Scielo RSS <![CDATA[Alfa : Revista de Linguística (São José do Rio Preto)]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1981-579420160003&lang=en vol. 60 num. 3 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[PRESENTATION]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-57942016000300449&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[A LOOK UPON THE EMERGENCE OF CONTEMPORARY APPLIED LINGUISTICS THROUGH COMPLEX SYSTEMS PERSPECTIVE]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-57942016000300455&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Este artigo, fruto de uma metapesquisa associada a uma pesquisa documental, pretende revisitar a história da Linguística Aplicada (LA) à luz dos Sistemas Complexos: sistemas com diferentes tipos de elementos que conectam-se e interagem de formas diferentes e mutáveis. Abordamos essa história pelo viés da mudança, a partir da noção de que a LA constitui-se um sistema de agentes vivos e em constante processo de coadaptação. Para tal, procuramos identificar cinco características na trajetória da LA: a) adaptativa; b) não-linear; c) aberta; d) dinâmica; e) com agentes heterogêneos. Com isso, pretendemos corroborar com o olhar histórico sobre a emergência da LA contemporânea, destacando a LA como sistema em constante e incessante processo de mudança.<hr/>ABSTRACT This paper, product of meta-research associated with some documental analysis, aims to revisit the history of Applied Linguistics (AL) in the light of Complex Systems: systems with different types of elements which connect and interact in different and changing ways. This history is approached in relation to change, upon the notion that AL is a system of living agents and in ongoing processes of coadaptation to the environment, be it within or outside the associations to which they adhere. For such, five characteristics are identified in AL trajectory: a) adaptive; b) non-linear; c) open; d) dynamic(al); e) having heterogeneous agents. Therefore, we intend to corroborate the historical perspective about the emergence of autonomous AL as a system in ongoing and incessant process of change. <![CDATA[THE WRITING PRODUCTION AND THE TEACHER’S WORK IN THE SUPPORT CLASSROOM]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-57942016000300475&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Neste texto, aborda-se o processo de produção escrita do gênero textual Resposta na prática docente junto a alunos de Sala de Apoio à Aprendizagem de Língua Portuguesa (SAALP) – 6º ano do Ensino Fundamental, na região Centro-Sul do Estado do Paraná - Brasil. Fundamentando-se nos conceitos do Círculo de Bakhtin e nas contribuições da Linguística Aplicada, a respeito de leitura e produção escrita, buscou-se acompanhar e analisar a prática de um professor nesse contexto. A coleta de dados deu-se anterior e posteriormente a intervenções teórico-metodológicas de modo colaborativas com o docente, propiciando-lhe aportes teóricos e discussões orientadas a respeito dos processos de leitura e de escrita e suas implicações no ensino e na aprendizagem de língua materna. Os resultados apontam a necessidade de se fornecer ao professor de SAALP subsídios teórico-metodológicos a respeito dos processos envolvidos, bem como acompanhar e orientar a sua prática pedagógica no trabalho com a Resposta nesse contexto específico de ensino.<hr/>ABSTRACT This paper approaches the writing production process of the textual genre “Response” on the teacher’s practice in a Support Classroom for Portuguese Language Learning (SAAPL, in Portuguese) - 6th grade of a regular public school in the South-Central region of Parana State - Brazil.Based upon the concepts discussed by the Bakhtin Circle and the Applied Linguistics contributions in relation to reading and writing production, the work presented here aimed to attend and analyze a teacher’s practice in this context. The data collection took place before and after some theoretical and methodological interventions with the teacher in a collaborative way, providing theoretical support, guided discussions about the processes of reading and writing and their implications for teaching and learning of the language. The results indicate the necessity to provide the SAAPL teacher with theoretical and methodological support in regarding the processes, as well as to supervise and guide his/her practice during the work with the response in this particular context. <![CDATA[AUTHORSHIP, <em>APPARATUS</em> AND ETHICS: THE LIMITS OF <em>UNSUBJECTIVATION</em> IN WRITING]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-57942016000300507&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Este texto tem como objetivo oferecer uma releitura do conceito de autoria de Michel Foucault, definido e comentado a partir de três textos fundamentais: A Arqueologia do Saber, O que é um autor? e A Ordem do Discurso. A hipótese é de que a autoria pode ser lida como um dispositivo – o dispositivo da autoria ou autoral – e que, dessa perspectiva, pode ser problematizado a partir do conceito de resistência e da preocupação ética do chamado “último Foucault”. Para defender tal hipótese, recorre-se inicialmente à descrição do conceito do dispositivo e do conceito de autoria, na arqueogenealogia e segundo alguns comentadores. Depois, traça-se uma discussão entre o dispositivo da autoria e as possibilidades de resistência e de criação subjetiva, presentes em conceitos como epimeleia heautou, crítica ou dessubjetivação. Por fim, sugere-se que o dispositivo da autoria pode ser lido ainda foucaultianamente, desde que segundo a ordem de uma política e de uma luta agonística entre os viventes e os dispositivos.<hr/>ABSTRACT This paper aims to offer a new reading of the notion of authorship in Michel Foucault, defined and discussed from three fundamental texts: The Archaeology of Knowledge, What is an author? and The Discourse Order. The hypothesis is that authorship can be read as an apparatus and, from this perspective, it may be questioned from the concept of resistance and ethical concern the so-called “final Foucault”. To defend this hypothesis, we resort to the first apparatus concept description and the concept of authorship in archaegenealogy and according to some commentators. Then draws up an argument between the apparatus of authorship and the possibilities of resistance and subjective creation, present in concepts like epimeleia heautou, criticism or unsubjectivation. Finally, it is suggested that the authorship can be read since after the politics order of a policy and a fight between the subject and apparatus. <![CDATA[THE MEANING OF WORDS AND HOW THEY RELATE TO THE ONGOING TEXT:A STUDY OF SEMANTIC COMMENTS MADE BY TWO 7-YEAR-OLD SCHOOLCHILDREN]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-57942016000300531&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO Este estudo tem por objetivo analisar os comentários semânticos feitos por uma díade de alunas recém-alfabetizadas (6 a 8 anos), durante processos de escritura em tempo real. Filiado ao campo de estudos proposto pela Genética Textual, a partir de uma abordagem enunciativa, tratamos como unidade de análise o Texto Dialogal (TD) estabelecido na interação face-a-face, respeitando sua dimensão multimodal (gestos, expressões, movimentos corporais) e a fala espontânea e co-enunciativa dos alunos em dupla. O TD se constitui pelo reconhecimento por um dos locutores de objetos textuais (OT) e os comentários relacionados a esses objetos. A relação entre os OT reconhecidos e os comentários semânticos é definida como um tipo de Rasura Oral Comentada (ROC). Nossa análise tomou por base um corpus constituído pelo registro fílmico de 16 processos de escritura de histórias inventadas por uma mesma díade de alunas. Discutimos a ocorrência deste tipo de ROC em 3 processos de escritura. Nossos resultados indicam que os comentários semânticos dirigidos aos OT visavam ao estabelecimento da unidade textual, indicando o modo como as alunas estavam pensando sobre este problema durante o manuscrito em curso. A relação entre os OT e os comentários semânticos proferidos mapeou a gênese e o processo de criação textual. Além disso, as ROC semânticas evidenciam conhecimentos linguísticos e textuais dos alunos que não são possíveis de se identificar no manuscrito acabado.<hr/>ABSTRACT This study aims to analyze the semantic comments made by a dyad of newly literate students (6 to 8 years), during writing processes in real time. Affiliated to the field of studies proposed by the Textual Genetics, from an enunciative approach, we treat as a unit of analysis the Dialogical Text (DT) established in face-to-face interaction, respecting their multimodal dimension (gestures, expressions, body movements) and spontaneous speech and co-enunciation of the students in pairs. The DT constitutes the recognition by one of the speakers of Textual Objects (TO) and comments related to these objects. The relationship between the TO and recognized semantic comments is defined as a type of Commented Oral Erasure (COE). Our analysis was based on a data set composed by the filmic record of 16 writing process stories invented by the same dyad of students. We discussed the occurrence of this type of COE in 3 writing processes. Our results indicate that the semantic comments directed to OT aimed at the establishment of textual unit, indicating how the students were thinking about this problem for the manuscript in progress. The relationship between the TO and uttered semantic comments mapped the genesis and the textual creation process. Moreover, the semantic COE show the students’ linguistic and textual knowledge that are not possible to identify in the finished manuscript. <![CDATA[CONSTRUCTION OF REFERENTIAL NETWORK IN TEXTS AND THEIR CONNECTIONS WITH THE PRODUCTION CONTEXT]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-57942016000300557&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO A partir de uma orientação funcionalista de análise, este artigo discute aspectos da montagem da cadeia referencial do texto, em sequências narrativas de uma amostra de obras brasileiras do gênero romance, em três épocas subsequentes. O objetivo é verificar a relação que existe entre o modo de preenchimento das casas referenciais (especialmente quanto às personagens centrais da trama) e os diversos processos intervenientes no modo de criação e manutenção da rede referencial textual, nas diferentes situações. Assenta-se como noção básica que os elementos (pro)nominais fóricos (sintagma nominal ou pronome) cumprem diferentemente as duas funções essenciais na referenciação (a de identificação e a de descrição dos referentes), e que o jogo das posições na introdução e na manutenção desses elementos representa diferente escolha na configuração da peça. Confirmando os mais básicos princípios funcionalistas, a análise efetuada destrói a noção de que existe uma fórmula pronta na gramática da língua para a organização referencial do texto, e garante a noção de que as diferenças verificadas estão a serviço do plano coenunciativo do produtor do discurso, inserido no seu contexto de produção e no seu contexto de cultura (HALLIDAY, 2004).<hr/>ABSTRACT HALLIDAY, 2004 <![CDATA[PROPOSAL OF NEW CONCEPTS AND A NEW NOTATION IN FORMULATING ETYMOLOGICAL PROPOSITIONS AND DISCUSSIONS]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-57942016000300579&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO O presente artigo visa a apresentar a metodologia de trabalho e os principais postulados teóricos que norteiam a elaboração do DELPo (Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa), a cargo do NEHiLP-USP (Núcleo de Apoio à Pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo), visto tratar-se de projeto inovador tanto em seus aspectos teóricos quanto empírico-operacionais. Pretende-se aqui apresentar as inovações conceituais, notacionais e terminológicas propostas pelos autores, que embasam a elaboração do DELPo. Para tanto, baseamo-nos em referenciais teóricos sobre neologia (ALVES, 2007; BARBOSA, 1993, 1996), lexicogênese (BIZZOCCHI, 1998) e etimologia (VIARO, 2011), bem como propomos uma atualização na simbologia utilizada na formulação de proposições etimológicas, que ao mesmo tempo dirima ambiguidades e inconsistências da notação tradicional e dê conta das inovações conceituais aqui introduzidas. Pretende-se que tanto os processos etimológicos descritos quanto os símbolos a eles correspondentes se tornem padrão na pesquisa em etimologia e na lexicografia etimológica.<hr/>ABSTRACT ALVES, 2007 BARBOSA, 1993 1996 BIZZOCCHI, 1998 VIARO, 2011 <![CDATA[DIALOGISM IN SIXTEEN CHAPTERS]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-57942016000300605&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO O presente artigo visa a apresentar a metodologia de trabalho e os principais postulados teóricos que norteiam a elaboração do DELPo (Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa), a cargo do NEHiLP-USP (Núcleo de Apoio à Pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo), visto tratar-se de projeto inovador tanto em seus aspectos teóricos quanto empírico-operacionais. Pretende-se aqui apresentar as inovações conceituais, notacionais e terminológicas propostas pelos autores, que embasam a elaboração do DELPo. Para tanto, baseamo-nos em referenciais teóricos sobre neologia (ALVES, 2007; BARBOSA, 1993, 1996), lexicogênese (BIZZOCCHI, 1998) e etimologia (VIARO, 2011), bem como propomos uma atualização na simbologia utilizada na formulação de proposições etimológicas, que ao mesmo tempo dirima ambiguidades e inconsistências da notação tradicional e dê conta das inovações conceituais aqui introduzidas. Pretende-se que tanto os processos etimológicos descritos quanto os símbolos a eles correspondentes se tornem padrão na pesquisa em etimologia e na lexicografia etimológica.<hr/>ABSTRACT ALVES, 2007 BARBOSA, 1993 1996 BIZZOCCHI, 1998 VIARO, 2011 <![CDATA[LANGUAGE AND SPEECH: ORGANIZATION MODES]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-57942016000300611&lng=en&nrm=iso&tlng=en RESUMO O presente artigo visa a apresentar a metodologia de trabalho e os principais postulados teóricos que norteiam a elaboração do DELPo (Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa), a cargo do NEHiLP-USP (Núcleo de Apoio à Pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo), visto tratar-se de projeto inovador tanto em seus aspectos teóricos quanto empírico-operacionais. Pretende-se aqui apresentar as inovações conceituais, notacionais e terminológicas propostas pelos autores, que embasam a elaboração do DELPo. Para tanto, baseamo-nos em referenciais teóricos sobre neologia (ALVES, 2007; BARBOSA, 1993, 1996), lexicogênese (BIZZOCCHI, 1998) e etimologia (VIARO, 2011), bem como propomos uma atualização na simbologia utilizada na formulação de proposições etimológicas, que ao mesmo tempo dirima ambiguidades e inconsistências da notação tradicional e dê conta das inovações conceituais aqui introduzidas. Pretende-se que tanto os processos etimológicos descritos quanto os símbolos a eles correspondentes se tornem padrão na pesquisa em etimologia e na lexicografia etimológica.<hr/>ABSTRACT ALVES, 2007 BARBOSA, 1993 1996 BIZZOCCHI, 1998 VIARO, 2011