Scielo RSS <![CDATA[Trends in Psychiatry and Psychotherapy]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=2237-608920140001&lang=en vol. 36 num. 1 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[The role of research in the prevention of mental disorders]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892014000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Therapeutic relationship on the web: to face or not to face?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892014000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en In this age of unprecedented expansion of media and information dissemination and sharing, the use of electronic means should be reconsidered. The use of new technologies should be studied to understand how it may affect the relationship between patient and therapist during psychotherapy or psychoanalytic treatments. This study offers a critical discussion of the effect of technologies on clinical practice, and vignettes are used to describe their impact on frame, anonymity, abstinence and therapeutic neutrality. Transfer and countertransference issues resulting from these changes are also discussed. The potential benefits of new technologies in psychotherapy are appreciated, but the authors draw attention to the need to reflect about the presence of the therapist in those technologies and the preservation of the therapeutic setting, so that a satisfactory progression of the work of the dyad is ensured. This study also discusses the use of technologies in the expansion of learning and application of the therapeutic technique to overcome geographic and time barriers, among others.<hr/>Na era da expansão sem precedentes dos meios de comunicação, da divulgação e compartilhamento de informações por meios eletrônicos, torna-se necessário repensar sua utilização. Os autores consideram importante compreender de que forma o uso das novas tecnologias pelos pacientes e terapeutas interfere na relação entre ambos na vigência do tratamento psicoterápico ou psicanalítico. É proposta uma discussão crítica acerca de sua influência na prática clínica, e apresentado em vinhetas o impacto no enquadre, no anonimato, abstinência e neutralidade terapêuticas. Também são abordadas questões transferenciais e contratransferenciais decorrentes dessas mudanças. Os autores consideram os benefícios potenciais das novas tecnologias na prática psicoterápica, alertando porém para a necessidade de reflexão a respeito de sua presença nas mesmas e de preservação do setting terapêutico, visando sempre a evolução satisfatória do trabalho da dupla. Outro aspecto considerado neste trabalho é sua utilização na expansão do aprendizado e aplicação da técnica psicoterapêutica, superando, entre outras, barreiras geográficas e temporais. <![CDATA[Temporomandibular disorders and eating disorders: a literature review]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892014000100011&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUCTION: Temporomandibular disorders (TMD) and eating disorders (ED) affect function and parafunction of the oral cavity and have high rates of medical and psychological comorbidity. However, little is known about the possible associations between them, and few studies have investigated the existence of such associations. METHODS: A search was conducted on the SciELO, LILACS, and PubMed/MEDLINE databases to find relevant articles written in English and Portuguese. Only studies involving human beings were included, and there was no limit for year of publication. RESULTS AND CONCLUSIONS: There is evidence of the correlation between TMD and ED, but their comorbidity must be better understood. The presence of depressive symptoms is an aggravating factor that must also be taken into account during the diagnosis and treatment of those patients. <hr/> INTRODUÇÃO: As disfunções temporomandibulares (DTM) e os transtornos alimentares (TA) envolvem a função e a parafunção da cavidade oral e apresentam altos índices de comorbidade médica e psicológica. No entanto, pouco se sabe sobre as possíveis associações entre essas entidades clínicas, e poucos artigos avaliaram a existência de uma relação elas. MÉTODOS: Uma busca foi realizada nas bases de dados SciELO, LILACS e PubMed/MEDLINE a fim de encontrar artigos relevantes escritos em inglês e português. Apenas estudos envolvendo seres humanos foram incluídos, e não foi estabelecido um limite para ano de publicação. RESULTADOS E CONCLUSÕES: Há evidências da correlação entre DTM e TA, mas essa comorbidade precisa ser melhor compreendida. A presença de sintomas depressivos é um fator agravante que também precisa ser levado em consideração durante o diagnóstico e tratamento desses pacientes. <![CDATA[The progression of 102 Brazilian patients with bipolar disorder: outcome of first 12 months of prospective follow-up]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892014000100016&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUCTION: Prospective studies have shown that the course of bipolar disorder (BD) is characterized by the persistence of symptoms, predominantly depression, along most of the time. However, to our knowledge, no studies in Latin America have investigated it. OBJECTIVES: To replicate international studies using a Brazilian sample to prospectively analyze treatment outcomes in the first year and to determine potential chronicity factors. METHODS: We followed up 102 patients with BD for 12 months and evaluated the number of months with affective episodes and the intensity of manic and depressive symptoms using the Young Mania Rating Scale (YMRS) and the Hamilton Depression Scale (HAM-D17). Sociodemographic and retrospective clinical data were examined to determine possible predictors of outcome. RESULTS: Almost 50% of the patients had symptoms about half of the time, and there was a predominance of depressive episodes. Disease duration and number of depressive episodes were predictors of chronicity. Depressive polarity of the first episode and a higher number of depressive episodes predicted the occurrence of new depressive episodes. CONCLUSION: In general, BD outcome seems to be poor in the first year of monitoring, despite adequate treatment. There is a predominance of depressive symptoms, and previous depressive episodes are a predictor of new depressive episodes and worse outcome. <hr/> INTRODUÇÃO: Estudos prospectivos vêm demonstrando que o curso do transtorno bipolar (TB) é marcado por uma persistência de sintomas em grande parte do tempo, sendo estes predominantemente depressivos. Porém, até onde sabemos, não há estudos na América Latina sobre o assunto. OBJETIVO: Replicar pesquisas internacionais com uma amostra brasileira, para estudar prospectivamente a evolução no primeiro ano de tratamento e possíveis fatores relacionados a cronicidade. MÉTODO: Acompanhamos 102 pacientes com TB mensalmente por 12 meses, avaliando o número de meses em episódios afetivos e a intensidade dos sintomas maníacos e depressivos com a Young Mania Rating Scale (YMRS) e a Hamilton Depression Scale (HAM-D17), respectivamente. A partir de dados sociodemográficos e clínicos retrospectivos, buscamos definir fatores preditivos de evolução. RESULTADOS: Quase metade dos pacientes ficou cerca de metade do tempo sintomática, com predominância de episódios depressivos. Fatores preditivos de cronicidade encontrados foram a duração da doença e o número prévio de episódios depressivos. Encontramos, ainda, como fatores que predizem a ocorrência de novos episódios depressivos, a polaridade depressiva do primeiro episódio e um número maior de episódios depressivos. CONCLUSÕES: Em geral, a evolução do TB é bastante insatisfatória no primeiro ano de acompanhamento, apesar de tratamento adequado, com a predominância de sintomas depressivos. Episódios depressivos prévios são um fator preditivo de novos episódios depressivos e de uma pior evolução. <![CDATA[Psychometric properties of the revised conscientiousness dimension of Inventário Dimensional ClĂ­nico da Personalidade (IDCP)]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892014000100023&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study investigated the psychometric properties of the revised scale of conscientiousness of a clinical personality inventory (Inventário Dimensional Clínico da Personalidade, IDCP). One hundred and twenty participants (68 women; 56.7%) aged 18 to 53 years (mean = 22.58, standard deviation = 6.19) were recruited by convenience and answered the IDCP and the NEO Personality Inventory - Revised. The analysis of internal structure, association with external variables and reliability of the dimension under review confirmed its validity. The psychometric characteristics of the revised dimension seem to be more adequate than those of the original version and more focused on pathological functioning, which was expected and desirable.<hr/>O presente estudo teve como objetivo investigar as propriedades psicométricas da versão revisada da dimensão conscienciosidade do Inventário Dimensional Clínico da Personalidade (IDCP). Para tanto, participaram da pesquisa 120 sujeitos, recrutados por conveniência, com idade variando entre 18 e 53 anos (média = 22,58; desvio padrão = 6,19), sendo 68 mulheres (56,7%). Todos os sujeitos responderam o IDCP e o Inventário de Personalidade NEO-PI Revisado. Os dados encontrados no estudo foram favoráveis quanto às evidências de validade com base na estrutura interna e na relação com variáveis externas, bem como em relação à fidedignidade da dimensão revisada do instrumento. A partir disso, aponta-se que a dimensão revisada é mais adequada do ponto de vista psicométrico quando comparada com a versão original da mesma e, além disso, apresenta conteúdos mais voltados para o funcionamento patológico, o que era esperado e desejável. <![CDATA[Influence of body posture on the association between postpartum depression and pain]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892014000100032&lng=en&nrm=iso&tlng=en OBJECTIVE: To determine the association between postpartum depression (PPD), intensification of back pain and exacerbation of changes in postural alignment intrinsic to puerperium. METHODS: Eighty women at 2 to 30 weeks postpartum were included in the study according to the following criteria: literate mothers, gestation of 34 to 42 weeks, and healthy live-born infants. All mothers agreed to participate in the study. Depressive symptoms were measured using the Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS). Pain was assessed using a visual analogue scale (VAS) and the Nordic Musculoskeletal Questionnaire (NMQ), and posture, using real time naturalistic observation. RESULTS: There was a statistically significant association between PPD and pain intensity (p = 0.002). The upper back was the most frequent pain site among depressed women, both before (p = 0.04) and after delivery (p = 0.01). There were no associations between PPD and type of posture (p = 0.328). However, pain intensity was greater among depressed women in the swayback group (p &lt; 0.001). CONCLUSION: The intensification of puerperal pain is closely associated with PPD. Our results suggest that back pain may be both a risk factor and a comorbidity of PPD among puerperal women and that pain and type of posture are interdependent. <hr/> OBJETIVO: Verificar a associação entre depressão pós-parto (DPP), intensificação do quadro álgico na região posterior do tronco e exacerbação das alterações no alinhamento postural intrínsecas ao puerpério. MÉTODOS: Foram selecionadas 80 mulheres em pós-parto de 2 a 30 semanas, de acordo com os seguintes critérios: mães alfabetizadas; gestação entre 34 e 42 semanas; parição de bebê saudável e vivo. Todas as mães concordaram em participar da pesquisa. Os sintomas depressivos foram rastreados através da Escala de Depressão Pós-natal de Edimburgo (EDPE). A avaliação da dor ocorreu através de uma escala visual analógica (EVA) e do Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares (QNSO). Para avaliação postural, empregou-se observação naturalística em tempo real. RESULTADOS: Foi verificada associação estatisticamente significativa entre DPP e maior intensidade de dor referida (p = 0,002). A região dorsal foi o sítio doloroso mais apontado pelas puérperas deprimidas, tanto no período pré-puerperal (p = 0,04), quanto no puerpério (p = 0,01). Não houve associação estatística entre DPP e tipo postural (p = 0,328). No entanto, a intensidade da dor foi maior entre as mulheres deprimidas no grupo com postura desleixada (swayback) (p &lt; 0,001). CONCLUSÃO: A intensificação do quadro álgico puerperal associa-se fortemente à DPP. Nas puérperas deste estudo, a dor na região dorsal aparentemente se comportou tanto como um fator de risco quanto como uma comorbidade de DPP. Admite-se que existe uma relação de interdependência entre dor e tipo postural. <![CDATA[Brazilian Portuguese version of the Patient Competency Rating Scale (PCRS-R-BR): semantic adaptation and validity]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892014000100040&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study describes the adaptation of a revised Brazilian version of the Patient Competency Rating Scale (PCRS-R-BR), which focuses on executive, mnemonic, and attention functions. Evidence of content-based and external validity is also reported. The cross-cultural adaptation was conducted in five phases: 1) translations and back translations; 2) item analysis by authors; 3) classification by experts; 4) revisions and reformulations by authors; 5) pilot study with a sample of patients with mild and moderate/severe traumatic brain injury (TBI). Data were analyzed descriptively, and the PCRS-R-BR scores of groups with mild vs. moderate/severe TBI were compared using the Mann-Whitney test. Patients and their relatives were divided into groups and compared using repeated-measures analysis. The results of the PCRS-R-BR questionnaire for relatives and discrepancy scores of patients with moderate/severe TBI revealed significantly more impairment than that found in the group of patients with mild TBI. There were significant differences between item and total scores of both groups of patients and relatives. Results indicated a high level of item content agreement between experts. This study found initial evidence of PCRS-R-BR content-based and external validity when the questionnaire was applied to patients with mild and moderate/severe TBI and their relatives.<hr/>O presente artigo teve como objetivo apresentar a adaptação transcultural e evidências de validade externa e de conteúdo da versão brasileira revisada da Patient Competency Rating Scale (PCRS-R-BR), com foco nas funções executivas, mnemônicas e atencionais. A adaptação transcultural incluiu cinco fases: 1) tradução e retrotradução; 2) análise de itens por autores; 3) análise de especialistas; 4) revisões e reformulações dos autores; 5) estudo piloto em pacientes com traumatismo cranioencefálico (TCE) leve e moderado/grave. Os dados foram analisados descritivamente e os pacientes com TCE leve e moderado/grave foram comparados nos escores da PCRS-R-BR pelo teste Mann-Whitney. Os pacientes e familiares foram comparados por grupo através da análise de medidas repetidas. Os pacientes com TCE moderado/grave tiveram maior prejuízo que os pacientes com TCE leve no formulário da PCRS-R-BR dos familiares e no escore de discrepância entre pacientes e familiares. Os resultados indicam bons e altos níveis de concordância entre especialistas frente aos componentes avaliados pelos itens. Esse estudo apresentou evidências iniciais de validade de conteúdo da PCRS-R-BR para pacientes com TCE leve e moderado/severo e seus familiares. <![CDATA[Forty years of a psychiatric day hospital]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892014000100052&lng=en&nrm=iso&tlng=en INTRODUCTION: Day hospitals in psychiatry are a major alternative to inpatient care today, acting as key components of community and social psychiatry. Objective: To study trends in the use of psychiatric day hospitals over the last decades of the 20th century and the first decade of the 21st century, focusing on patient age, sex, and diagnostic group, using data from Centro Hospitalar São João, Porto, Portugal. METHODS: Data corresponding to years 1970 to 2009 were collected from patient files. Patients were classified into seven diagnostic groups considering their primary diagnoses only. RESULTS: Mean age upon admission rose from 32.7±12.1 years in the second half of the 1970s to 43.5±12.2 years in 2005-2009 (p for trend &lt; 0.001). Most patients were female (63.2%), however their proportion decreased from nearly 70% in the 1970s to 60% in the first decade of the 21st century. In males, until the late 1980s, neurotic disorders (E) were the most common diagnosis, accounting for more than one third of admissions. In the subsequent years, this proportion decreased, and the number of admissions for schizophrenia (C) exceeded 50% in 2004- 2009. In females, until the late 1980s, affective disorders (D) and neurotic disorders (E), similarly distributed, accounted for most admissions. From the 1990s on, the proportion of neurotic disorders (E) substantially decreased, and affective disorders (D) came to represent more than 50% of all admissions. CONCLUSIONS: Mean age upon admission rose with time, as did the percentage of female admissions, even though the latter tendency weakened in the last 10 years assessed. There was also an increase in the proportion of patients with schizophrenia. <hr/> INTRODUÇÃO: Os hospitais de dia em psiquiatria representam atualmente uma das principais alternativas ao internamento, atuando como componentes chave na psiquiatria comunitária e social. OBJETIVO: Avaliar tendências na utilização de um hospital de dia no período compreendido entre as últimas décadas do século 20 e a primeira década do século 21, com foco em idade, sexo e grupo diagnóstico, usando dados do Centro Hospitalar São João, Porto, Portugal. MÉTODOS: Dados correspondentes aos anos 1970 a 2009 foram coletados dos prontuários clínicos. Os pacientes foram classificados em sete grupos diagnósticos, tendo em conta o diagnóstico principal. Resultados: A idade média na admissão aumentou de 32.7±12.1 anos na segunda metade da década de 1970 para 43.5±12.2 anos em 2005-2009 (p &lt; 0.001). A maioria dos pacientes era do sexo feminino (63.2%), no entanto sua proporção diminuiu de cerca de 70% na década de 1970 para 60% na primeira década do século 21. Nos homens, até o final dos anos 1980, o grupo das perturbações neuróticas (E) era o diagnóstico mais comum, representando mais de um terço das admissões. Durante os anos seguintes, essa proporção diminuiu, e o número de admissões por esquizofrenia (C) alcançou mais de 50% no período de 2004-2009. Nas mulheres, até o final dos anos 1980, as perturbações afetivas (D) e as perturbações neuróticas (E), distribuídas similarmente, respondiam pela maioria das admissões. A partir dos anos 1990, a proporção das perturbações neuróticas (E) diminuiu substancialmente, e as perturbações afetivas (D) passaram a corresponder a mais de 50% do total das admissões. Conclusões: A idade média na admissão aumentou com o tempo, e verificou-se uma maior porcentagem de admissões no sexo feminino, embora esta última tendência tenha sido atenuada nos últimos 10 anos avaliados. Houve também um aumento na proporção de pacientes com esquizofrenia.