Scielo RSS <![CDATA[Trends in Psychiatry and Psychotherapy]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=2237-608920160004&lang=pt vol. 38 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[O futuro da pesquisa em psiquiatria]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892016000400185&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Psychiatric disorders place considerable burden on individuals and on public health. Funding for research in psychiatry is less than ideal, but even so high quality research is being conducted at many centers. However, these studies have not impacted clinical practice as much as expected. The complexity of psychiatric disorders is one of the reasons why we face difficulties in translating research results to patient care. New technologies and improved methodologies are now available and must be incorporated to deal with this complexity and to accelerate the translational process. I discuss the application of modern techniques for data acquisition and analysis and also the new possibilities for performing trials in virtual models of biological systems. Adoption of new technologies is necessary, but will not reduce the importance of some of the fundamentals of all psychiatry research, such as the developmental and translational perspectives. Psychiatrists wishing to integrate these novelties into their research will need to work with contributors with whom they are unaccustomed to working, such as computer experts, a multidisciplinary team, and stakeholders such as patients and caregivers. This process will allow us to further understand and alleviate the suffering and impairment of people with psychiatric disorders.<hr/>Resumo Os transtornos psiquiátricos são responsáveis por uma significativa carga de doença tanto no nível individual quanto na saúde pública. Mesmo com financiamento abaixo do ideal, muitas pesquisas de alta qualidade vêm sendo executadas em vários centros. Entretanto, o impacto desses estudos na prática clínica é menor que o esperado. A complexidade dos transtornos psiquiátricos é uma das razões pelas quais enfrentamos tanta dificuldade na translação dos resultados das pesquisas para a prática clínica. Novas tecnologias e metodologias aperfeiçoadas já estão disponíveis e devem ser incorporadas para lidar com esta complexidade e acelerar o processo translacional. Discuto, neste artigo, a aplicação de técnicas modernas para a coleta e análise de dados e as novas possibilidades para a realização de testes em modelos virtuais dos sistemas biológicos. A adoção das novas tecnologias é necessária, mas não reduzirá a importância de fundamentos da pesquisa em psiquiatria, como as perspectivas desenvolvimental e translacional. Os psiquiatras que desejarem integrar essas novas tecnologias à suas pesquisas terão que trabalhar com colaboradores com os quais não estão acostumados, como especialistas em informática, equipes multidisciplinares e representantes de partes interessadas nos resultados, como pacientes e provedores de cuidados assistenciais. Esse processo permitirá um avanço no conhecimento e no alívio do sofrimento e da incapacidade das pessoas com transtornos psiquiátricos. <![CDATA[Estimulação magnética transcraniana para o tratamento de depressão maior durante a gestação: uma revisão]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892016000400190&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Pregnancy is characterized by a high prevalence of mental disorders. Depression is the most common of these disorders and it is a risk factor for negative maternal and child development outcomes. Psychotherapy and pharmacotherapy are conventional and well-established therapeutic options, but some clients fail to respond and the safety of using some pharmacological agents during pregnancy is unclear. Some neuromodulation techniques, such as repetitive transcranial magnetic stimulation (rTMS), have been studied in depressed pregnant women. Objective: To evaluate the safety and efficacy of rTMS for major depression in pregnant women. Methods: The LILACS and PubMed databases were reviewed using the search terms depression, pregnancy and magnetic stimulation. Texts including primary data, published in Portuguese, Spanish, or English, between 1995 and 2014, that evaluated depressed pregnant women and used rTMS as the intervention were selected. Papers lacking sufficient data were excluded. Twenty-two texts were initially identified; after applying the inclusion criteria, 12 were selected and analyzed. Results: The studies reviewed reported satisfactory responses to rTMS in acute depressive episodes, as measured using depressive symptom scales. Remission of symptoms was achieved in many cases. The procedure was well tolerated and there were no reports of damage/complications to unborn children. Conclusion: The data available at this time support the efficacy and tolerability of rTMS for depression in pregnant women. Controlled studies should corroborate this conclusion. This review only included studies in three languages and the resulting sample size was not large enough to conduct a meta-analysis.<hr/>Resumo Introdução: A gestação é caracterizada por uma alta prevalência de transtornos mentais. A depressão é a mais comum entre essas doenças e é fator de risco para desfechos negativos maternos e de desenvolvimento da criança. Psicoterapia e farmacoterapia são opções terapêuticas convencionais e bem estabelecidas, mas algumas pacientes não apresentam resposta, e a segurança do uso de alguns psicofármacos durante a gestação não é clara. Algumas técnicas de neuromodulação, como estimulação magnética transcraniana repetitiva ( repetitive transcranial magnetic stimulation , rTMS), vêm sendo estudadas em gestantes com depressão. Objetivo: Avaliar a segurança e a eficácia da rTMS para depressão maior em mulheres gestantes. Métodos: As bases de dados LILACS e PubMed foram revisadas utilizando os termos depressão, gestação e estimulação magnética. Textos originais, publicados em português, espanhol, ou inglês, entre 1995 e 2014, que avaliaram gestantes com depressão e utilizaram rTMS como intervenção, foram selecionados. Artigos com dados insuficientes foram excluídos. Vinte e dois textos foram inicialmente identificados; após a aplicação dos critérios de inclusão, 12 foram selecionados e analisados. Resultados: Os estudos revisados demonstraram resposta satisfatória com rTMS em episódios depressivos agudos, avaliada com escalas de sintomas depressivos. Houve remissão em muitos casos. O procedimento foi bem tolerado e não houve relatos de danos/complicações aos bebês. Conclusão: Os dados disponíveis até o momento sugerem a eficácia e tolerabilidade de rTMS para depressão em gestantes. Estudos controlados devem corroborar esta conclusão. Esta revisão incluiu apenas estudos em três idiomas e resultou em um tamanho amostral insuficiente para conduzir uma metanálise. <![CDATA[Alterações no lobo frontal na esquizofrenia: uma revisão]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892016000400198&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: To highlight the changes in the frontal lobe of the human brain in people with schizophrenia. Methods: This was a qualitative review of the literature. Results: Many schizophrenic patients exhibit functional, structural, and metabolic abnormalities in the frontal lobe. Some patients have few or no alterations, while some have more functional and structural changes than others. Magnetic resonance imaging (MRI) shows structural and functional changes in volume, gray matter, white matter, and functional activity in the frontal lobe, but the mechanisms underlying these changes are not yet fully understood. Conclusion: When schizophrenia is studied as an essential topic in the field of neuropsychiatry, neuroscientists find that the frontal lobe is the most commonly involved area of the human brain. A clear picture of how this lobe is affected in schizophrenia is still lacking. We therefore recommend that further research be conducted to improve understanding of the pathophysiology of this psychiatric dilemma.<hr/>Resumo Objetivo: Descrever as alterações no lobo frontal do cérebro humano em indivíduos com esquizofrenia. Métodos: Esta foi uma revisão qualitativa da literatura. Resultados: Muitos pacientes esquizofrênicos exibem anormalidades funcionais, estruturais e metabólicas no lobo frontal. Alguns pacientes apresentam poucas ou nenhuma alteração, ao passo que outros apresentam mais alterações funcionais e estruturais quando comparados com seus pares. A ressonância magnética é capaz de demonstrar alterações estruturais e funcionais em volume, substância cinzenta, substância branca e atividade funcional do lobo frontal, porém os mecanismos subjacentes a essas alterações ainda não são completamente compreendidos. Conclusão: Quando a esquizofrenia é estudada como um tópico central na área da neuropsiquiatria, os neurocientistas observam que o lobo frontal é a área do cérebro humano mais comumente envolvida. Uma imagem clara de como esse lobo é afetado na esquizofrenia permanece inexistente. Portanto, recomendamos que mais pesquisas sejam conduzidas para melhorar nosso entendimento sobre a fisiopatologia desse dilema psiquiátrico. <![CDATA[Adaptação transcultural da Posttraumatic Stress Disorder Checklist 5 (PCL-5) e da Life Events Checklist 5 (LEC-5) para o contexto brasileiro]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892016000400207&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: To describe the process of cross-cultural adaptation of the Posttraumatic Stress Disorder Checklist 5 (PCL-5) and the Life Events Checklist 5 (LEC-5) for the Brazilian sociolinguistic context. Method: The adaptation process sought to establish conceptual, semantic, and operational equivalence between the original items of the questionnaire and their translated versions, following standardized protocols. Initially, two researchers translated the original version of the scale into Brazilian Portuguese. Next, a native English speaker performed the back-translation. Quantitative and qualitative criteria were used to evaluate the intelligibility of items. Five specialists compared the original and translated versions and assessed the degree of equivalence between them in terms of semantic, idiomatic, cultural and conceptual aspects. The degree of agreement between the specialists was measured using the content validity coefficient (CVC). Finally, 28 volunteers from the target population were interviewed in order to assess their level of comprehension of the items. Results: CVCs for items from both scales were satisfactory for all criteria. The mean comprehension scores were above the cutoff point established. Overall, the results showed that the adapted versions' items had adequate rates of equivalence in terms of concepts and semantics. Conclusions: The translation and adaptation processes were successful for both scales, resulting in versions that are not only equivalent to the originals, but are also intelligible for the population at large.<hr/>Resumo Objetivo: Descrever o processo de adaptação transcultural das escalas Posttraumatic Stress Disorder Checklist 5 (PCL-5) e Life Events Checklist 5 (LEC-5) para o contexto sociolinguístico brasileiro. Método: A adaptação das escalas buscou estabelecer a equivalência conceitual, semântica e operacional entre os itens originais das escalas e suas versões traduzidas, por meio de um protocolo padronizado. Inicialmente, dois pesquisadores traduziram as versões originais para o português. Na sequência, um falante nativo de língua inglesa realizou a tradução reversa. A inteligibilidade dos itens foi analisada por meio de critérios quantitativos e qualitativos. Cinco especialistas compararam as versões originais e traduzidas e avaliaram o grau de equivalência entre elas nos quesitos semântico, idiomático, cultural e conceitual. O grau de concordância entre os especialistas foi medido pelo coeficiente de validade de conteúdo (CVC). Por fim, 28 voluntários da população-alvo foram entrevistados para verificar o nível de compreensão dos itens. Resultados: Os itens das duas escalas apresentaram CVCs satisfatórios em todos os quesitos. Os escores médios referentes ao grau de compreensão dos itens foram acima do ponto de corte estabelecido. No conjunto, os resultados indicaram índices adequados de equivalência conceitual e semântica para os itens das versões adaptadas. Conclusão: O processo de tradução e adaptação foi bem-sucedido para as duas escalas, resultando em versões não apenas equivalentes às originais, mas também compreensíveis para a população-alvo em geral. <![CDATA[Ritmo de atividade e repouso em adolescentes deprimidos durante terapia: estudos de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892016000400216&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Disorders of circadian rhythms have been reported in studies of both depressed children and of depressed adolescents. The aim of this study was to evaluate whether there is a relationship between the 24-hour spectral power (24h SP) of the activity/rest rhythm and the clinical course of depression in adolescents. Methods: Six 14 to 17-year-old adolescents were recruited for the study. They were all suffering from major depressive disorder, according to the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 4th edition (DSM-IV) criteria, as identified by the Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia for School Aged Children: Present and Lifetime Version (K-SADS-PL). Depressive symptoms were assessed using the Children's Depression Rating Scale - Revised (CDRS-R) and clinical evaluations. Locomotor activity was monitored over a period of 13 consecutive weeks. Activity was measured for 10-minute periods using wrist-worn activity monitors. All patients were prescribed sertraline from after the first week up until the end of the study. Results: We found a relationship between high CDRS values and low 24-hour spectral power. Conclusions: The 24h SP of the activity/rest rhythm correlated significantly (negatively) with the clinical ratings of depression.<hr/>Resumo Introdução: Distúrbios do ritmo circadiano têm sido relatados em estudos com crianças e adolescentes deprimidos. O objetivo deste estudo foi avaliar se existe relação entre a potência espectral de 24 horas do ritmo de atividade e repouso e sintomas clínicos de depressão em adolescentes. Métodos: Seis adolescentes com idade entre 14 e 17 anos foram recrutados para o estudo. Eles foram diagnosticados com depressão maior de acordo com os critérios do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, 4ª edição (DSM-IV), identificados utilizando-se o instrumento Schedule for Affective Disorders and Schizophrenia for School Aged Children: Present and Lifetime Version (K-SADS-PL). Os sintomas depressivos foram avaliados pelo questionário Children's Depression Rating Scale - Revised (CDRS-R) e por avaliações clínicas. A atividade motora foi monitorada por um período de 13 semanas consecutivas e registrada a cada 10 minutos utilizando-se monitores de atividades usados no pulso. Todos os pacientes utilizaram o antidepressivo sertralina começando após a primeira semana até o final do estudo. Resultados: Foi observada uma relação entre escores altos no CDRS-R e valores baixos de potência espectral de 24 horas no ritmo de atividade e repouso. Conclusão: A potência espectral de 24 horas do ritmo de atividade e repouso apresentou uma correlação significativa (negativa) com os sintomas clínicos de depressão. <![CDATA[Tradução e adaptação transcultural da Escala para Avaliação de Contratransferência para a língua inglesa americana]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892016000400221&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: The Rating Scale for Countertransference (RSCT) - originally, Escala para Avaliação de Contratransferência (EACT) - is a self-administered instrument comprising questions that assess 23 feelings (divided into three blocs, closeness, distance, and indifference) that access conscious countertransferential emotions and sentiments. This paper describes the process of translation and cross-cultural adaptation of the RSCT into American English. Methods: This study employed the guidelines proposed by the International Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research (ISPOR) Task Force for Translation and Cultural Adaptation which define 10 steps for translation and cross-cultural adaptation of self-report instruments. Additionally, semantic equivalence tools were employed to select the final versions of terms used. The author of the RSCT gave permission for translation and took part in the process. The instrument is available for use free of charge. Results: Analysis of the back-translation showed that just seven of the 23 terms needed to be adjusted to arrive at the final version in American English. Conclusions: This study applied rigorous standards to construct a version of the RSCT in American English. This version of the RSCT translated and adapted into American English should be of great use for accessing and researching countertransferential feelings that are part of psychodynamic treatment.<hr/>Resumo Introdução: A Escala para Avaliação de Contratransferência (EACT) é um instrumento autoaplicável composto por perguntas que avaliam 23 sentimentos (divididos em aproximação, em afastamento e em indiferença), que permite acessar os sentimentos contratransferenciais conscientes. Este trabalho descreve o processo de tradução e adaptação transcultural da EACT para a língua inglesa americana. Métodos: O presente estudo utilizou a diretriz por força-tarefa proposta pela International Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research (ISPOR) que realiza em 10 passos a tradução e a adaptação transcultural de instrumentos autoaplicáveis. Além disso, ferramentas de equivalência semântica foram utilizadas para selecionar a versão final dos termos. O autor da EACT autorizou e participou do processo de tradução. O instrumento está disponível para uso gratuito. Resultados: A avaliação da retrotradução mostrou que somente sete termos tiveram que ser ajustados para a realização da versão final na língua inglesa americana. Conclusão: O presente estudo construiu, segundo rígidos padrões, uma versão na língua inglesa americana da EACT. A versão traduzida e adaptada da EACT para a língua inglesa americana pode ser de grande utilidade para acessar e pesquisar sentimentos contratransferenciais que fazem parte do tratamento psicodinâmico. <![CDATA[Principais transtornos mentais em usuários de crack em tratamento nos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas na cidade do Recife, Brasil]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892016000400227&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Brazil's Northeast region has the highest crack-cocaine consumption in the country. Crack-cocaine has more intense effects than cocaine powder and can cause greater chemical dependence. Psychosocial Care Centers for Alcohol and Drugs (CAPSad) are public health services that provide treatment for drug dependence. It is common for drug users, and particularly crack-cocaine users, to develop mental disorders. Objective: To evaluate the most common mental disorders in crack-cocaine dependents in treatment at CAPSad in the city of Recife, Brazil. Methods: The research database "Between rocks and shots: user profiles, consumption strategies, and social impact of crack cocaine" (CEP/CCS/UFPE no. 206/11) was consulted to establish the areas of crack cocaine consumption in the city of Recife. Results: There were 885 patients in treatment for crack-cocaine use, with a mean age of 29.8±9.4 years. The mean duration of drug use was 6.1±4.6 years. Most of the patients were males (80.3%), had left school at some point between the 1st and 9th grades (45.6%), were unemployed and/or seeking employment (52%) and used drugs daily (56.4%). Cocaine chemical dependence was more significant when correlated with use of crack-cocaine and other drugs such as medications and hallucinogens (p = 0.01). Conclusions: Data from this study showed strong associations between crack-cocaine uses and development of mental disorders, particularly when abuse of multiple substances occurs. Based on these data, there is a clear need for coordination of related public policies for support and social reintegration to provide these people with comprehensive care.<hr/>Resumo Introdução: A região Nordeste do Brasil possui o maior consumo de crack no país. O crack proporciona efeitos mais intensos comparados aos da cocaína em pó, podendo causar dependência química maior. Os Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPSad) são serviços públicos de saúde que promovem o tratamento para dependência de drogas. Normalmente, o uso de drogas pode desenvolver transtornos mentais, principalmente em usuários de crack. Objetivo: Avaliar os principais transtornos mentais em dependentes de crack em tratamento nos CAPSad da cidade do Recife. Métodos: O banco de dados da pesquisa "Entre pedras e tiros: perfil dos usuários, estratégias de consumo e impacto social do crack" (CEP/CCS/UFPE nº 206/11) foi consultado para estabelecer as áreas de consumo de crack na cidade do Recife. Resultados: Havia 885 pacientes em tratamento devido ao uso de crack, com média de idade de 29,8±9,4 anos. A duração média do uso de drogas foi de 6,1±4,6 anos. A maioria dos pacientes era do sexo masculino (80,3%), com primeiro ao nono ano incompleto (45,6%), desempregados e/ou procurando emprego (52%) e uso diário de drogas (56,4%). A dependência química da cocaína foi mais significativa quando correlacionada ao uso associado de crack e outras drogas como medicamentos e alucinógenos (p = 0,01) . Conclusão: Os dados deste estudo mostraram fortes associações entre uso de crack e desenvolvimento de transtornos mentais, particularmente quando ocorre multiuso. Mostra-se a necessidade de coordenação de outras políticas públicas de apoio e reintegração social para atendimento integral a essas pessoas. <![CDATA[Existe correlação entre a mudança percebida pelo médico e a mudança percebida pelo paciente? Uso da Escala de Mudança Percebida em pacientes com transtornos mentais internados]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892016000400234&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Assessment of the results of treatment for mental disorders becomes more complete when the patient's perspective is incorporated. Here, we aimed to evaluate the psychometric properties and application of the Perceived Change Scale - Patient version (PCS-P) in a sample of inpatients with mental disorders. Methods: One hundred and ninety-one psychiatric inpatients answered the PCS-P and the Patients' Satisfaction with Mental Health Services Scale (SATIS) and were evaluated in terms of clinical and sociodemographic data. An exploratory factor analysis (EFA) was performed and internal consistency was calculated. The clinical impressions of the patient, family, and physician were correlated with the patient's perception of change. Results: The EFA indicated a psychometrically suitable four-factor solution. The PCS-P exhibited a coherent relationship with SATIS and had a Cronbach's alpha value of 0.856. No correlations were found between the physician's clinical global impression of improvement and the patient's perception of change, although a moderate positive correlation was found between the patients' clinical global impression of improvement and the change perceived by the patient. Conclusions: The PCS-P exhibited adequate psychometric proprieties in a sample of inpatients with mental disorders. The patient's perception of change is an important dimension for evaluation of outcomes in the treatment of mental disorders and differs from the physician's clinical impression of improvement. Evaluation of positive and negative perceptions of the various dimensions of the patient's life enables more precise consideration of the patient's priorities and interests.<hr/>Resumo Introdução: A avaliação dos resultados do tratamento para transtornos mentais torna-se mais completa quando a perspectiva do paciente é incluída. O objetivo deste trabalho foi avaliar as propriedades psicométricas e a aplicação da Escala de Mudança Percebida - Versão do Paciente (EMP-P) em uma amostra de pacientes internados com transtornos mentais. Métodos: Um total de 191 pacientes psiquiátricos internados responderam a EMP-P e a Escala de Avaliação da Satisfação dos Usuários com os Serviços de Saúde Mental (SATIS), além de serem avaliados quanto a dados clínicos e sociodemográficos. Foi realizada análise fatorial exploratória (AFE) e calculada a consistência interna. As impressões clínicas do paciente, da família e do médico foram correlacionadas com a mudança percebida pelo paciente. Resultados: A AFE indicou uma solução de quatro fatores psicometricamente adequada. A EMP-P apresentou uma relação coerente com a SATIS e um alfa de Cronbach de 0,856. Não foi encontrada correlação entre impressão clínica global de melhora pelo médico e mudança percebida pelo paciente, embora uma correlação positiva moderada tenha sido observada entre impressão clínica global de melhora pelo paciente e mudança percebida pelo paciente. Conclusão: A EMP-P exibiu propriedades psicométricas adequadas em uma amostra de pacientes com transtornos mentais internados. A percepção de mudança pelo paciente é uma importante dimensão para a avaliação de resultados no tratamento de transtornos mentais e difere da impressão clínica de melhora do médico. A avaliação das percepções positivas e negativas das diversas dimensões da vida dos pacientes permite uma análise mais precisa de suas prioridades e interesses. <![CDATA[Adição a cocaína: tratamentos e perspectivas futuras]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892016000400242&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Assessment of the results of treatment for mental disorders becomes more complete when the patient's perspective is incorporated. Here, we aimed to evaluate the psychometric properties and application of the Perceived Change Scale - Patient version (PCS-P) in a sample of inpatients with mental disorders. Methods: One hundred and ninety-one psychiatric inpatients answered the PCS-P and the Patients' Satisfaction with Mental Health Services Scale (SATIS) and were evaluated in terms of clinical and sociodemographic data. An exploratory factor analysis (EFA) was performed and internal consistency was calculated. The clinical impressions of the patient, family, and physician were correlated with the patient's perception of change. Results: The EFA indicated a psychometrically suitable four-factor solution. The PCS-P exhibited a coherent relationship with SATIS and had a Cronbach's alpha value of 0.856. No correlations were found between the physician's clinical global impression of improvement and the patient's perception of change, although a moderate positive correlation was found between the patients' clinical global impression of improvement and the change perceived by the patient. Conclusions: The PCS-P exhibited adequate psychometric proprieties in a sample of inpatients with mental disorders. The patient's perception of change is an important dimension for evaluation of outcomes in the treatment of mental disorders and differs from the physician's clinical impression of improvement. Evaluation of positive and negative perceptions of the various dimensions of the patient's life enables more precise consideration of the patient's priorities and interests.<hr/>Resumo Introdução: A avaliação dos resultados do tratamento para transtornos mentais torna-se mais completa quando a perspectiva do paciente é incluída. O objetivo deste trabalho foi avaliar as propriedades psicométricas e a aplicação da Escala de Mudança Percebida - Versão do Paciente (EMP-P) em uma amostra de pacientes internados com transtornos mentais. Métodos: Um total de 191 pacientes psiquiátricos internados responderam a EMP-P e a Escala de Avaliação da Satisfação dos Usuários com os Serviços de Saúde Mental (SATIS), além de serem avaliados quanto a dados clínicos e sociodemográficos. Foi realizada análise fatorial exploratória (AFE) e calculada a consistência interna. As impressões clínicas do paciente, da família e do médico foram correlacionadas com a mudança percebida pelo paciente. Resultados: A AFE indicou uma solução de quatro fatores psicometricamente adequada. A EMP-P apresentou uma relação coerente com a SATIS e um alfa de Cronbach de 0,856. Não foi encontrada correlação entre impressão clínica global de melhora pelo médico e mudança percebida pelo paciente, embora uma correlação positiva moderada tenha sido observada entre impressão clínica global de melhora pelo paciente e mudança percebida pelo paciente. Conclusão: A EMP-P exibiu propriedades psicométricas adequadas em uma amostra de pacientes com transtornos mentais internados. A percepção de mudança pelo paciente é uma importante dimensão para a avaliação de resultados no tratamento de transtornos mentais e difere da impressão clínica de melhora do médico. A avaliação das percepções positivas e negativas das diversas dimensões da vida dos pacientes permite uma análise mais precisa de suas prioridades e interesses.