Scielo RSS <![CDATA[Acta Limnologica Brasiliensia]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=2179-975X20170001&lang=pt vol. 29 num. lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Variação sazonal e espacial das diatomáceas epilíticas: estudo de caso evidenciando um gradiente de poluição orgânica em região subtropical do sul do Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-975X2017000100301&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: Aim This study aimed to understand the seasonal variation of epilithic diatoms in the Gravataí River regarding their composition and density along the river, as well as the respective relationships with local limnological variables. Methods The diatoms were sampled quarterly using a EDS sampler exposed for four weeks from September 2000 to August 2002. An area of 75 cm2 was scraped off the upper surface of three submerged stones totalizing a composed sample. An aliquot of 1 ml of oxidized material was mounted on a slide for the quantitative and qualitative analysis. Results A spacial organic contamination gradient was observed in the Gravataí river due the decrease of dissolved oxygen, and increase of BOD5, total nitrogen and ortho-phosphate from the upper to the lower course and the predominance of eutrophic conditions during periods of higher temperature (spring and summer). The epilithic diatoms presented, in the upper stretch, a seasonal pattern in abundance with the highest densities during the fall and winter, the density enhance was associated to mild and low temperatures, lowest turbidity and nutrients availability. Bacillariaceae was dominant in the spring, Eunotiaceae and Bacillariaceae in the summer and fall and Gomphonemathaceae was strongly dominant followed by Eunotiaceae in winter. In the lower course Bacillariaceae was dominant in all seasons except on fall 2001. These changes were determined by the substitutions in the occurrence and relative abundance of some species as Achnanthidium minutissimum, Cocconeis placentula, Eunotia bilunaris, Frustulia saxonica, Gomphonema parvulum, Nitzchia palea and Sellaphora seminulum. Conclusions The seasonality of the diatoms was well evidenced in upper stretch of the river, therefore in the lower course with greater anthropogenic impact, fewer changes occurs in the number of species present and/or of substitution of some species by others, showing that the seasonality of the diatoms can be affected by organic contamination and eutrophication.<hr/>Resumo: Objetivo Este estudo objetivou conhecer a variação sazonal das diatomáceas epilíticas ao logo do Rio Gravataí em relação a composição e densidade, assim como a respectiva relação com variáveis limnológicas locais. Métodos As diatomáceas foram amostradas trimestralmente utilizando o amostrador EDS exposto por quatro semanas, no período de setembro de 2000 a agosto de 2002. A área de 75 cm2 de material foi raspado de três rochas submersas totalizando uma amostra composta. Alíquota de 1 ml de material oxidado foi montado em lâminas para análise qualitativa e quantitativa. Resultados Um gradiente espacial de contaminação orgânica foi observada no rio Gravataí devido à diminuição do oxigênio dissolvido e aumento do DBO5, nitrogênio total e orto-fosfato do curso superior para o inferior, e a predominância de condições eutróficas durante períodos de maior temperatura (primavera e verão). As diatomáceas epilíticas exibiram em seu curso superior um padrão sazonal em abundância, as mais altas densidades foram registradas no outono e inverno, o aumento da densidade esteve associada as médias e baixas temperaturas, mais baixa turbidez e disponibilidade de nutrientes. Bacillariacea foi dominante na primavera, Eunotiaceae e Bacillariaceae no verão e outono e Gomphonemataceae foi fortemente dominante seguido de Eunotiaceae no inverno. No curso inferior Bacillariaceae foi dominante em todas as estações do ano exceto no outono de 2001. Essas mudanças foram determinadas pela substituição na ocorrência e relativa abundância de algumas espécies como Achnanthidium minutissimum, Cocconeis placentula, Eunotia bilunaris, Frustulia saxonica, Gomphonema parvulum, Nitzchia palea e Sellaphora seminulum. Conclusões A sazonalidade das diatomáceas foi bem evidenciada no trecho superior do rio, entretanto no curso inferior com maior impacto antrópico, poucas mudanças ocorrem no número de espécies e/ou substituição de algumas espécies por outras, mostrando que a sazonalidade das diatomáceas pode ser afetada pela contaminação orgânica e eutrofização. <![CDATA[Variação espacial e temporal da fauna de peixes associada a bancos de macrófitas aquáticas na zona litorânea do Complexo Pantanoso de Ayapel, Colômbia]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-975X2017000100302&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: Aim The purpose of the present study was to examine spatial and temporal variation in fish assemblage structure associated with aquatic macrophytes in the littoral zone of the ASC. Methods Specimens were caught between January 2008 and February 2009, over four limnimetric moments, using both cast net and seine net. Data on the temperature, electrical conductivity, pH and dissolved oxygen was recorded for the characterization of the water mass in the sites. Results A total of 34,151 specimens from 44 species were collected. The most abundant species were Eigenmannia virescens, Astyanax caucanus, Astyanax fasciatus, Roeboides dayi and Cyphocharax magdalenae, which together accounted for more than 75% of the sample. Temporal and spatial comparisons showed variation in the environmental conditions and highlighted the existence of heterogeneous abiotic conditions (p&lt;0.05). However, the multiple comparisons test showed the existence of homogeneous spatial conditions (p&gt;0.05) regarding the fish assemblage structure. The multivariate analysis showed no significant relationship between existing environmental conditions and the fish assemblage (p=0.04). The analysis also showed the absence of a relationship between the fish assemblage and environmental variables with respect to the flood pulse and sampling sites (p&gt;0.05). Conclusion The uniformity of the fish communities that inhabit aquatic macrophyte patches in the littoral region of the ASC may be related to the availability of suitable habitat in structural terms, that probably supports a more abundant and varied wildlife.<hr/>Resumo: Objetivo Neste estudo foi analisada composição e a abundância da fauna de peixes associadas a bancos de macrófitas aquáticas em seis setores do Complexo Pantanoso de Ayapel. Métodos Os espécimes foram obtidos entre janeiro de 2008 e fevereiro de 2009, durante quatro momentos limnimétricos, utilizando-se tarrafa e rede de arrasto. Foram obtidos dados de temperatura, condutividade eléctrica, pH e oxigênio dissolvido para a caracterização da massa de água nos locais. Resultados No período de estudo 34,151 exemplares de 44 espécies foram colectadas. As espécies mais abundantes foram Eigenmannia virescens, Astyanax caucanus, Astyanax fasciatus, Roeboides dayi e Cyphocharax magdalenae, que representaram mais de 75% da amostra. Comparações temporais e espaciais mostraram uma variação de condições ambientais que realça a existência de condições heterogêneas (p&lt;0,05). No entanto, espacialmente, o teste de comparação múltipla revelou a existência de condições homogêneas (p&gt;0,05) associados com a estrutura da fauna de peixes. A análise multivariada empregada não mostrou uma relação significativa entre as condições ambientais existentes e as assembléias de peixes (p = 0,04). A análise também mostrou a ausência de relação entre o conjunto de peixes e as variáveis ambientais de acordo com o pulso de inundação e locais de amostragem (p&gt;0,05). Conclusões A uniformidade das comunidades de peixes que habitam bancos de macrófitas aquáticas na região litorânea do ASC pode estar relacionada com a disponibilidade de habitat adequado em termos estruturais, que provavelmente sustentam uma fauna mais abundante e variada. <![CDATA[Efeitos do desassoreamento e manejo de macrófitas sobre a composição da fauna de peixes em um reservatório Neotropical antigo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-975X2017000100303&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: Aim: As part of the remodeling of an almost century-old dam, in the Rio Jacaré-Guaçu, the dredging and management of macrophytes were carried out in the Gavião Peixoto Reservoir (São Paulo State, Brazil). Data for the reservoir and a river stretch upstream the reservoir were compared, for evaluating the effects of the management procedures. Methods The fish fauna and physical and chemical factors were studied during five years, before (2005-2006) and after the recovery procedures (2007-2009), once a year, during the rainy season. Fishes were caught by gill nets, 10 m long and 1.5, 4, and 6 cm-mesh between adjacent knots. Results After the management procedures, the values of pH and dissolved oxygen increased in the reservoir, whereas conductivity decreased, bringing them closer to those of the upstream stretch. Species richness, diversity, and Catch per Unit Effort in number and biomass, increased in the reservoir after the management. Conclusions After the recovery procedures, the composition of the fish fauna in the reservoir was similar to that of the upstream stretch. The dredging and management of macrophytes in the reservoir benefited the fish fauna diversity, through improvement in water quality and space expansion.<hr/> Resumo Objetivo: Como parte da modernização de uma barragem quase centenária no Rio Jacaré-Guaçu, foram realizados o desassoreamento e o manejo de macrófitas no reservatório da PCH Gavião Peixoto (Estado de São Paulo, Brasil). Dados do reservatório e de um trecho do rio, a montante do reservatório, foram comparados, para avaliar os efeitos do manejo. Métodos A ictiofauna e condições físicas e químicas foram estudadas durante cinco anos, antes (2005-2006) e depois do processo de recuperação (2007-2009), uma vez ao ano, na estação chuvosa. Os peixes foram coletados com rede de espera, de 10 m de comprimento e com malhas de 1.5, 4 e 6 cm entre nós adjacentes. Resultados Após o manejo de macrófitas e desassoreamento, os valores de pH e de oxigênio dissolvido elevaram-se e os de condutividade diminuíram no reservatório, aproximando-os daqueles do trecho a montante. A riqueza de espécies, a diversidade e a Captura por Unidade de Esforço em número e biomassa, aumentaram no reservatório após o manejo. Conclusões Depois dos procedimentos de recuperação, a composição da ictiofauna do reservatório foi semelhante à do trecho a montante. O desassoreamento e manejo de macrófitas no reservatório foram benéficos para a diversidade da ictiofauna, por melhorar a qualidade da água e pela ampliação do espaço. <![CDATA[A distribuição de Chironomidae (Diptera) e Oligochaeta (Annelida, Clitellata) é similar em um rio e área fluvial lateral?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-975X2017000100304&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Numerous factors may affect the pattern of distribution of benthic fauna in a river mouth region and, among the macroinvertebrates, Chironomidae and Oligochaeta are the most abundant groups and most tolerant to environmental changes. Aim The aim of this study was to evaluate the controlling factors of and a possible similarity between Chironomidae and Oligochaeta assemblies at two close sites, the mouth of the Guareí River into the Paranapanema River (São Paulo, Brazil) and its lateral fluvial area. Methods Fauna samples were collected every three months during one year. Water physical and chemical variables and sediment variables were also determined in the same period. Results Both assemblies presented low density variability over time in the lateral area due to sediment characteristics and environmental factors. Taxa Caladomyia, Parachironomus, Pristina sp., Pristina osborni, Bothrioneurum and Opistocysta funiculus were recorded at this site. The Guareí River presented both greater temporal and spatial variations, attributed mainly to a reduction in the water level. Greater organism abundance, especially of Chironomus and Tubificinae, was observed in the river. Conclusions Dissimilarity in temporal and spatial distributions of Chironomidae and Oligochaeta was attributed to peculiar characteristics of the two study sites, a river channel and a lateral area. Reduction in the water level over the year was the main controlling factor of Chironomidae and Oligochaeta richness and density in the river. In the lateral area, the presence and abundance of certain taxa were determined by the nature of the sediment and water physical and chemical variables.<hr/> Resumo Diversos fatores podem afetar o padrão de distribuição da fauna bentônica em regiões de desembocadura de rios e, entre os macroinvertebrados, Chironomidae e Oligochaeta são os grupos mais abundantes e tolerantes às alterações ambientais. Objetivo O objetivo deste estudo foi avaliar a possível similaridade e os fatores controladores entre as assembleias de Chironomidae e Oligochaeta em dois locais próximos, a zona de desembocadura do rio Guareí no rio Paranapanema (SP, Brasil) e sua área fluvial lateral. Métodos As amostras de fauna foram coletadas a cada três meses durante um ano. As variáveis ​​físico-químicas da água e sedimento também foram determinadas no mesmo período. Resultados Ambas as assembleias apresentaram baixa variabilidade temporal nas densidades na área lateral devido às características do sedimento e dos fatores ambientais. Caladomyia, Parachironomus, Pristina sp., Pristina osborni, Bothrioneurum e Opistocysta funiculus foram registradas neste local. O rio Guareí apresentou maiores variações temporais e espaciais atribuídas principalmente a uma redução no nível da água. Elevada abundância de organismos, especialmente de Chironomus e Tubificinae, foram observadas no rio. Conclusões A dissimilaridade na distribuição temporal e espacial de Chironomidae e Oligochaeta foi atribuída às características peculiares dos dois locais de estudo, o canal do rio e a área lateral. A redução do nível de água ao longo do ano foi o principal fator controlador da riqueza e densidade de Chironomidae e Oligochaeta no rio. Na área lateral, a presença e a abundância de determinados taxa foram atribuídas à natureza do sedimento e às variáveis ​​físicas e químicas da água. <![CDATA[Um método não destrutivo simples para estimativa de biomassa aérea de macrófitas aquáticas emergentes]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-975X2017000100501&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract: Aim Non-destructive methods for estimating aquatic macrophytes biomass may be employed by using indirect measurements, especially in experimental studies, thus enabling the conservation of plant samples. It is possible to estimate macrophyte biomass by developing mathematical equations that relate the plants’ dry mass to their morphological variables. The aim of this study was to evaluate the relationship between different morphological variables and biomass in order to determine which variable is easier to be obtained for the emergent aquatic macrophytes Crinum americanum and Spartina alterniflora. Methods We obtained the aboveground area and height of individuals of both species, with different sizes and distinct developmental stages. The samples were collected in the Itanhaém River Estuary (SP, Brazil). The plants were dried in a laboratory oven and weighed so as to obtain their dry mass. Simple linear regression analyses were applied to the morphological variables and the individual dry mass to obtain equations. Results For the both species, the relationship between area and biomass, and the relationship between individual height and biomass presented significant coefficients of determination (p &lt; 0.0001). For the elaboration of models involving the individual height, we used only one morphological measure for each individual, whereas for models involving the individual area it was necessary to obtain more than one hundred morphological measurements per individual. Conclusions The morphological variables chosen are good attributes for estimating the aboveground biomass of C. americanum and S. alterniflora. Considering the models’ adjustment and the consumed time to obtain the measurements, we conclude that the individual height measurement is better for biomass estimation for both species.<hr/>Resumo: Objetivo Métodos não destrutivos para avaliação da biomassa de macrófitas aquáticas podem ser empregados usando-se medidas indiretas, especialmente em estudos experimentais, permitindo a conservação das amostras vegetais. Pode-se estimar a biomassa vegetal através da elaboração de equações matemáticas que relacionem a massa seca com as variáveis morfológicas dos vegetais. O objetivo deste estudo foi avaliar a relação entre diferentes variáveis morfológicas e biomassa para determinar qual variável é mais fácil de ser obtida para as macrófitas aquáticas emergentes Crinum americanum e Spartina alterniflora. Métodos Nós obtivemos a área da fração emergente dos indivíduos e a altura dos indivíduos de ambas as espécies, de diferentes tamanhos e estádios de desenvolvimento, coletadas no estuário do rio Itanhaém (SP, Brazil). As plantas foram secas em estufa e pesadas para obtenção de massa seca. Análises de regressão linear simples foram aplicadas entre as variáveis morfológicas e a massa seca dos indivíduos para a obtenção das equações. Resultados Para as duas espécies, tanto a relação área e biomassa como a relação altura do indivíduo e biomassa apresentaram coeficientes de determinação significativos (p &lt; 0,0001). Para a elaboração dos modelos envolvendo a altura dos indivíduos utilizamos somente uma medida morfológica para cada indivíduo, enquanto que para os modelos envolvendo a área do indivíduo foi necessária a obtenção de mais de cem medidas morfológicas por indivíduo. Conclusão As variáveis morfológicas escolhidas são bons atributos para a estimativa da biomassa da fração emergente de C. americanum e S. alterniflora. Considerando o ajuste dos modelos e o tempo necessário para a obtenção das medidas, nós concluímos que a medida da altura dos indivíduos é mais adequada para a estimativa da biomassa para ambas as espécies. <![CDATA[O pequeno forasteiro: novas leis favorecerão a introdução de espécies não-nativas de zooplâncton em ambientes aquáticos brasileiros]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-975X2017000100601&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Non-native species of zooplankton have been introduced in Brazilian continental aquatic environments for a variety of reasons (e.g., non-native fish stocking, aquaculture), but many pathways of zooplankton introductions remain unknown. Recently, the governor of the State of Amazonas passed Law No. 79/2016, which allows for aquaculture operations using non-native fish in that state. This change in policy will likely result in the species introduction or propagule pressure of non-native zooplankton such as: Mesocyclops ogunnus Onabamiro, 1957; Kellicottia bostoniensis (Rousselet, 1908); Daphnia lumholtzi Sars, 1885; Lernaea cyprinacea (Linnaeus, 1758); Lamproglena monodi Capart, 1944. Of further concern is federal law No. 5989/09, which proposes the use of non-native fish in Brazilian aquaculture nationwide. We believe that both laws will intensify the introduction of non-native zooplankton. Once established in aquatic environments, non-native species of zooplankton could result in negative impacts (e.g., a loss of ecosystem services, food web alterations). Therefore, Brazilian authorities should incentivize the use of local native species rather than pass laws that threaten the environment.<hr/> Resumo Espécies não-nativas de zooplâncton foram introduzidas em ambientes aquáticos continentais Brasileiros por uma variedade de razões (e.g., estocagem de peixes não nativos, aquicultura), mas muitas vias de introdução de zooplâncton permanecem desconhecidas. Recentemente, o governador do Estado do Amazonas aprovou a Lei nº 79/2016, que permite operações de aquicultura utilizando peixes não-nativos nesse estado. Esta mudança de política provavelmente resultará na introdução de espécies ou pressão de propágulos de zooplâncton não-nativos, tais como: Mesocyclops ogunnus Onabamiro, 1957; Kellicottia bostoniensis (Rousselet, 1908); Daphnia lumholtzi Sars, 1885; Lernaea cyprinacea (Linnaeus, 1758); Lamproglena monodi Capart, 1944. Outro motivo de preocupação é a lei federal, N ° 5989/09, que propõe o uso de peixes não-nativos na aquicultura brasileira em todo o país. Acreditamos que ambas as leis favorecerão a introdução de zooplâncton não-nativos. Uma vez estabelecido em ambientes aquáticos, zooplâncton não-nativos podem resultar em impactos negativos (e.g., uma perda nos serviços ecossistêmicos, alterações na cadeia alimentar). Portanto, as autoridades brasileiras deveriam incentivar o uso de espécies locais nativas em vez de aprovar leis que ameacem o meio ambiente.