Scielo RSS <![CDATA[urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=2175-336920160001&lang=pt vol. 8 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Urbanismo Ecológico na Amética Latina]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Planejamento e ecologia em Buenos Aires: um passeio de planejamento urbano em seu contexto ecológico-regional]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumen La urbanización de Buenos Aires, inserta en un contexto pampeano y rioplatense, significó la construcción de un espacio metropolitano de notable densidad poblacional: en las últimas cinco décadas la superficie urbanizada llega a duplicar la huella de toda la historia urbana de 430 años. Este trabajo vincula conceptualmente “urbanismo y ecología”, específicamente, trazando líneas de pensamiento principales en el desarrollo disciplinar del urbanismo argentino (por ejemplo, el funcionalismo de Le Corbusier y el organicismo de Della Paolera) y su relación con el crecimiento urbano de Buenos Aires. Recorremos ciertos elementos teóricos de dominio biológico, que caracterizaron la impronta de la planificación urbana. Se subraya la dimensión metropolitana en torno al concepto de región sintetizando a lo largo del tiempo el crecimiento hacia la pampa y hacia el Río de la Plata. A modo de cierre, el concepto “urbanismo ecológico” se sitúa en Buenos Aires recorriendo sintéticamente las principales implicancias ecológicas de la urbanización actual.<hr/>Resumo A urbanização de Buenos Aires, inserida em um contexto pampiano e rio-platense, significou a construção de uma área metropolitana de notável densidade populacional: nas últimas cinco décadas, a área construída atinge o dobro do registrado em seus 430 anos de história urbana. Este texto está situado em Buenos Aires, percorrendo a origem do urbanismo e sua relação com a ecologia, especificamente, o desenho de linhas de pensamento no principal disciplina do planejamento urbano argentino (por exemplo, o funcionalismo de Le Corbusier e organicismo de Della Paolera) e sua relação com o crescimento da cidade de Buenos Aires. Destacamos a faceta metropolitana o crescimento de Buenos Aires em torno ao conceito de região é sintetizada, ao longo do tempo no contexto pampiano e rio-platense. Para concluir, o conceito de “urbanismo ecológico” está localizado em Buenos Aires sinteticamente através das principais implicações ecológicas da urbanização atual.<hr/>Abstract Buenos Aires urbanization, inserted in a pampeano and rioplatense context, resulted in the development of a metropolitan area with significant population density. Over the last five decades the occupation of urban land even double the entire urban history of 430 years. This article aims to analyze the emergence of urbanism in Buenos Aires and its links with ecology, studying the origins of the urban planning discipline in Argentina (eg, Le Corbusier's functionalism and Della Paolera's organicism) and its relationship with the urban growth in Buenos Aires. Throughout the article we examine in which way the inclusion of some cognitive supports linking the city with the biological language operates. We underline the Metropolitan dimension around the region concept, that synthesizes the growth toward the pampa and the Río de la Plata river. To conclude, the “ecological urbanism” as a concept is introduced in Buenos Aires with slogans to plan and manage the city. In this regard, we propose the approach of the city as an ecosystem, revising synthetically the main implications of current urbanization. <![CDATA[Rumo à uma paisagem ecosofia. Interpretando como os habitantes do sistema urbano de Villarrica-Pucón, região Araucania do Chile, percebem e se relacionam com a dinâmica da paisagem]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100028&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract As a reaction to the complex global crisis, the notion of ecological urbanism has emerged in order to understand and attend the inaccuracy between the urban system and the environment of which it is a part. This article suggests that the form we perceive the city-nature relation deeply determines the praxis of urbanism arguing that the problem of ecological urbanism is essentially epistemological and ethical. Accordingly, the article introduces the concept of “landscape ecosophy” through which not only is possible to understand the indivisible connection of perception and socio-ecological practices, but also help us to reconnect the praxis of urbanism with a relational epistemology and landscape. The article empirically seeks to interpret how the Villarrica and Pucón urban system inhabitants in the Araucanía Region of Chile perceive and relate with the mountain and lacustrine landscapes in their daily practices of inhabitation. To achieve this, an ethnographic methodology is used. The discussion central line is represented by the question, ‘So close, but so far?’, as in spite of the fact that both cities are deeply connected to the landscape, their socio-cultural constructions are defined by the notions of disconnection and a lack of awareness. On the other hand, in a sort of circular causality, the article also identifies how certain urban initiatives may not only imply a reconnection between the urban system and the landscape of which it is a part, but also contribute to trigger the emergence of deeper landscape ecosophies.<hr/>Resumo Como forma de reação à complexa crise global, a noção de urbanismo ecológico surge com o propósito de compreender e responder à descalibragem entre o sistema urbano e o meio ambiente do qual este é parte. Ao argumentar que o problema do urbanismo ecológico é essencialmente epistemológico e ético, o presente artigo sugere que a maneira como percebemos a relação entre cidade e natureza determina profundamente a práxis do urbanismo. Neste sentido, o artigo introduz o conceito de “paisagem ecosofia”, que permite tanto comprender a conexão indivisível entre prácticas de percepção e sócio-ecológicas, como também nos permite reconectar a práxis do urbanismo com uma epistemologia relacional e ética da paisagem. O artigo procura interpretar empiricamente como os habitantes do sistema urbano de Villarrica e Pucón, cidades da Região Araucania do Chile, percebem e se relacionam com as montanhas e paisagens lacustres nas suas práticas diárias. Para tanto, é utilizada uma metodologia etnográfica. A linha central do debate é representada pela questão: “Tão perto, porém tão longe”, pelo fato de que ambas as cidades, apesar de profundamente ligadas à paisagem, têm suas construções sócio culturais definidas por noções de desconexão e de falta de consciência. Por outro lado, numa espécie de causalidade, o artigo também identifica como certas iniciativas urbanas podem tanto implicar numa reconexão entre o sistema urbano e a paisagem do qual este é uma parte, como desencadear o surgimento de paisagens ecosofias mais profundas. <![CDATA[Reabitar a Montanha: estratégias e processos para comunidades sustentáveis na periferia montanhosa de Medellín]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100042&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Thousands of poor, marginal communities’ residents die due to landslide events every year. The quick urbanization of mountainous areas, combined with an increased frequency of landslide events induced by heavy rains due to climate change, is leading to increased deaths year after year, and the problem will only get worse. Landscape Architects, trained to analyze and intervene in situations with complex natural and social territorial dynamics, are in position to make positive contributions to mitigating risks in such situations. A collaborative effort between a team of landscape architects from Germany and Urbanists in Medellín Colombia is carrying out a four-phased research and implementation proposal to anticipate and mitigate risk in low-income settlements on Medellín's urban periphery. They propose five pilot projects to test risk mitigation strategies through monitoring and early warning systems, drainage improvements, urban agriculture, slope forestation, and developing sites with the supplied services.<hr/>Resumo Milhares de moradores de comunidades pobres e marginais morrem em eventos de deslizamento de terra a cada ano. A rápida urbanização das zonas montanhosas, combinada com um aumento da frequência de eventos de deslizamento de terra induzidas por fortes chuvas devido às alterações climáticas, está levando ao aumento de mortes ano após ano, e o problema só tende a piorar. Arquitetos paisagistas, treinados para analisar e intervir em situações com dinâmicas territoriais naturais e sociais complexas estão em posição de fazer contribuições positivas para a mitigação de riscos em tais situações. Um esforço de colaboração entre uma equipe de arquitetos paisagistas da Alemanha e urbanistas em Medellín, estão realizando uma proposta de pesquisa e implementação de quatro fases para antecipar e mitigar riscos em assentamentos de baixa renda na periferia urbana de Medellín. Eles propõem cinco projetos piloto para testar estratégias de mitigação de riscos através de sistemas de alerta precoce e de monitorização, melhorias de drenagem, agricultura urbana, inclinação da arborização, e sites em desenvolvimento com os serviços prestados. <![CDATA[Desafios das paisagens periféricas urbanas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100061&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract The peripheral regions of Sao Paulo reveal a profound contradiction in their landscapes – on the one hand, remnants of their original biophysical basis and, on the other, increasing pressure for the territory’s occupation. The northwest sector of the periphery, for example, presents environmentally sensitive areas which are at the same time under great pressure for occupation by those who do so by choice (the property market) and those who have none (irregular and high-risk occupation). The poor inhabitants of these regions have increasingly organized themselves to achieve basic rights through community associations, social movements, and cultural groups ever since the recent re-democratization process in Brazil. It is precisely in these urban spaces, which are precarious in many ways, that significant subjectivities have emerged in participatory processes, expressing an awareness of environmental issues with an implicit desire for more humanized landscapes. These processes often include children and their teachers as protagonists. For thirteen years, the Landscape, Art and Culture Laboratory (LABPARC) of the Faculty of Architecture and Urbanism (FAU) at USP has been working with educators and children from municipal public schools, developing projects, research, and university extension work in the region. This article aims to discuss this experience with the objective of showing the gains achieved and the challenges that may arise within the perspective of a collective construction of the city, where urban interventions can be harmonized with water sources, streams, steep slopes, forests, and fauna.<hr/>Resumo As regiões periféricas da cidade de São Paulo revelam uma profunda contradição em suas paisagens – por um lado, remanescentes de sua base biofísica original e, por outro, uma crescente pressão pela ocupação do território. O setor noroeste da periferia, por exemplo, possui áreas ambientalmente sensíveis que, ao mesmo tempo encontram-se sob forte pressão por ocupação por aqueles que o fazem por opção (mercado imobiliário) e aqueles que não possuem nenhuma (ocupação irregular e de alto risco). As populações pobres dessas regiões tem se organizado, de forma expressiva, para a obtenção de direitos fundamentais por meio de associações comunitárias, movimentos sociais e coletivos culturais, no recente processo de redemocratização do Brasil. E precisamente nesses espaços urbanos que são, muitas vezes precários, que em processos participativos, subjetividades tem aflorado, evidenciando uma sensibilização para as questões ambientais, com um desejo implícito por paisagens mais humanizadas. Esses processos contam, frequentemente com crianças e educadores como protagonistas. Por 13 anos o Laboratório Paisagem Arte e Cultura (LABPARC) da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, tem trabalhado com os professores e estudantes das escolas públicas municipais, desenvolvendo projetos, pesquisas e trabalhos de extensão universitária, na região. Este artigo busca discutir essa experiência, apontando os ganhos alcançados, mas, também os desafios surgidos na perspectiva da construção coletiva da cidade, onde as intervenções urbanas possam vir a ser harmonizadas com suas nascentes, córregos, encostas íngremes, florestas e fauna. <![CDATA[Como o urbanismo ecológico pode promover a saúde humana?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100077&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract This special issue of URBE dedicated to Ecological Urbanism focuses on the role architects, landscape designers and urban planners can play in promoting healthier cities in Latin America. In this paper, we survey some of the empirical evidence that links the built environment with particular health outcomes. For many centuries, urban settlements were associated with adverse health outcomes, especially related to untreatable epidemics. As the science of disease transmission developed throughout the nineteenth century, the infrastructure of cities was transformed to promote improved public health. Significant gains were made, but in much of the world – Latin America included – urban health still remains a major challenge, all the more so as drug resistant strains of disease have become more prevalent. We believe Ecological Urbanism offers a promising framework for addressing these challenges. Distinguished by its integrated, multi-disciplinary foundation, Ecological Urbanism directly links both population and habitat health. This creates a natural opportunity for the design professions to play a more consequential role in shaping the health of urban settlements and, by extension, the regions they center.<hr/>Resumo Esta edição especial sobre urbanismo ecológico da revista Urbe destaca o esforço de arquitetos, urbanistas e designers em contribuir para cidades mais sustentáveis na América Latina. O objetivo deste estudo é oferecer aos arquitetos e urbanistas evidências científicas sobre como o meio ambiente urbano impacta a saúde. Historicamente, o viver nas cidades primeiro se associou com piores condições de saúde, representando um risco maior para cólera e doenças infecciosas. Depois das medidas sanitárias, viver nas cidades passou a ser uma vantagem para a saúde, quando comparado com a vida rural. Atualmente, a América Latina ainda convive com doenças infecciosas características do passado, ao mesmo tempo em que enfrenta um aumento crescente na incidência de doenças crônicas, classe de doenças que prevalecem na cidade e são modificadas pelo ambiente urbano. Com foco multidisciplinar e abordagem fluída entre diferentes escalas de análise, o Urbanismo Ecológico surge como uma solução promissora para proteger simultaneamente a saúde das pessoas e do planeta. Nós esperamos que, depois desta discussão, arquitetos e urbanistas usem a abordagem do Urbanismo Ecológico para abraçar a ideia de proteger a saúde através do exercício de suas profissões. <![CDATA[Espaços livres: janelas para um urbanismo ecológico na Amazônia oriental]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100096&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract The Brazilian Amazon has provoked preservationist discussions for decades, and although there has been a breakthrough in the recognition of the role of traditional populations for the biome maintenance, most strategies adopted in the country privileged the region’s scale, without concern about local scale, particularly features of cities and of their inhabitants. The hypothesis that is pursued in this article is that the space of Western Amazonian frontier should offer innovative potential for urbanization solutions, especially in the treatment of open spaces. It also goes to prove that by not fully having structured its territory it could learn from human history, science framework, and from traditional knowledge. Assuming that urbanization process across this region takes place in a single space-time, this paper first approaches the dichotomy between city and nature built over time to deconstruct it, considering contemporary city’s emerging spatiality and possible evolution scenarios. Marabá was adopted as case study, a city located between states and biomes, in the economic frontier circumstances of Western Amazonian. The research shows that from the existing open spaces raise an encouragement to reconcile urbanism and ecology.<hr/>Resumo A Amazônia brasileira tem despertado há décadas discussões preservacionistas, e embora tenha havido um avanço no reconhecimento do papel das populações tradicionais para o bioma, as estratégias adotadas no país se detém na escala macro da região, sem incorporar as particularidades das cidades e seus habitantes. A hipótese que se persegue neste artigo é que o espaço de fronteira da Amazônia oriental ofereceria potencial de inovação para as soluções de urbanização, especialmente no tratamento dos espaços livres, e que por não ter seu território plenamente estruturado poderia aprender da história, do arcabouço da ciência e das soluções que emergem espontaneamente. Partindo da premissa de que o processo de urbanização dessas cidades se realiza em um espaço-tempo único procura-se, primeiramente, desconstruir a visão dicotômica de cidade e natureza construída ao longo do tempo e refletir a respeito das novas espacialidades da cidade contemporânea com intuito de refletir a respeito de caminhos possíveis. Adota-se como estudo de caso a cidade de Marabá, situada em fronteira de estados, de biomas e em situação de fronteira econômica em contexto amazônico. A pesquisa aponta que dos espaços livres existentes emerge um alento para reconciliar urbanismo e ecologia. <![CDATA[Decadência e renascimento do Córrego Cheong-Gye em Seul, Coreia do Sul: as circunstâncias socioeconômicas de seu abandono e a motivação política por detrás do projeto de restauração]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100113&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo Descreveremos e contextualizaremos o processo de decadência e renovação do entorno do Córrego Cheong-Gye, em Seul, Coreia do Sul. Explicaremos que, no passado, o córrego foi degradado por severa poluição e, mais tarde, tamponado por uma estrutura de concreto. Mais adiante, ergueu-se sobre essa cobertura uma via elevada. A paisagem resultante, uma estrada suspensa ladeada por vielas apinhadas de lojas populares, era a face do centro da capital sul-coreana até a virada do milênio. Por fatores de ordem política e econômica que discutiremos, decidiu-se descobrir o córrego e restaurar completamente o seu sistema hídrico. Com o projeto, buscou-se restabelecer o fluxo de pedestres para a região central, resgatando o contato dos habitantes com o veio d’água, mas também abrir novas possibilidades econômicas para a área, com a reconstrução e reocupação de todo o seu entorno. As principais intervenções urbanísticas contidas nesse projeto serão aqui nomeadas, bem como as motivações políticas subjacentes.<hr/>Abstract This article will describe and contextualize the decay and renovation process of the Cheong-Gye Stream vicinities, in Seoul, South Korea. We will explain that, in the past, this stream was degraded by severe pollution, and subsequently overlaid by a concrete structure. Afterwards, an elevated road was built above that coverture. The resulting landscape, a suspended expressway, surrounded by alleyways overfull of popular shops, was the face of downtown Seoul until the new Millennium. For political and economic factors that we shall discuss, it has been decided to uncover the stream and completely restore its hydric system. The project sought to reestablish the flux of pedestrians to the central region, as well as to open new economic possibilities to the area, with the reconstruction and reoccupation of its surroundings. The main urbanistic interventions contained in this project will be named here, just as its results, just as the underlying political motivations. <![CDATA[Análise dos Determinantes dos custos de resíduos sólidos urbanos nas capitais estaduais brasileiras]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100130&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo Este artigo tem como principal objetivo fazer uma análise e discussão dos fatores que influenciam de forma direta nos custos per capita dos resíduos sólidos urbanos nas capitais brasileiras. Foram levantados dados sobre os custos com resíduos sólidos e especificado um modelo econométrico multivariado para compreender seus determinantes. Conclui-se que os custos com resíduos sólidos dependem da forma de manejo escolhida (existência da coleta seletiva), mas são fortemente influenciados pela forma de gestão assumida pelo município. Diferente, do que a literatura microeconômica neoclássica prega, no caso dos resíduos sólidos, nas capitais brasileiras, a existência do setor privado na operação dos serviços tende a trazer pressões de aumento dos custos dos serviços oferecidos maiores que quando operados pelo poder público ou de forma mista.<hr/>Abstract This article aims to analyze and discuss factors that directly influence the per capita cost of urban solid waste in the Brazilian capitals. Information was collected on the costs of solid waste and specified a multivariate econometric model to understand its determinants. It was concluded that the waste costs depend on the management method elected (existence of selective collection), but are strongly influenced by the municipality management. Contrary to what the neoclassical microeconomic literature says, in the case of solid waste, in Brazilians capitals, the existence of the private sector in the service operation tends to bring increased pressure from higher services costs offered when operated by the government or mixed form. <![CDATA[Mobilidade urbana para pessoas com deficiência no Brasil: um estudo em blogs]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100142&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo A mobilidade urbana considera as condições de deslocamento das pessoas e bens pela cidade. O objetivo deste estudo é analisar como os blogs com a temática deficiência retratam a mobilidade urbana para pessoas com deficiência no Brasil. Para tanto, foi realizada uma pesquisa qualitativa e exploratória, na qual foram analisadas postagens de 15 blogs de pessoas com deficiência com o emprego da Grounded Theory. Reconhecer a mobilidade urbana como condição estratégica para a inclusão de pessoas com deficiência foi identificada como categoria central deste estudo, à qual se subordinam dezesseis subcategorias, organizadas em cinco eixos: necessidade de mudanças, sentimentos, efetivação da mudança, investimentos financeiros e consequências. Estes resultados mostram que a mobilidade urbana é considerada pelas pessoas com deficiência como estratégica para sua inclusão social e que os blogs evidenciam suas necessidades, reivindicações, reflexões, discussões e apontam soluções para os problemas que enfrentam em seu cotidiano.<hr/>Abstract Urban mobility considers people and goods displacement conditions around the city. This study aims to analyze how blogs on disability portray the urban mobility for people with disabilities in Brazil. Therefore, a qualitative and exploratory research was conducted, in which posts of 15 blogs owned by people with disabilities were analyzed using the Grounded Theory. Recognizing urban mobility as a strategic condition for the inclusion of people with disabilities has been identified as the central category of this study, to which are subordinated sixteen subcategories, organized into five axis: the need for changes, feelings, effecting change, financial investments and consequences. These results show that urban mobility is considered by people with disabilities as strategic for their social inclusion and that blogs show their needs, claims, reflections, discussions and suggest solutions to the problems they face in their daily lives. <![CDATA[Beira, uma paisagem modernista na África Tropical]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100155&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Resumo A Cidade da Beira, é um estudo de caso complexo e ímpar no que se refere à implementação das ideias modernistas em países tropicais. A cidade tornou-se próspera em virtude dos elevados rendimentos providenciados pela sua interface ferro-portuário que a ligava à Rodésia/Zimbabwe e constituía a base da sua riqueza, atraindo jovens ambiciosos e talentosos arquitectos e engenheiros civis portugueses que construíram uma urbe paradoxal, repleta de edifícios modernistas emblemáticos, plenos de complexas e pouco ortodoxas soluções técnicas que preenchem um plano urbanístico único na África colonial portuguesa. Este artigo discute o processo de expansão da cidade assente numa matriz modernista, profundamente influenciado pelo imaginário arquitectónico e urbano brasileiro procurando sublinhar a inscrição da influência modernista na lógica de expansão da cidade como opção técnica e política. Paralelamente discute a importância da circulação das ideias e modelos urbanos e arquitectónicos no meio dos arquitectos e engenheiros civis portugueses radicados em Moçambique. Metodologicamente os autores procederam a um trabalho de campo assente no reconhecimento da matriz da cidade e na identificação do legado arquitectónico modernista de influência brasileira, seleccionando de entre o edificado os exemplos mais emblemáticos.<hr/>Abstract Beira is a complex and unique case study regarding the implementation of modernist ideas in tropical countries. The city became prosperous due to the high yields provided by its rail and port interface connecting to Rhodesia/Zimbabwe; it attracted wealth, ambitious, talented young Portuguese architects and civil engineers that built a paradoxical metropolis, filled with iconic modernist buildings, complex and unorthodox technical solutions that filled an unique urban plan in the Portuguese colonial Africa. This article discusses the city expansion process based on a modernist matrix, deeply influenced by Brazilian architectural and urban imaginary, emphasizing the application of modernist influence in the city's expansion logic as well as technical and political options. It also discusses the importance of the exchange of ideas; and urban and architectural models among Portuguese architects and civil engineers based in Mozambique. The authors methodologically conducted an established recognition fieldwork of the city's matrix and identified the modernist architectural legacy of Brazilian influence by selecting the most emblematic examples among the buildings.