Scielo RSS <![CDATA[Bakhtiniana: Revista de Estudos do Discurso]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=2176-457320190002&lang=pt vol. 14 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[O pesquisador do discurso aqui e agora]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[A escrita feminina entre a fronteira e o não lugar: discursos femininos em ascensão na Literatura Italiana de Migração]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Durante o processo da Perestroika soviética, Iuri Lotman escreveu reflexões sobre o conceito de fronteira. Como testemunhou migrações em massa, expulsões forçadas e reconfigurações etnogeográficas sem precedentes, sabia o quanto uma fronteira pode ser carregada de significado cultural que transcende sua dimensão espacial. Ter esse tipo de consciência era ainda mais urgente tendo em vista ser esse um período histórico de transição, reconstrução e abertura, quando as políticas linguístico-culturais poderiam ser um meio de promover integração e aceitação do "estrangeiro". Esta contribuição parte desse quadro histórico-conceitual e busca analisar um fenômeno cultural de grande interesse na literatura italiana contemporânea: a presença "intrusa" crescente de escritoras das antigas colônias que escolheram escrever suas obras em uma língua estrangeira, o italiano, usando a escrita como um campo de experimentação, hibridismo cultural e criação de um espaço discursivo público que traz o olhar da mulher migrante.<hr/>ABSTRACT In the midst of the Soviet Perestroika process, Yuri Lotman wrote his reflections on the concept of boundary. Having witnessed massive migrations, forced expulsions and unprecedented ethno-geographical reconfigurations, he knew how much a border can be loaded with a cultural meaning that transcends its spatial dimensions. To be aware of this was all the more urgent at a historic time of transition, rebuilding and opening, when linguistic-cultural policies could be a means of promoting integration and accepting the "foreigner." This contribution takes this historical and conceptual framework as its starting point and aims to analyze a cultural phenomenon of great current interest in contemporary Italian literature: the increasingly "intrusive" presence of women writers from the former colonies who choose to produce their works in a "foreign" language (Italian), using writing as a field of experimentation, cultural hybridization, and generation of a public discursive space, bearer of the female migrant gaze. <![CDATA[Drummond e Stella: experiências poéticas]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O objetivo deste estudo é examinar, no poema Da bomba que compõe Reamanhecer, segunda parte do livro Amanhecência (1974), de Stella Leonardos, as relações entre leitura/escritura no exercício metapoético de apropriação do poema A bomba, de Carlos Drummond de Andrade. Tal reescritura metapoética opera por meio do pensamento analógico, em que se esboça a figura do poeta crítico em sua relação com a tradição. Neste movimento duplo, fundamentado no deslocamento do sujeito lírico para fora de si, advém a nossa hipótese de pesquisa: a de um singular livro-antologia no qual a poeta se apropria dos poemas com os quais dialoga por meio de dois procedimentos: o de expansão, gerador do canto paralelo, e o de redução, em que a glosa das epígrafes é recurso chave.<hr/>ABSTRACT The aim of this study is to analyse, in the poem Da bomba [From the Bomb], in Reamanhecer [New Dawn], the second section of Stella Leonardos' poetry book Amanhecência [Dawning] (1974), the relationship between the processes of reading and writing in the metapoetic exercise of appropriation of Carlos Drummond de Andrade's poem A bomba [The Bomb]. This metapoetic rewriting operates through analogical thinking, in which the figure of the critical poet in her relationship with tradition is outlined. With this double movement, based on the displacement of the lyrical subject out of itself, our research hypothesis is that this is a unique book-anthology in which the poet appropriates poems with which she dialogues by means of two procedures: expansion, the generator of a parallel song, and reduction, in which the gloss of the epigraphs is a key resource. <![CDATA[Discurso de memes: (Des)memetizando ideologia antifeminista]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200044&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O objetivo deste trabalho é discutir a necessidade de se pensar os memes a partir da perspectiva de um letramento visual crítico. Mais especificamente, buscamos analisar como os memes são utilizados em práticas sociais instauradoras ou mantenedoras de relações de dominação de gênero e explicar como a ideia de um letramento visual crítico pode ser útil para se contrapor a esse tipo de fazer discursivo. Desenvolvemos essa discussão à luz dos conceitos de multiletramentos, de letramento visual crítico, da Teoria Social Crítica e das metafunções da linguagem visual.<hr/>ABSTRACT This work aims to discuss the need to think memes from the perspective of a critical visual literacy. More specifically, we seek to analyze how memes are used in social practices that somehow establish or maintain relations of gender domination and to explain how the idea of a critical visual literacy might be useful to oppose this kind of discourse production. This discussion is developed in the light of the concepts of multiliteracies, critical visual literacy, Critical Social Theory and the metafunctions of visual language. <![CDATA[Agrotóxico <em>versus</em> pesticida: notas de leitura sobre polêmica e <em>amemória</em> discursiva]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200062&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO Neste artigo, tomamos como objeto de estudo, por um lado, excertos do texto do Projeto de Lei 6299 de 2002 - PL6299-2002, designado como Lei dos Agrotóxicos, de autoria do Ministro da Agricultura do governo Michel Temer, Blairo Maggi, cujo objetivo é flexibilizar os critérios de aprovação e análise de riscos, e propor mudanças nos nomes que são dados atualmente aos agrotóxicos e, por outro, a polêmica gerada em torno da recente aprovação desse projeto na Comissão Especial da Câmara dos Deputados. Para discutir esse último objetivo, tomamos alguns fragmentos de textos que circularam em diversos mídiuns1 brasileiros questionando a aprovação do supracitado projeto, designando-o como Pacote do Veneno ou PL do Veneno. Ancoramos teoricamente nosso trabalho nas recentes contribuições de Ruth Amossy (2017) acerca do caráter argumentativo da polêmica e também nas proposições de Marie-Anne Paveau (2015) sobre as relações entre linguagem e moral, especialmente no tocante ao conceito de amemória discursiva.<hr/>ABSTRACT In this article, we take as an object of study, on the one hand, excerpts from Bill 6299 of 2002 - PL 6299-2002 - known as the Agritoxin Law, authored by Blairo Maggi, the Minister of Agriculture during President Michel Temer's administration, and, on the other, the polemic ensuing from the recent passage of this bill, whose goal is to loosen the criteria for approval and risk analysis and to propose changes in the denominations that are currently used to refer to agritoxins, by the Special Committee in the Lower House. In order to discuss the latter objective, we have taken segments of the texts that circulated in multiple Brazilian media questioning the approval of the above-cited project, referring to it as the Poison Bill. We have anchored our work in the contributions of Ruth Amossy's theory on the argumentative character of polemic and also in Marie-Anne Paveau's approaches to the relations between language and moral, especially with regard to the concept of discursive amemory. <![CDATA[O argumento analógico de Darwin: a função da retórica entre o artificial e o natural]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200088&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO A teoria da evolução consolidou-se como paradigma da Biologia com a publicação, em 1859, da obra A origem das espécies, de Darwin. Nela foi exposta parte das experiências laboratoriais, bem como dados extraídos da investigação e reflexão de Darwin sobre a natureza, com a finalidade de fundamentar, por meio de uma analogia, a lei seletiva da natureza. A lógica e a retórica se fizeram presentes no texto darwiniano. Do ponto de vista filosófico, as pesquisas efetuadas sobre Darwin, pela tradição analítica da filosofia, desenvolvem trabalhos cujo objeto é o caráter lógico do argumento darwiniano. Neste artigo apresento uma perspectiva de análise advinda da tradição retórica, particularmente da teoria da argumentação de Chaïm Perelman.<hr/>ABSTRACT The evolutionary theory became a strong paradigm in Biology after Darwin's book On the Origin of Species by Natural Selection was published in 1859. This work presents part of the laboratory trials as well as dada taken from Darwin's investigation and consideration on nature in order to support nature's selective regulation through an analogy. The rhetoric and the rationality were present in the Darwinian speech. From a philosophical point of view, researches on Darwin carried out by the analytical tradition in Philosophy put forth studies aiming the logical aspect of the Darwinian argument. I present here an analytical perspective from the rhetorical tradition, mainly the theory of argumentation from the Chaim Perelman School. <![CDATA[Compreensão e linguagem em Heidegger: ex-sistência, abertura ontológica e hermenêutica]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200112&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O artigo investiga de que modo a hermenêutica heiddeggeriana, especialmente nas obras A caminho da linguagem, Os conceitos fundamentais da metafísica: mundo, finitude, solidão e Ser e tempo, propõe que se tome o ato da compreensão de algo, por meio de uma ontologia fundamental, em sua facticidade e historicidade, de maneira oposta à abordagem científica. Conclui-se que a compreensão supõe: uma abertura fundamental; uma retomada da noção de verdade grega; a circularidade que está envolvida em todo ato compreensivo; a compreensão de si que está presente em toda compreensão filosoficamente originária sobre algo e a noção de linguagem como a casa do ser. Trata-se de uma abordagem da linguagem para além de mero instrumento comunicativo, dado que a razão instrumental tem conduzido o homem para um modo inautêntico de ser. A linguagem, tomada de modo essencial e originário, é constituinte do próprio Dasein, histórico e finito, contraposta a uma teoria proposicional lógico-científica da linguagem.<hr/>ABSTRACT The article investigates in which way Heiddegger’s hermeneutics, mainly in his works On the Way to Language, The Fundamental Concepts of Metaphysics: World, Finitude, Solitude, and Being and Time, proposes that the act of understanding be understood by means of a fundamental ontology, in its facticity and historicality, as opposed to the scientific approach. It is concluded that understanding supposes a fundamental opening; the resurgence of the Greek’s notion of truth; the circularity that is part of every act of understanding; the understanding of itself that is present in all philosophically primordial understanding and the notion of language as the home of being. It approaches language as beyond a mere communication tool, since the instrumental reason has led human beings to an unauthentic way or mode of being. Language, taken in an essential and primordial way, is constitutive of the historical and finite Dasein, as opposed to a logical-scientific propositional theory of language. <![CDATA[Entre o sensível e o inteligível: uma leitura semiótica do episódio Hino nacional, do Seriado <em>Black Mirror</em>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200128&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O presente trabalho propõe uma articulação entre os modelos teóricos de regimes de interação e sentido e de regimes de visibilidade e, de forma complementar, aciona os conceitos de união e contágio - todos eles advindos da sociossemiótica de Eric Landowski - com o intuito de compreender as relações entre o sensível e o inteligível no engendramento da significação do episódio Hino nacional, do seriado britânico Black Mirror. Tal proposta revela-se profícua por demonstrar as passagens e sobreposições de um regime baseado no inteligível (manipulação) para um regime baseado no sensível (ajustamento). A partir da sintaxe do ver, instaura-se um novo regime de interação, pelas várias possibilidades entre o querer-ver/querer-ser-visto. O artigo levanta, ainda, a problemática do ponto de vista acerca do acidente e da programação. É possível observar que a presença do espectador num dado ponto da cadeia sintagmática, ou seja, o poder-ver ou o poder-não-ver, no caso desses dois regimes, pode fazer emergir um ou outro regime de interação e sentido, marcados, respectivamente, pelo sensível e pelo inteligível.<hr/>ABSTRACT This paper proposes an articulation between the theoretical models of regimes of interaction and meaning and regimes of visibility. Complementarily, it also mobilizes the concepts of union and contagion - part of Eric Landowski's sociosemiotics, aiming at understanding the relationships between the sensible and the intelligible in the engenderment of meaning in the episode The National Anthem of the British series Black Mirror. This proposition proves thereby to be fruitful, since it allows demonstrating the overlaps and passages from a regime based on the intelligible (manipulation) to a regime based on the sensible (adjustment). Based on the syntax of seeing, it introduces a new regime of interaction through the various possibilities between wanting-to-see and wanting-to-be-seen. Finally, the paper also poses the problem of the point of view regarding accident and programming. It is possible to observe that the presence of the spectator, at a given point in the syntagmatic chain, that is, being-able-to-see or being-able-not-to-see as regards these two regimes, can make emerge either one of the regimes of interaction and meaning, which are characterized, respectively, by the sensible and the intelligible. <![CDATA[BAKHTIN, Mikhail. <em>Teoria do romance II</em>: As formas do tempo e do cronotopo. Tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra; organização da edição russa de Serguei Botcharov e Vadim Kójinov. São Paulo: Editora 34, 2018. 272p.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200150&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O presente trabalho propõe uma articulação entre os modelos teóricos de regimes de interação e sentido e de regimes de visibilidade e, de forma complementar, aciona os conceitos de união e contágio - todos eles advindos da sociossemiótica de Eric Landowski - com o intuito de compreender as relações entre o sensível e o inteligível no engendramento da significação do episódio Hino nacional, do seriado britânico Black Mirror. Tal proposta revela-se profícua por demonstrar as passagens e sobreposições de um regime baseado no inteligível (manipulação) para um regime baseado no sensível (ajustamento). A partir da sintaxe do ver, instaura-se um novo regime de interação, pelas várias possibilidades entre o querer-ver/querer-ser-visto. O artigo levanta, ainda, a problemática do ponto de vista acerca do acidente e da programação. É possível observar que a presença do espectador num dado ponto da cadeia sintagmática, ou seja, o poder-ver ou o poder-não-ver, no caso desses dois regimes, pode fazer emergir um ou outro regime de interação e sentido, marcados, respectivamente, pelo sensível e pelo inteligível.<hr/>ABSTRACT This paper proposes an articulation between the theoretical models of regimes of interaction and meaning and regimes of visibility. Complementarily, it also mobilizes the concepts of union and contagion - part of Eric Landowski's sociosemiotics, aiming at understanding the relationships between the sensible and the intelligible in the engenderment of meaning in the episode The National Anthem of the British series Black Mirror. This proposition proves thereby to be fruitful, since it allows demonstrating the overlaps and passages from a regime based on the intelligible (manipulation) to a regime based on the sensible (adjustment). Based on the syntax of seeing, it introduces a new regime of interaction through the various possibilities between wanting-to-see and wanting-to-be-seen. Finally, the paper also poses the problem of the point of view regarding accident and programming. It is possible to observe that the presence of the spectator, at a given point in the syntagmatic chain, that is, being-able-to-see or being-able-not-to-see as regards these two regimes, can make emerge either one of the regimes of interaction and meaning, which are characterized, respectively, by the sensible and the intelligible. <![CDATA[KOGAWA, João. <em>Vozes em fragmentos na poesia de Chico:</em> uma arquitetura polifônica? Rio de Janeiro: Editora Multifoco, 2018, 170p.]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-45732019000200159&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt RESUMO O presente trabalho propõe uma articulação entre os modelos teóricos de regimes de interação e sentido e de regimes de visibilidade e, de forma complementar, aciona os conceitos de união e contágio - todos eles advindos da sociossemiótica de Eric Landowski - com o intuito de compreender as relações entre o sensível e o inteligível no engendramento da significação do episódio Hino nacional, do seriado britânico Black Mirror. Tal proposta revela-se profícua por demonstrar as passagens e sobreposições de um regime baseado no inteligível (manipulação) para um regime baseado no sensível (ajustamento). A partir da sintaxe do ver, instaura-se um novo regime de interação, pelas várias possibilidades entre o querer-ver/querer-ser-visto. O artigo levanta, ainda, a problemática do ponto de vista acerca do acidente e da programação. É possível observar que a presença do espectador num dado ponto da cadeia sintagmática, ou seja, o poder-ver ou o poder-não-ver, no caso desses dois regimes, pode fazer emergir um ou outro regime de interação e sentido, marcados, respectivamente, pelo sensível e pelo inteligível.<hr/>ABSTRACT This paper proposes an articulation between the theoretical models of regimes of interaction and meaning and regimes of visibility. Complementarily, it also mobilizes the concepts of union and contagion - part of Eric Landowski's sociosemiotics, aiming at understanding the relationships between the sensible and the intelligible in the engenderment of meaning in the episode The National Anthem of the British series Black Mirror. This proposition proves thereby to be fruitful, since it allows demonstrating the overlaps and passages from a regime based on the intelligible (manipulation) to a regime based on the sensible (adjustment). Based on the syntax of seeing, it introduces a new regime of interaction through the various possibilities between wanting-to-see and wanting-to-be-seen. Finally, the paper also poses the problem of the point of view regarding accident and programming. It is possible to observe that the presence of the spectator, at a given point in the syntagmatic chain, that is, being-able-to-see or being-able-not-to-see as regards these two regimes, can make emerge either one of the regimes of interaction and meaning, which are characterized, respectively, by the sensible and the intelligible.