam os técnicos a adotarem este procedimento estão o aumento no metabolismo e na performance, como também a prevenção de lesões musculoesqueléticas. Os efeitos do exercício prévio têm sido estudados para se analisar os fatores limitantes dos ajustes fisiológicos no início do exercício e seu efeito na performance do exercício subsequente. Assim, este artigo analisa estudos que investigaram os efeitos do exercício prévio nas respostas cardiorrespiratórias, metabólicas e na performance aeróbia de curta duração. Neste contexto, fatores como a intensidade e a duração do exercício prévio e o período de recuperação entre as sessões de exercício prévio e do exercício subsequente são discutidos. São apresentados também os possíveis mecanismos que poderiam explicar os efeitos do exercício prévio nas respostas fisiológicas e na performance. Os efeitos do exercício prévio na cinética do consumo de oxigênio (VO2) não parecem depender da intensidade do exercício prévio e do período de recuperação entre as sessões de exercício (i.e., prévio e subsequente). Porém, os efeitos na tolerância ao exercício parecem depender da interação entre a intensidade dos dois exercícios e do período de recuperação entre eles.