Scielo RSS <![CDATA[Dental Press Journal of Orthodontics]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=2176-945120190003&lang=es vol. 24 num. 3 lang. es <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Trends or evidence: What do orthodontists want to rely on?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300007&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[An interview with Lincoln Issamu Nojima]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300022&lng=es&nrm=iso&tlng=es <![CDATA[Prevalence and factors related to malocclusion, normative and perceived orthodontic treatment need among children and adolescents in Bangladesh]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300044&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Objective: The purpose of the present study was to assess the prevalence of normative and perceived orthodontic treatment need in schoolchildren and adolescents, related risk factors, and children/parent’s aesthetic perception, compared to orthodontist’s opinion, in Dhaka city, Bangladesh. Methods: A random sample of 800 schoolchildren aging 11-15 years was selected from different schools in the city of Dhaka, Bangladesh. The Dental Health Component (DHC) and Aesthetic Component (AC) of the Index of Orthodontic Treatment Need (IOTN) were assessed as normative treatment need. The Decayed, Missing, Filled Teeth (DMFT) index was used to record caries experience. Children were interviewed on the perception of orthodontic treatment need. Parents also completed a questionnaire on the perception of their child’s orthodontic treatment need, assessed by AC/ IOTN. Results: According to the DHC/IOTN, only 24.7% were in the category of definite need (grade 4-5) for orthodontic treatment. A significant difference was found between the clinician/children and clinician/parents perceived AC score of IOTN (p= 0.0001). Multiple logistic regression showed children with a higher DMFT were significantly more likely to need orthodontic treatment, according to the DHC of IOTN. Conclusion: A low proportion of schoolchildren needs normative orthodontic treatment in the city of Dhaka, Bangladesh. Children with a higher DMFT score were significantly more likely to need orthodontic treatment, according to the DHC of IOTN.<hr/>RESUMO Objetivo: o objetivo do presente estudo foi avaliar a prevalência de necessidade real e percebida de tratamento ortodôntico em crianças e adolescentes em idade escolar, bem como de fatores de risco relacionados, e comparar a percepção estética das crianças e responsáveis com a percepção de ortodontistas na cidade de Dhaka, Bangladesh. Métodos: uma amostra aleatória composta por 800 crianças, com idades entre 11 e 15 anos, foi selecionada em diferentes escolas da cidade de Dhaka, Bangladesh. Para avaliação da necessidade real de tratamento, utilizou-se o Dental Health Component (DHC) e o Aesthetic Component (AC) do Index of Orthodontic Treatment Need (IOTN). O índice de Dentes Cariados, Perdidos e Obturados (CPO-D) foi usado para registrar a prevalência de cáries dentárias. As crianças foram entrevistadas sobre sua percepção da necessidade de tratamento ortodôntico, e os pais também responderam a um questionário sobre a percepção da necessidade de tratamento ortodôntico de seus filhos, avaliada pelo AC do IOTN. Resultados: de acordo com o DHC, apenas 24,7% das crianças foram alocadas na categoria de necessidade real (notas 4-5) de tratamento ortodôntico. As pontuações no AC foram significativamente diferentes entre os ortodontistas, as crianças e os responsáveis (p= 0,0001). A análise da regressão múltipla mostrou que as crianças com maiores pontuações no CPO-D tinham chance significativamente maior de precisar de tratamento ortodôntico, segundo o DHC. Conclusão: um número reduzido de crianças em idade escolar necessita realmente de tratamento ortodôntico em Dakha, Bangladesh. Além disso, as crianças com maior CPO-D apresentaram chance significativamente maior de precisar de tratamento ortodôntico, segundo o DHC. <![CDATA[Glabellar vertical line as a reference goal for anteroposterior maxillary position]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300045&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Objective: The aim of this study was to evaluate the use of glabellar vertical line (GVL) as the anteroposterior maxillary position goal. Methods: A cross-sectional study was conducted assessing 129 participants (20.21 ± 1.99 years): 67 women (20.16 ± 1.99 years), and 62 males (20.26 ± 2.06 years). The facial profile photographs were taken with a posed smile in natural head position. The linear distance from the most facial convexity of the upper central incisor (FA) to the goal anterior-limit line (GALL) and also from FA to GVL were measured and compared. Wilcoxon signed-ranks test was applied. To determine the correlation between the distances, Spearman’s correlation coefficient was used. Simple and multiple linear regression were also performed. Results: The GALL-GVL separation was 0.54 ± 1.14 mm (95%CI: 0.34-0.74). A strong correlation between FA-GALL and FA-GVL distances (Spearman’s rho=0.983 [95%CI: 0.976-0.988], p&lt; 0.01) was identified. The FA-GVL distance explains almost all the total variation of FA-GALL (R2=95.84%, p&lt; 0.01). The FA-GALL distance can be predicted by using the formula: FA-GALL=0.5+0.9*(FA-GVL). Conclusion: These findings suggest that GVL could be used as an easier-to-use treatment goal to determine the maxillary anteroposterior position, compared to GALL, to improve facial harmony profile goals in cases where the maxillary incisors are properly positioned anteroposteriorly.<hr/>RESUMO Objetivo: o objetivo desse estudo foi avaliar o uso da linha vertical glabelar (GVL) como referência para a posição anteroposterior da maxila. Métodos: esse estudo transversal avaliou 129 pacientes (20,21 ± 1,99 anos), sendo 67 mulheres (20,16 ± 1,99 anos) e 62 homens (20,26 ± 2,06 anos). As fotografias de perfil foram realizadas com os pacientes em sorriso posado e em posição natural de cabeça. As distâncias lineares entre a porção mais convexa da face vestibular do incisivo central superior (FA) e a linha do limite anterior (GALL), e entre a FA e a GVL foram mensuradas e comparadas. Para a análise comparativa, utilizou-se o teste de postos sinalizados de Wilcoxon. O coeficiente de correlação de Spearman avaliou a correlação. Além disso, foi realizada regressão linear múltipla. Resultados: a distância entre GALL e GVL foi de 0,54 ± 1,14mm (95% IC: 0,34-0,74). Uma forte correlação foi identificada entre as distâncias FA-GALL e FA-GVL (Spearman’s rho = 0,983 (95%IC: 0,976-0,988), p&lt; 0,01). A distância FA-GVL contempla quase todas as variações de FA-GALL (R2 = 95,84%, p&lt; 0,01). Essa distância pode ser calculada através da fórmula: FA-GALL= 0,5 + 0,9*(FA-GVL). Conclusão: os resultados encontrados sugerem que a GVL pode ser adotada como uma referência de fácil utilização na determinação da posição anteroposterior da maxila, quando comparada à GALL para a melhora do perfil facial nos casos em que os incisivos superiores estão corretamente posicionados. <![CDATA[Efficiency of ODI and APDI of Kim’s cephalometric analysis in a Latin American population with skeletal open bite]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300046&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Objective: The objective of this research was to demonstrate the efficiency of the overbite depth indicator (ODI) and the anteroposterior dysplasia indicator (APDI) from Kim’s cephalometric analysis, regarding the determination of the vertical and sagittal patterns of Latin American individuals. Methods: Two hundred lateral cephalometric radiographs were selected and divided into four study groups, with 50 radiographs each, for carrying out a cross-sectional study. The control group included radiographs of balanced individuals, and the other three groups had lateral cephalometric radiographs of subjects with Class I, II and III malocclusions and with skeletal open bite. After the pilot test was performed to calibrate the investigator, the ODI and APDI were measured. Descriptive statistics were performed and the one-way ANOVA with post-hoc Tukey HSD, or Kruskal-Wallis and Mann-Whitney U-test were used. Also a multiple linear regression was employed. Results: Statistically significant differences were found for the ODI of all groups (p&lt; 0.001), except between Class I group (65.87 ± 4.26) and Class II open bite group (67.19 ± 3.58), both with similar values to each other. For APDI, statistically significant differences were also found for all groups (p&lt; 0.001). However, no statistically significant differences were found between the balanced group (83.18 ± 1.71) and Class I group with skeletal open bite (81.78 ± 2.69). Conclusions: ODI and APDI are reliable indicators to evaluate the sagittal and vertical patterns of an individual, demonstrating their efficiency when a Latin American population was evaluated.<hr/>RESUMO Objetivo: o objetivo desta pesquisa foi demonstrar a eficácia do indicador de profundidade da sobremordida (ODI) e do indicador de displasia anteroposterior (APDI) da análise cefalométrica de Kim, no que diz respeito à determinação dos padrões vertical e sagital em indivíduos latino-americanos. Métodos: duzentas telerradiografias em norma lateral foram selecionadas e divididas em quatro grupos, com 50 radiografias cada, para a realização desse estudo transversal. O grupo controle incluiu radiografias de indivíduos com oclusão normal, e os outros três grupos incluíram, respectivamente, radiografias de indivíduos com má oclusão de Classe I, Classe II e Classe III, com mordida aberta esquelética. Após a realização de um estudo piloto para calibração do investigador, fez-se a medição do ODI e do APDI. Foram realizadas estatísticas descritivas e utilizados os testes ANOVA de uma via com post-hoc HSD de Tukey, ou teste de Kruskal-Wallis e teste U de Mann-Whitney. Também foi realizada uma regressão linear múltipla. Resultados: foram encontradas diferenças estatisticamente significativas para o ODI entre todos os grupos (p&lt; 0,001), exceto entre os grupos Classe I (65,87 ± 4,26) e Classe II com mordida aberta (67,19 ± 3,58), ambos com valores semelhantes entre si. Para o APDI, também foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre todos os grupos (p&lt; 0,001). Entretanto, não foi encontrada nenhuma diferença estatisticamente significativa entre o grupo controle (83,19 ± 1,71) e o grupo Classe I com mordida aberta esquelética (81,78 ± 2,69). Conclusões: tanto o ODI quanto o APDI são indicadores confiáveis para se avaliar os padrões sagital e vertical de um indivíduo, tendo sua eficácia comprovada para uso na população latino-americana estudada. <![CDATA[The assessment of resting tongue posture in different sagittal skeletal patterns]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300055&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Introduction: Resting tongue posture affects the surrounding structures and, theoretically, may result in altered arch form and jaw relationship. Objective: The objective of the present study was to investigate the association between resting tongue posture as observed in lateral cephalometric radiograph, sagittal jaw relationship and arch form. Methods: The study was conducted on pretreatment lateral cephalograms and dental casts of 90 subjects. Subjects were equally divided into three groups, based on sagittal jaw relationship (Class I, II and III). Tongue posture was determined in terms of tongue-to-palate distances at six different points (distances 1 to 6) using ViewPro-X software, according to the method described by Graber et al in 1997. The arch widths (intercanine and intermolar widths) were evaluated on pretreatment dental casts. Results: Tongue-to-palate distances were found to be comparable among different study groups. Significant differences were found in intercanine and intermolar widths at the cuspal and gingival levels among the study groups, except for intercanine width at cuspal level in maxilla and intermolar width at cuspal level in mandible. Moderate positive correlation was found between arch widths ratios at distances 3 and 4 in skeletal Class III group. Effect size was found to be moderate to large in different sagittal skeletal patterns and arch widths. Conclusion: The results of the current study showed no significant differences in the resting tongue posture among the groups, and moderate to weak correlation between tongue posture and dental arch widths.<hr/>RESUMO Introdução: a postura da língua em repouso pode afetar as estruturas adjacentes e resultar em mudanças no formato das arcadas e na relação maxilomandibular. Objetivo: o presente estudo teve como objetivo avaliar a associação entre a postura da língua em repouso (observada em radiografias cefalométricas laterais), o padrão esquelético e o formato da arcada. Métodos: a amostra incluiu radiografias cefalométricas laterais e modelos de estudos iniciais de 90 pacientes, os quais foram divididos em três grupos, conforme a relação esquelética: Classe I, Classe II e Classe III. A postura da língua foi avaliada com o software ViewPro-X, de acordo com o método descrito por Graber et al. em 1997, medindo-se a distância entre o palato e a língua em seis pontos diferentes (distâncias 1 a 6). A largura das arcadas (distâncias intercaninos e intermolares) foi medida nos modelos de gesso iniciais. Resultados: as distâncias aferidas foram semelhantes entre os grupos. Diferenças significativas entre os grupos foram encontradas para as distâncias intercaninos e intermolares, nos níveis das cúspides e da gengiva, com exceção da distância intercaninos superiores ao nível das cúspides e distância intermolares inferiores ao nível das cúspides. No grupo Classe III, foi observada uma correlação positiva moderada entre as proporções das larguras das arcadas nas distâncias 3 e 4. O tamanho do efeito apresentou-se de moderado a alto nos diferentes padrões esqueléticos e larguras das arcadas. Conclusão: os resultados do presente estudo mostraram ausência de diferenças significativas na postura da língua em repouso entre os diferentes grupos, e uma correlação moderada a fraca entre a postura da língua e o formato das arcadas. <![CDATA[Periodontal parameters of two types of 3 x 3 orthodontic retainer: a longitudinal study]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300064&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Introduction: bonded fixed retainers are often used to stabilize the results obtained with the orthodontic treatment. It is important that they do not prejudice dental health, as they will be used for a long period. Objective: The purpose of the present study was to compare periodontal indexes between two types of bonded fixed retainers, conventional 3 x 3 plain retainer (0.8-mm orthodontic wire, bonded to the canines only) and a manufactured braided retainer (0.2 x 0.7-mm stainless steel wire, bonded to all anterior teeth) after use. Methods: a test group of 15 volunteers (aged from 18 to 25 years) used both the conventional retainer and braided retainer for six months. A randomized longitudinal study design, with a two week washout interval, was applied. The dental plaque index, gingival index and dental calculus index were evaluated. Furthermore, the calculus accumulated along the retainer wire was measured and all patients answered a questionnaire about the use, acceptance and comfort of both types of retainers. Results: the scores for plaque and gingival indexes were higher for the braided retainer (p&lt; 0.05) on the lingual and proximal surfaces. The same occurred with the calculus index on the lingual surfaces (p&lt; 0.05). The calculus index along wire was higher for the braided retainer (p&lt; 0.05). All patients preferred the conventional retainer, and said that it was also more comfortable to use. Conclusion: it was concluded that the conventional retainer showed better periodontal indexes than the braided type.<hr/>RESUMO Introdução: as contenções ortodônticas fixas são amplamente utilizadas após o tratamento ortodôntico, sendo fundamental que esses dispositivos não se tornem prejudiciais à saúde dentária, já que serão usados por um longo período. Objetivo: o presente estudo teve como objetivo a avaliação periodontal da região da arcada inferior, comparando as condições de acúmulo de placa e cálculo ao longo do fio e na margem gengival, em decorrência do uso da contenção convencional (fio 0,8 mm de aço inoxidável colado apenas nos caninos) ou de uma contenção pré-fabricada com fio trançado (0,2 x 0,7 mm colado em todos os dentes anteroinferiores) após exposição ao meio bucal. Métodos: participaram do estudo 15 voluntários adultos jovens (idades entre 18 e 25 anos) que utilizaram dois tipos de contenções, por seis meses cada. Foi utilizado um modelo de estudo longitudinal, randomizado, com washout de 15 dias. Os parâmetros periodontais utilizados foram: índice gengival, índice de placa e índice de cálculo. O cálculo acumulado ao longo da contenção foi avaliado e todos os pacientes responderam a um questionário sobre o uso, aceitação e conforto de ambos os tipos de contenção. Resultados: observou-se que o índice de placa foi maior para a contenção com fio trançado (p&lt;0,05), assim como o índice gengival (p&lt;0,05). O mesmo ocorreu para o índice de cálculo nas faces proximais e lingual (p&lt;0,05). O índice de cálculo ao longo do fio também foi significativamente maior para a contenção com fio trançado (p&lt;0,05). Em relação ao questionário aplicado, 60% dos voluntários consideraram que a contenção com fio trançado foi mais desconfortável, e todos eles preferiram a contenção convencional. Conclusão: concluiu-se que a contenção convencional apresentou melhores resultados periodontais, quando comparada à contenção pré-fabricada com fio trançado. <![CDATA[Mechanical and histological evaluation of a titanium device for orthodontic anchorage, placed with or without cyanoacrylate adhesive]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300071&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Objective: The objective of the present study was to perform a histological evaluation of a titanium mini-implant for orthodontic anchorage. Shear strength and fracture patterns that occurred immediately, 30 and 60 days after insertion with or without N-2-butyl-cyanoacrylate adhesive were evaluated. Methods: Ninety-six mini-implants (Arrow, Peclab, Brazil) were placed in the tibia of 9 male rabbits, with or without an adhesive (Vetbond™, 3M, USA). Histological evaluation was done by optical light microscope. Shear strength testing was performed, followed by fracture analysis with visual inspection. Results: Close contact between the newly formed bone and the device was evidenced in the group without adhesive, whereas gaps in the group with adhesive were found. Tukey test showed similar values in both groups at the immediate time point (20.70 N without adhesive and 24.69 N with adhesive), and higher values for the non-adhesive group, after 30 and 60 days (43.98 N and 78.55 N, respectively). The values for the adhesive group were similar for the immediate time point (24.69 N), 30 days (18.23 N) and 60 days (31.98 N). The fractures were adhesive for both groups at the immediate time point. The fractures were cohesive in bone for the non-adhesive group after 30 and 60 days. Conclusions: The mini-implants showed close bone contact and required higher shear strength for removal at 30 and 60 days for the non-adhesive group. Further studies are needed to assess the proper way to remove the orthodontic anchorage without cohesive fractures in bone.<hr/>RESUMO Objetivos: este estudo teve como objetivo realizar uma avaliação histológica de um mini-implante para ancoragem em Ortodontia. Avaliou-se, também, a carga de cisalhamento e o padrão de fratura imediatamente e após 30 e 60 dias da sua inserção, com ou sem o uso do adesivo N-butil-2-cianoacrilato. Métodos: noventa e seis mini-implantes (Arrow, Peclab, Brasil) foram instalados na tíbia de nove coelhos machos, com ou sem adesivo (Vetbond™, 3M, EUA). A avaliação histológica foi realizada com uso de microscópico de luz óptica. Realizou-se o teste de resistência ao cisalhamento, seguido pela análise da fratura, por meio de inspeção visual. Resultados: um contato íntimo entre o novo osso formado e o dispositivo foi evidenciado no grupo sem adesivo, enquanto espaços foram encontrados no grupo com adesivo. O teste de Tukey mostrou valores semelhantes em ambos os grupos no tempo imediato (20,70 N sem adesivo e 24,69 N com adesivo), e valores maiores para o grupo sem adesivo após 30 e 60 dias (43,98 N e 78,55 N, respectivamente). Os valores para o grupo com adesivo foram semelhantes para os tempos imediato (24,69 N), 30 dias (18,23 N) e 60 dias (31,98 N). As fraturas foram adesivas para ambos os grupos, no tempo imediato. As fraturas foram coesivas no osso para os grupos sem adesivo, após 30 e 60 dias. Conclusões: os mini-implantes mostraram um contato íntimo com o osso e requereram alta carga de cisalhamento para sua remoção após 30 e 60 dias nos grupos sem adesivo. Estudos adicionais são necessários para avaliar um método para remoção do dispositivo ortodôntico sem fratura coesiva no osso. <![CDATA[A 3-D evaluation of transverse dentoalveolar changes and maxillary first molar root length after rapid or slow maxillary expansion in children]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300079&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Objective: The objective of the present study was to conduct a randomized clinical trial comparing the effects of rapid maxillary expansion (RME) and slow maxillary expansion (SME). Maxillary permanent first molar root length and tooth movement through the alveolus were studied using cone-beam computed tomography (CBCT). Methods: Subjects with maxillary transverse deficiencies between 7 and 10 years of age were included. Using Haas-type expanders, children were randomly assigned to two groups: RME (19 subjects, mean age of 8.60 years) and SME (13 subjects, mean age of 8.70 years). Results: Buccal cortical, buccal bone thicknesses and dentoalveolar width decreased in both groups. In the RME group the greatest decrease was related to distal bone thickness (1.26 mm), followed by mesial bone thickness (1.09 mm), alveolar width (0.57 mm), and the buccal cortical (0.19 mm). In the SME group the mesial bone thickness decreased the most (0.87 mm) and the buccal cortical decreased the least (0.22 mm). The lingual bone thickness increased in the RME and SME groups (0.56 mm and 0.42 mm, respectively). The mesial root significantly increased in the RME group (0.52 mm) and in the SME group (0.40 mm), possibly due to incomplete root apex formation at T1 (prior to installation of expanders). Conclusions: Maxillary expansion (RME and SME) does not interrupt root formation neither shows first molar apical root resorption in juvenile patients. Although slightly larger in the RME group than SME group, both activation protocols showed similar buccal bone thickness and lingual bone thickness changes, without significant difference; and RME presented similar buccal cortical bone changes to SME.<hr/>RESUMO Objetivo: o objetivo do presente trabalho foi realizar um estudo clínico randomizado comparando os efeitos da expansão rápida da maxila (ERM) e da expansão lenta da maxila (ELM). O comprimento radicular do primeiro molar superior permanente e o deslocamento dentro do alvéolo foram estudados por meio de imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC). Métodos: pacientes com deficiência maxilar transversal e faixa etária entre 7 e 10 anos foram incluídos no estudo. As crianças foram distribuídas em dois grupos: ERM (19 indivíduos com idade média de 8,60 anos) e ELM (13 indivíduos com idade média de 8,70 anos). Em ambos os grupos foi utilizado o aparelho expansor tipo Haas. Resultados: a cortical vestibular, a espessura do osso vestibular e a largura dentoalveolar sofreram redução nos dois grupos. No grupo ERM, a maior redução foi relacionada com a espessura do osso distal (1,26 mm), seguida pela espessura do osso mesial (1,09 mm), largura alveolar (0,57 mm) e, finalmente, pela cortical vestibular (0,19 mm). Já no grupo ELM, a espessura do osso mesial apresentou maiores valores de redução (0,87 mm), enquanto a cortical vestibular teve a menor redução (0,22 mm). A espessura do osso lingual aumentou nos dois grupos, sendo 0,56 mm no grupo ERM e 0,42 mm no grupo ELM. A raiz mesial aumentou significativamente nos grupos ERM (0,52 mm) e ELM (0,40 mm) - possivelmente, em função da rizogênese incompleta ainda em T1 (antes da instalação do aparelho). Conclusões: a expansão maxilar (ERM e ELM) não interrompe a formação ou leva à reabsorção radicular nos primeiros molares permanentes de pacientes jovens. Embora discretamente maiores no grupo ERM, as modificações na espessura do osso vestibular e lingual demonstradas pelos protocolos de ativação não apresentam diferenças significativas. O grupo ERM apresentou alterações semelhantes ao grupo ELM, em relação à cortical óssea vestibular. <![CDATA[Tooth extractions in Orthodontics: first or second premolars?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300088&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Tooth crowding and protrusions demand rigorous attention during orthodontic planning that includes the extraction of first and second premolars. Some characteristics, such as dentoalveolar bone discrepancies, maxillomandibular relations, facial profile, skeletal maturation, dental asymmetries and patient cooperation, are important elements of an orthodontic diagnosis. This study discusses the options of treatments with extractions and describes the correction of a Class I malocclusion, bimaxillary protrusion, severe anterior crowding in both dental arches and tooth-size discrepancy, using first premolar extractions.<hr/>RESUMO Apinhamentos e protrusões dentárias têm requerido rigor durante o planejamento ortodôntico envolvendo exodontias de primeiros e segundos pré-molares. Algumas características como discrepância entre dentes e suas respectivas bases ósseas, relacionamento maxilomandibular, perfil facial, maturação esquelética, assimetrias dentárias, patologias e cooperação do paciente têm sido consideradas elementos importantes de diagnóstico ortodôntico. Sendo assim, o presente artigo teve por objetivo discutir as opções de tratamento com extrações dentárias e apresentar a correção de uma má oclusão de Classe I, biprotrusão, com severo apinhamento anterior em ambas as arcadas e discrepância de tamanho dentário, por meio da exodontia de primeiros pré-molares. <![CDATA[Obstructive sleep apnea in adults]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300099&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Introduction: Obstructive Sleep Apnea and Hypopnea Syndrome (OSAS) is a highly prevalent disease with serious consequences for the patients’ lives. The treatment of the condition is mandatory for the improvement of the quality of life, as well as the life expectancy of the affected individuals. The most frequent treatments provided by dentistry are mandibular advancement devices (MAD) and orthognathic surgery with maxillomandibular advancement (MMA). This is possibly the only treatment option which offers high probability of cure. Objective: The present article provides a narrative review of OSAS from the perspective of 25 years of OSAS treatment clinical experience. Conclusion: MADs are a solid treatment option for primary snoring and mild or moderate OSAS. Patients with severe apnea who are non-adherent to CPAP may also be treated with MADs. Maxillomandibular advancement surgery is a safe and very effective treatment option to OSAS.<hr/>RESUMO Introdução: a Síndrome da Apneia e Hipopneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é uma doença muito prevalente e que traz importantes consequências para a vida dos seus portadores. O tratamento da condição é relevante para a melhora do bem-estar geral e da expectativa de vida dos afetados. Os tratamentos odontológicos mais frequentes para a SAOS são os dispositivos de avanço mandibular (DAMs) e a cirurgia ortognática de avanço maxilomandibular (AMM) - essa última, possivelmente, é a única opção de tratamento com alta probabilidade de cura do problema. Objetivo: o presente artigo faz uma revisão narrativa da SAOS sob a perspectiva de 25 anos de experiência clínica no tratamento da doença. Conclusão: os DAMs são uma sólida opção de tratamento para o ronco primário e apneias leves ou moderadas. Apneias graves, em pacientes que não se adaptam ou se recusam a usar o CPAP, também podem ser tratadas com os DAMs. A cirurgia ortognática de AMM é uma alternativa segura e muito eficaz de solução da SAOS. <![CDATA[Erratum]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-94512019000300113&lng=es&nrm=iso&tlng=es ABSTRACT Introduction: Obstructive Sleep Apnea and Hypopnea Syndrome (OSAS) is a highly prevalent disease with serious consequences for the patients’ lives. The treatment of the condition is mandatory for the improvement of the quality of life, as well as the life expectancy of the affected individuals. The most frequent treatments provided by dentistry are mandibular advancement devices (MAD) and orthognathic surgery with maxillomandibular advancement (MMA). This is possibly the only treatment option which offers high probability of cure. Objective: The present article provides a narrative review of OSAS from the perspective of 25 years of OSAS treatment clinical experience. Conclusion: MADs are a solid treatment option for primary snoring and mild or moderate OSAS. Patients with severe apnea who are non-adherent to CPAP may also be treated with MADs. Maxillomandibular advancement surgery is a safe and very effective treatment option to OSAS.<hr/>RESUMO Introdução: a Síndrome da Apneia e Hipopneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é uma doença muito prevalente e que traz importantes consequências para a vida dos seus portadores. O tratamento da condição é relevante para a melhora do bem-estar geral e da expectativa de vida dos afetados. Os tratamentos odontológicos mais frequentes para a SAOS são os dispositivos de avanço mandibular (DAMs) e a cirurgia ortognática de avanço maxilomandibular (AMM) - essa última, possivelmente, é a única opção de tratamento com alta probabilidade de cura do problema. Objetivo: o presente artigo faz uma revisão narrativa da SAOS sob a perspectiva de 25 anos de experiência clínica no tratamento da doença. Conclusão: os DAMs são uma sólida opção de tratamento para o ronco primário e apneias leves ou moderadas. Apneias graves, em pacientes que não se adaptam ou se recusam a usar o CPAP, também podem ser tratadas com os DAMs. A cirurgia ortognática de AMM é uma alternativa segura e muito eficaz de solução da SAOS.