Scielo RSS <![CDATA[Trabalho, Educação e Saúde]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1981-774620040002&lang=en vol. 2 num. 2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <link>http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200001&lng=en&nrm=iso&tlng=en</link> <description/> </item> <item> <title><![CDATA[<b>Work and aesthetical knowledge</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200002&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este ensaio busca expor o conceito 'corpo trabalhador' e desenvolver uma reflexão crítica sobre o princípio educativo da estética e a origem do conhecimento artístico apreendido na teoria marxista como forma de contribuição para os estudos desenvolvidos na área de Trabalho e Educação, na qual identificamos uma lacuna quanto à questão estética como elemento de problematização da história cultural do trabalhador. A partir desta análise, o texto apresenta as principais demandas ideológicas e metamorfoses conceituais da teleologia burguesa da arte e do ensino de arte no Brasil nos documentos oficiais da legislação educacional brasileira mais recente.<hr/>This essay attempts to examine the concept 'working body' and develop a critical reflection about the educational principle of aesthetics and the origin of artistic knowledge, understood in Marxist theory as a contribution to the studies developed in the areas of Work and Education. In our view, these studies fail to consider the aesthetical issue as one of the elements in the cultural history of the worker. On the basis of this analysis, the text presents the main ideological demands and conceptual changes of the bourgeois teleology of art and of the teaching of art in Brazil in the official documents of the most recent Brazilian legislation on education. <![CDATA[<b>Educating workers for health in a flexible accumulation context</b>: <b>new challenges</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa com trabalhadores numa refinaria de petróleo, durante a implantação de novas tecnologias em sua planta industrial. A pesquisa buscou verificar o que estas modificações no processo de trabalho produzem na saúde dos trabalhadores. Os resultados mostraram que as novas tecnologias de automação alteram o conteúdo do trabalho, pois a máquina embute a ciência, não deixando mais transparecer o nexo causal entre a doença e a ferramenta de trabalho. Com base nos resultados, discutem-se aspectos que podem contribuir para a construção de uma nova pedagogia de educação para a saúde, que tome o trabalho como princípio educativo.<hr/>This article presents the partial results of a research carried out with the workers of an oil refinery during the implantation of new technologies in their industrial plant. The research attempted to identify what effects these changes in the work process had on the workers' health. The results showed that the new automation technologies altered the work content, in the sense that science becomes imbedded in the machine and the causal nexus between the illness and the work tool is no longer apparent. On the bases of the results, we discuss aspects that may contribute to the construction of a new pedagogy of education for health that uses work as its educational principle. <![CDATA[<b>Integrality</b>: <b>a tool for the critical training of health professionals</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Propõe-se neste artigo uma reflexão sobre o uso do conceito de integralidade como dispositivo de abordagem crítica na formação de profissionais de saúde. Coloca-se em destaque a escuta das necessidades de saúde, como um meio para construção de uma prática de cuidar participativa, ética, solidária e centrada no vínculo. Frente ao contexto analisado, aponta-se como desafio para a formação em saúde: a conscientização dos profissionais para atuarem criticamente face ao processo de responsabilização e comunicação dialógica entre governantes, gestores, usuários, instituições formadoras e demais setores da sociedade, visando a integralidade da atenção em saúde.<hr/>In this article we propose to reflect upon the use of the concept of "integrality" as a tool in the training of health professionals. We give special attention to the need to listen to health demands, as they must be the basis for the construction of care practices that are participatory, ethical, sympathetic and centred on relationships. The results of the analysis suggest that the main challenges for the training of health professionals are: to develop the professionals' awareness of the need to act critically when faced with the need to attribute responsibilities and to establish a dialogue between governing bodies, managers, users, training institutions and other sectors of society, in an attempt to seek the integrality of health care. <![CDATA[<b>Technological transition in health work; challenges for the management of human resources</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200005&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo é parte de um estudo empírico sobre as mudanças no trabalho em saúde, em função da incorporação de novas tecnologias. O estudo caracteriza-se por uma abordagem interdisciplinar e o referencial teórico que orienta a pesquisa tem como base os conceitos de reestruturação produtiva, competência e subjetividade. Tendo como foco a organização dos serviços e as novas demandas para os trabalhadores de nível médio do ponto de vista da sua qualificação, a pesquisa analisa a relação homem-trabalho na perspectiva das mudanças tecnológicas, das competências laborais, da autonomia, da comunicação e da linguagem. Os resultados do estudo indicam algumas tendências do processo de trabalho que apontam a tecnologização da assistência e do trabalho em equipe, e a necessidade do desenvolvimento profissional e de reestruturação do trabalho em saúde. Entre os desafios levantados, destacam-se a valorização do trabalho e do trabalhador, a incorporação do conceito de competência, o reconhecimento das relações subjetivas e o processo de comunicação.<hr/>This article is part of an empirical study about changes in health work due to the introduction of new technologies. The study uses an interdisciplinary approach and the theoretical referential orienting the research has as bases the concepts of productive restructuring, competency and subjectivity. Focusing on the organization of the services and on the demands for further qualifications for secondary level workers, the research analyses the relation human being-work from the perspective of technological changes, work competences, autonomy, communication and language. The results indicate some trends in the health work process that point to the technologizing of care, to teamwork, and to the need for professional development and for a restructuring of the work in this area. Among the challenges that need to be faced, we emphasize the valorization of both work and worker, the incorporation of the concept of competency, the recognition of subjective relationships and the communication process. <![CDATA[<b>Work organization in nursing</b>: <b>implications for work performance and life of unregistered nurses</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Este artigo reflete acerca da organização do trabalho da enfermagem no contexto do trabalho em saúde. Sustenta-se teoricamente nas formulações do materialismo histórico-dialético sobre o processo de trabalho humano, em uma abordagem crítica do conceito de profissão elaborado pela sociologia das profissões e em algumas teorias do campo da administração que vêm influenciando o trabalho da enfermagem. Teve por base os dados obtidos em 6 (seis) pesquisas de campo que resultaram em 3 (três) dissertações de mestrado e 3 (três) teses de doutorado que trataram do tema, utilizando a abordagem da pesquisa qualitativa e envolvendo a participação de representantes dos diversos grupos que compõe a equipe de enfermagem. Conceitua organização do trabalho incluindo a perspectiva da vivência nos locais de trabalho e das relações macrossociais. Ressalta que as transformações que vêm ocorrendo no mundo do trabalho têm influenciado o trabalho em saúde, mas que o modelo de organização continua influenciado pela lógica taylorista. Conclui que a realidade da organização do trabalho da enfermagem pode ser mudada pela ação coletiva dos profissionais de enfermagem, em aliança com os demais setores organizados da sociedade e atendendo as necessidades dos usuários dos serviços.<hr/>This article presents a reflection concerning the organization of work in nursing in the context of the organization of work in health care. It is theoretically sustained by the historical-dialectic materialism upon human labor process and it is also based upon a critical vision about the profession concept elaborated by the sociology of professions and upon some theories in the field of administration that have been influenced nursing work. The study is based upon data obtained in six (6) field research, three (3) of which resulted in master's theses and three (3) of which resulted in doctorate dissertations. These six researches dealt with the theme of the organization of work in health and nursing, using a qualitative approach and involving the participation of diverse members of nursing team. This study conceptualizes the organization of work from both the workplace perspective and macro-social relationships. It highlights that the transformations that have occurred in the world of work have influenced the work in health care, but the organizational model of work continues influenced by the Taylor's logic of work organization. It concludes that the reality of the organization of nursing work can be changed by nursing professionals' collective action in alliance with other organized sectors of society and in accordance with the health care users' needs. <![CDATA[<b>The experience of being unemployed</b>: <b>a critical study of the meaning of unemployment in capitalism</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo examina, primeiramente, os resultados de uma pesquisa com indivíduos que procuravam emprego por meio de encaminhamento do Sine - Sistema Nacional de Emprego - de Florianópolis (Santa Catarina), com o propósito de apreender as características mais marcantes de sua vivência como desempregados. Em seguida, ao analisar o significado do desemprego no interior da lógica societal capitalista, conclui que os desempregados se encontram numa situação de dificuldade e, no limite, na impossibilidade de vender não somente a força de trabalho, mas qualquer mercadoria, e, dessa forma, também na impossibilidade de comprar os meios de subsistência para poderem produzir suas vidas como seres humanos. Daí se pode entender que as características de suas vivências são expressão, no seu cotidiano, da produção de sua degradação como seres humanos e, ao mesmo tempo, de suas tentativas de reação a este processo.<hr/>In a first stage, the article examines the results of a survey with individuals that were looking for a job by referral from the SINE - Brazilian Employment System - in Florianópolis - Santa Catarina, in an attempt to find out the main characteristics of their experience as unemployed. Next, analysing the meaning of unemployment within the logic of capitalist society, it concludes that the unemployed have great difficulty in selling the force of his/her labour, and, in extreme cases, are totally unable, not just to sell this labour, but to sell any other merchandise, with the consequence that they have also great difficulty in buying - or are totally unable to buy - their means of subsistence so as to produce their lives as human beings. From this it is possible to presume that the characteristics of their experience are an expression, in their everyday life, of the production of their degradation as human beings as well as of their efforts to react against this process. <![CDATA[<b>Context and perspectives in the training of the community health agent</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200008&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo apresenta algumas reflexões acerca do processo de regulação da formação do agente comunitário de saúde. Faz um breve histórico da criação da ocupação à profissionalização do agente comunitário de saúde, das mudanças exigidas nas formas de organizar os processos de produção de serviços e de formação dos trabalhadores do setor saúde. Apresenta, a seguir, as ações desenvolvidas pelo Ministério da Saúde na construção de instrumentos que subsidiem as instituições formadoras na elaboração dos programas de profissionalização dos agentes comunitários de saúde. Por fim, explicita algumas questões colocadas para os atores incumbidos do desafio de propor a formação profissional para além da atualmente definida.<hr/>The article presents some reflections about the process to regulate the training of community health agents. It briefly describes the trajectory of the occupation, from its creation to its professionalization, as well as the changes required in the organization of the service production processes and of the health workers' training. Next, it deals with the actions developed by the Ministry of Health in order to build instruments to help the training institutions to prepare programmes for the professionalization of the community health agents. Finally, it clarifies some questions raised by those actors that are responsible for proposing forms of professional training that go beyond the current ones. <![CDATA[<b>Professionalization and regulation of the community health agent's activity in the context of the sanitary reform</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200009&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo tem como tema a profissionalização da atividade do agente comunitário de saúde, no contexto das reformas sociais formuladas no processo de redemocratização do Brasil nos anos 80 e 90, com ênfase na Reforma Sanitária brasileira. O argumento central é a existência de uma relação entre projetos de renovação das práticas sociais em saúde, como a reorganização da atenção básica de saúde a partir dos Programas de Agentes Comunitários de Saúde (Pacs) e Saúde da Família (PSF), e a emergência de nova categoria de trabalhador em saúde, que exige um esforço de profissionalização, entendida como educação profissional específica e regulação da atividade no mercado de trabalho em saúde. Primeiro, trabalha-se o contexto em que se definem políticas sociais de saúde como parte da constituição da cidadania social, que se baseia nos princípios da universalidade e da igualdade entre beneficiários. No segundo momento, trata-se da emergência desse novo agente, do seu papel no processo de mudança na produção da saúde e do papel do Estado na normalização de sua atuação e regulação no mercado de trabalho em saúde. Por fim, reflete-se sobre os desafios que a recente regulação da profissão traz para a formação profissional dos trabalhadores em saúde, cujo enfrentamento favorece a implementação da estratégia de Saúde da Família e auxilia na consolidação do processo de reforma social.<hr/>The article deals with the professionalization of the community health agent's activity in the context of the social reforms formulated during Brazil's return to democracy in the 80s and 90s, with emphasis on the Brazilian sanitary reform. The central argument is that there is a relationship between the projects for the renovation of social practices in health - such as the reorganization of basic health care through the Programmes of Community Health Agents (Pacs) and Family Health (PSF) - and the emergence of a new category of health worker that requires specific professional training and regulation of the activity in the health labour market. First, we look at the context in which the health social policies were defined as part of the development of a social citizenship, based on the principles of universality and equality between beneficiaries. In a second stage, we deal with the emergence of these new agents, the role they play in the changes taking place in the production of health and the State's role in producing norms to regulate the activity and its participation in the health labour market. Finally, we reflect upon the challenges that the recent regulation of the profession has brought for the professional training of health workers, challenges that contribute to the implementation of the Family Health strategy and help to consolidate the process of sectorial reform. <![CDATA[<b>The project "Caring for the Carer"</b>: <b>the experience of permanent education in health care at the Health Centre Escola de Botucatu</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200010&lng=en&nrm=iso&tlng=en A experiência aqui relatada nasce de crises e tensões presentes no cotidiano de trabalho de um serviço de atenção primária à saúde. Surge, também, do esforço em transformar esse conflito em 'cuidado' dirigido ao conjunto da equipe. Para tanto, duas vivências que se estruturam para responder a tais desafios conformaram um projeto mais amplo de educação permanente em saúde, o "Cuidando do cuidador". Essa iniciativa buscou mobilizar e fazer circular valores e sentimentos que, usualmente, são pouco considerados em processos de educação no trabalho. Ao dar visibilidade a estas dimensões intersubjetivas, foi possível tornar presentes questões essenciais para pensar o papel de cuidador de que deve estar investido o profissional de saúde. Com o uso de recursos sociodramáticos em diferentes espaços do projeto, viabilizou-se, ainda, um movimento de sensibilização que se inicia no profissional e em sua identidade como pessoa, passa pelo reconhecimento do outro (colega de trabalho e paciente) e chega a um coletivo mais amplo, o institucional. O desenvolvimento do projeto ajudou a entender que a humanização de nossos serviços exige, igualmente, reconhecer que nós, cuidadores, também somos frágeis e humanos.<hr/>The experience narrated here had its origin in the crises and tensions present in the everyday work of a basic health care unit. It was also the result of an effort to change conflict into "care" for the entire team. For this purpose, two practices that were structured to respond to these challenges gave origin to a wider project in permanent health education, called "Caring for the Carer". This initiative attempted to encourage and propagate values and feelings that are normally ignored in processes of education at work. By giving visibility to these inter-subjective dimensions, it was possible to bring to light some essential issues related to the role of carer that should be assumed by the health professional. With the help of socio-dramatic resources in different areas of the project, we also generated a sensitization movement that begins with the professional and his/her identity as a person, includes the recognition of the Other (colleague and patient) and reaches a wider collective, i.e. the institutional one. The project development helped us to understand that the humanization of our services requires the recognition that we, carers, are also human and fragile. <![CDATA[<b>Atilio Borón</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200011&lng=en&nrm=iso&tlng=en A experiência aqui relatada nasce de crises e tensões presentes no cotidiano de trabalho de um serviço de atenção primária à saúde. Surge, também, do esforço em transformar esse conflito em 'cuidado' dirigido ao conjunto da equipe. Para tanto, duas vivências que se estruturam para responder a tais desafios conformaram um projeto mais amplo de educação permanente em saúde, o "Cuidando do cuidador". Essa iniciativa buscou mobilizar e fazer circular valores e sentimentos que, usualmente, são pouco considerados em processos de educação no trabalho. Ao dar visibilidade a estas dimensões intersubjetivas, foi possível tornar presentes questões essenciais para pensar o papel de cuidador de que deve estar investido o profissional de saúde. Com o uso de recursos sociodramáticos em diferentes espaços do projeto, viabilizou-se, ainda, um movimento de sensibilização que se inicia no profissional e em sua identidade como pessoa, passa pelo reconhecimento do outro (colega de trabalho e paciente) e chega a um coletivo mais amplo, o institucional. O desenvolvimento do projeto ajudou a entender que a humanização de nossos serviços exige, igualmente, reconhecer que nós, cuidadores, também somos frágeis e humanos.<hr/>The experience narrated here had its origin in the crises and tensions present in the everyday work of a basic health care unit. It was also the result of an effort to change conflict into "care" for the entire team. For this purpose, two practices that were structured to respond to these challenges gave origin to a wider project in permanent health education, called "Caring for the Carer". This initiative attempted to encourage and propagate values and feelings that are normally ignored in processes of education at work. By giving visibility to these inter-subjective dimensions, it was possible to bring to light some essential issues related to the role of carer that should be assumed by the health professional. With the help of socio-dramatic resources in different areas of the project, we also generated a sensitization movement that begins with the professional and his/her identity as a person, includes the recognition of the Other (colleague and patient) and reaches a wider collective, i.e. the institutional one. The project development helped us to understand that the humanization of our services requires the recognition that we, carers, are also human and fragile. <![CDATA[<b>A miragem da pós-modernidade</b>: <b>democracia e políticas sociais no contexto da globalização</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200012&lng=en&nrm=iso&tlng=en A experiência aqui relatada nasce de crises e tensões presentes no cotidiano de trabalho de um serviço de atenção primária à saúde. Surge, também, do esforço em transformar esse conflito em 'cuidado' dirigido ao conjunto da equipe. Para tanto, duas vivências que se estruturam para responder a tais desafios conformaram um projeto mais amplo de educação permanente em saúde, o "Cuidando do cuidador". Essa iniciativa buscou mobilizar e fazer circular valores e sentimentos que, usualmente, são pouco considerados em processos de educação no trabalho. Ao dar visibilidade a estas dimensões intersubjetivas, foi possível tornar presentes questões essenciais para pensar o papel de cuidador de que deve estar investido o profissional de saúde. Com o uso de recursos sociodramáticos em diferentes espaços do projeto, viabilizou-se, ainda, um movimento de sensibilização que se inicia no profissional e em sua identidade como pessoa, passa pelo reconhecimento do outro (colega de trabalho e paciente) e chega a um coletivo mais amplo, o institucional. O desenvolvimento do projeto ajudou a entender que a humanização de nossos serviços exige, igualmente, reconhecer que nós, cuidadores, também somos frágeis e humanos.<hr/>The experience narrated here had its origin in the crises and tensions present in the everyday work of a basic health care unit. It was also the result of an effort to change conflict into "care" for the entire team. For this purpose, two practices that were structured to respond to these challenges gave origin to a wider project in permanent health education, called "Caring for the Carer". This initiative attempted to encourage and propagate values and feelings that are normally ignored in processes of education at work. By giving visibility to these inter-subjective dimensions, it was possible to bring to light some essential issues related to the role of carer that should be assumed by the health professional. With the help of socio-dramatic resources in different areas of the project, we also generated a sensitization movement that begins with the professional and his/her identity as a person, includes the recognition of the Other (colleague and patient) and reaches a wider collective, i.e. the institutional one. The project development helped us to understand that the humanization of our services requires the recognition that we, carers, are also human and fragile. <![CDATA[<b>Qualificação profissional</b>: <b>uma tarefa de Sísifo</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200013&lng=en&nrm=iso&tlng=en A experiência aqui relatada nasce de crises e tensões presentes no cotidiano de trabalho de um serviço de atenção primária à saúde. Surge, também, do esforço em transformar esse conflito em 'cuidado' dirigido ao conjunto da equipe. Para tanto, duas vivências que se estruturam para responder a tais desafios conformaram um projeto mais amplo de educação permanente em saúde, o "Cuidando do cuidador". Essa iniciativa buscou mobilizar e fazer circular valores e sentimentos que, usualmente, são pouco considerados em processos de educação no trabalho. Ao dar visibilidade a estas dimensões intersubjetivas, foi possível tornar presentes questões essenciais para pensar o papel de cuidador de que deve estar investido o profissional de saúde. Com o uso de recursos sociodramáticos em diferentes espaços do projeto, viabilizou-se, ainda, um movimento de sensibilização que se inicia no profissional e em sua identidade como pessoa, passa pelo reconhecimento do outro (colega de trabalho e paciente) e chega a um coletivo mais amplo, o institucional. O desenvolvimento do projeto ajudou a entender que a humanização de nossos serviços exige, igualmente, reconhecer que nós, cuidadores, também somos frágeis e humanos.<hr/>The experience narrated here had its origin in the crises and tensions present in the everyday work of a basic health care unit. It was also the result of an effort to change conflict into "care" for the entire team. For this purpose, two practices that were structured to respond to these challenges gave origin to a wider project in permanent health education, called "Caring for the Carer". This initiative attempted to encourage and propagate values and feelings that are normally ignored in processes of education at work. By giving visibility to these inter-subjective dimensions, it was possible to bring to light some essential issues related to the role of carer that should be assumed by the health professional. With the help of socio-dramatic resources in different areas of the project, we also generated a sensitization movement that begins with the professional and his/her identity as a person, includes the recognition of the Other (colleague and patient) and reaches a wider collective, i.e. the institutional one. The project development helped us to understand that the humanization of our services requires the recognition that we, carers, are also human and fragile. <![CDATA[<b>O trabalho em saúde</b>: <b>olhando e experenciando o SUS no cotidiano</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462004000200014&lng=en&nrm=iso&tlng=en A experiência aqui relatada nasce de crises e tensões presentes no cotidiano de trabalho de um serviço de atenção primária à saúde. Surge, também, do esforço em transformar esse conflito em 'cuidado' dirigido ao conjunto da equipe. Para tanto, duas vivências que se estruturam para responder a tais desafios conformaram um projeto mais amplo de educação permanente em saúde, o "Cuidando do cuidador". Essa iniciativa buscou mobilizar e fazer circular valores e sentimentos que, usualmente, são pouco considerados em processos de educação no trabalho. Ao dar visibilidade a estas dimensões intersubjetivas, foi possível tornar presentes questões essenciais para pensar o papel de cuidador de que deve estar investido o profissional de saúde. Com o uso de recursos sociodramáticos em diferentes espaços do projeto, viabilizou-se, ainda, um movimento de sensibilização que se inicia no profissional e em sua identidade como pessoa, passa pelo reconhecimento do outro (colega de trabalho e paciente) e chega a um coletivo mais amplo, o institucional. O desenvolvimento do projeto ajudou a entender que a humanização de nossos serviços exige, igualmente, reconhecer que nós, cuidadores, também somos frágeis e humanos.<hr/>The experience narrated here had its origin in the crises and tensions present in the everyday work of a basic health care unit. It was also the result of an effort to change conflict into "care" for the entire team. For this purpose, two practices that were structured to respond to these challenges gave origin to a wider project in permanent health education, called "Caring for the Carer". This initiative attempted to encourage and propagate values and feelings that are normally ignored in processes of education at work. By giving visibility to these inter-subjective dimensions, it was possible to bring to light some essential issues related to the role of carer that should be assumed by the health professional. With the help of socio-dramatic resources in different areas of the project, we also generated a sensitization movement that begins with the professional and his/her identity as a person, includes the recognition of the Other (colleague and patient) and reaches a wider collective, i.e. the institutional one. The project development helped us to understand that the humanization of our services requires the recognition that we, carers, are also human and fragile.