Scielo RSS <![CDATA[Trends in Psychiatry and Psychotherapy]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=2237-608920170001&lang=pt vol. 39 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Desempenho em tarefas de atenção, memória, habilidades visuoconstrutivas e funções executivas em adolescentes com transtornos de ansiedade: um estudo comunitário caso-controle]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: The aim of the present study was to assess children and adolescents with mild and severe anxiety disorders for their performance in attention, verbal episodic memory, working memory, visuoconstructive skills, executive functions, and cognitive global functioning and conduct comparative analyses with the performance of children free from anxiety disorders. Methods: Our sample comprised 68 children and adolescents aged 10 to 17 years (41 with current diagnoses of anxiety disorders and 27 controls) selected from a larger cross-sectional community sample of adolescents. Children and adolescents with anxiety disorders were categorized into two groups on the basis of anxiety severity (mild or severe). All participants underwent a neuropsychological assessment battery to evaluate attention, verbal episodic memory, working memory, visuoconstructive skills, and executive and cognitive functions. Results: No differences were found in any neuropsychological tests, with the single exception that the group with mild anxiety had better performance on the Digit Span backward test compared to subjects with severe anxiety and to controls (p = 0.041; η2 = 0.11). Conclusions: Not only might anxiety disorders spare main cognitive functions during adolescence, they may even enhance certain working memory processes.<hr/>Resumo Objetivo: Este estudo objetivou avaliar crianças e adolescentes com transtornos de ansiedade leve e moderada nas funções neuropsicológicas de atenção, memória episódica verbal, memória de trabalho, habilidades visuoconstrutivas, funções executivas e cognição global, comparando o seu desempenho ao de crianças com desenvolvimento típico. Métodos: Participaram do estudo 68 crianças e adolescentes com idade de 10 a 17 anos (41 com diagnósticos clínicos atuais de transtornos de ansiedade e 27 controles), selecionados de uma amostra transversal mais ampla de adolescentes da comunidade. Os adolescentes com diagnóstico foram divididos ainda em dois grupos com base na gravidade dos transtornos (leve ou moderado). Todos os participantes realizaram uma avaliação neuropsicológica individual das funções de atenção, memória episódica verbal, memória de trabalho, habilidades visuoconstrutivas, funções executivas e cognição global. Resultados: Nenhum dos testes neuropsicológicas demonstrou diferenças significativas, sendo a única exceção a tarefa de span de dígitos ordem inversa, na qual o grupo com ansiedade leve apresentou desempenho superior ao do grupo com ansiedade moderada e também ao dos controles (p = 0.041; η2 = 0.11). Conclusão: Os resultados sugerem que não só os transtornos de ansiedade podem preservar as principais funções cognitivas durante a adolescência, mas que podem até melhorar certos processos de memória de trabalho. <![CDATA[Rastreio de sintomas ansiosos e depressivos em pacientes com síndrome coronariana aguda internados em um hospital universitário]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: To investigate the prevalence of anxiety and depression in patients admitted for acute coronary syndrome to a university hospital and to examine associations with use of psychotropic drugs. Methods: Ninety-one patients who had had an acute coronary event were enrolled on this cross-sectional prevalence study. Characteristics of the study population and the prevalence rates of depression and anxiety in the sample were assessed using the Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) psychiatric consultation protocol, which includes clinical and sociodemographic data, and the Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS). Results: The prevalence of symptoms of anxiety was 48.4% (44 patients) and the prevalence of depressive symptoms was 26.4% (24 patients). Of these, 19 patients (20.9% of the whole sample) had scores indicative of both types of symptoms concomitantly. Considering the whole sample, just 17 patients (18.7%) were receiving treatment for anxiety or depression with benzodiazepines and/or antidepressants. Conclusions: Anxiety and depression are disorders that are more prevalent among patients with acute coronary syndrome than in the general population, but they are generally under-diagnosed and under-treated. Patients with anxiety and depression simultaneously had higher scores on the HADS for anxiety and depression and therefore require more intensive care.<hr/>Resumo Objetivo: Investigar a prevalência de ansiedade e depressão em pacientes com síndrome coronariana aguda internados em um hospital universitário e examinar sua associação com o uso de drogas psicotrópicas. Métodos: Noventa e um pacientes que sofreram evento coronariano agudo foram incluídos nesse estudo transversal de prevalência. O protocolo de interconsulta psiquiátrica do Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), com os dados clínicos e sociodemográficos, e a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HADS) foram utilizados para avaliar as características da população estudada e a prevalência de depressão e ansiedade nessa amostra. Resultados: A prevalência de sintomas ansiosos foi de 48,4% (44 pacientes), e a de sintomas depressivos, de 26,4% (24 pacientes). Desses, 19 (20,9% do total da amostra) pontuaram para os dois sintomas concomitantemente. Considerando a amostra como um todo, apenas 17 pacientes (18,7%) estavam recebendo tratamento para ansiedade ou depressão com benzodiazepínicos e/ou antidepressivos. Conclusão: Ansiedade e depressão são transtornos mais prevalentes em pacientes com síndrome coronariana aguda do que na população geral, mas geralmente são subdiagnosticados e subtratados. Os pacientes com presença simultânea de ansiedade e depressão apresentam escores mais altos na escala HADS para ansiedade e depressão e necessitam, portanto, de um controle mais intensivo. <![CDATA[Avaliação dos fatores associados à adesão de fumantes a um grupo de apoio de curta duração para a cessação de tabagismo: um estudo longitudinal em um país em desenvolvimento]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000100019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: The aim of this study was to determine which individual characteristics of smokers are associated with their adherence to a support group for smoking cessation. Methods: Smokers from Porto Alegre, Brazil, were invited to participate in a support group for smoking cessation consisting of four weekly sessions. Demographic data, smoking history, presence of tobacco-related diseases, severity of nicotine dependence, stage of motivation, and symptoms of anxiety and depression were evaluated at baseline. Adherence was defined as attendance at group sessions and was measured at the second and fourth sessions of the program. Results: The study recruited 167 smokers who attended the first meeting and met criteria for admission to the study. One hundred and two of the participants returned to the second session and only 55 of those who attended the first meeting completed the four-week program. For immediate adherence (second session), adult smokers over the age of 35 were more likely to adhere to the treatment (p = 0.004), whereas smoking higher numbers of cigarettes per day was associated with lower adherence to attendance at group meetings (p = 0.031). For final adherence (fourth session), only minimal level symptoms of anxiety were associated with a higher likelihood of adherence (p = 0.02). Conclusions: Older smokers, those who smoked fewer cigarettes per day, and those with lower levels of anxiety exhibited higher rates of adherence to a smoking cessation support group.<hr/>Resumo Objetivo: O objetivo deste estudo foi determinar quais características individuais de fumantes estão associadas à sua adesão a um grupo de apoio para a cessação do tabagismo. Métodos: Fumantes de Porto Alegre, Brasil, foram convidados a participar de um grupo de apoio para a cessação do tabagismo realizado em quatro reuniões semanais. Dados sociodemográficos, história tabagística, presença de doenças relacionadas ao tabaco, severidade da dependência de nicotina, estágio motivacional e sintomas de ansiedade e depressão foram avaliados no início do estudo. Adesão foi definida como estar presente nas reuniões do grupo, e foi medida na segunda e na quarta sessões do programa. Resultados: O estudo recrutou 167 fumantes que compareceram ao primeiro encontro e preencheram os critérios de inclusão. Desses participantes, 102 retornaram para a segunda sessão, e apenas 55 completaram as quatro semanas do programa. Com relação à adesão imediata (segunda sessão), adultos com idade superior a 35 anos mostraram maior probabilidade de aderir ao tratamento (p = 0.004), enquanto um maior número de cigarros por dia foi associado com menor adesão (p = 0.031). Para a adesão final (quarta sessão), apenas um nível mínimo de ansiedade foi associado com maior probabilidade de adesão (p = 0.02). Conclusões: Fumantes mais velhos, que fumavam menos cigarros por dia, e com menores níveis de ansiedade exibiram maiores taxas de adesão ao programa de apoio para a cessação do tabagismo. <![CDATA[Proposta para uma nova versão brasileira de seis itens da Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000100029&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Factor analysis of the Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS) could result in a shorter and easier to handle screening tool. Therefore, the aim of this study was to check and compare the metrics of two different 6-item EPDS subscales. Methods: We administered the EPDS to a total of 3,891 women who had given birth between 1 and 3 months previously. We conducted confirmatory and exploratory factor analyses and plotted receiver-operating characteristics (ROC) curves to, respectively, determine construct validity, scale items' fit to the data, and ideal cutoff scores for the short versions. Results: A previously defined 6-item scale did not exhibit construct validity for our sample. Nevertheless, we used exploratory factor analysis to derive a new 6-item scale with very good construct validity. The area under the ROC curve of the new 6-item scale was 0.986 and the ideal cutoff score was ≥ 6. Conclusions: The new 6-item scale has adequate psychometric properties and similar ROC curve values to the10-item version and offers a means of reducing the cost and time taken to administer the instrument.<hr/>Resumo Introdução: A análise fatorial da Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo (Edinburgh Postnatal Depression Scale, EPDS) poderia resultar em uma ferramenta de triagem mais curta e mais fácil de aplicar. Portanto, o objetivo deste estudo foi verificar e comparar as métricas de duas subescalas EPDS de 6 itens. Métodos: Administramos a EPDS a um total de 3.891 mulheres que deram à luz entre 1 e 3 meses antes da aplicação. Foram realizadas análises fatoriais confirmatórias e exploratórias e geradas curvas ROC (receiver-operating characteristics) para determinar, respectivamente, a validade do construto, o ajuste dos itens da escala aos dados, e os pontos de corte ideais para as versões curtas. Resultados: A escala de 6 itens previamente publicada não apresentou validade de construto para nossa amostra. No entanto, utilizamos a análise fatorial exploratória para derivar uma nova escala de 6 itens, que apresentou boa validade de construto. A área sob a curva ROC da nova escala de 6 itens foi 0,986, e o ponto de corte ideal foi ≥ 6. Conclusão: A nova escala de 6 itens possui propriedades psicométricas adequadas e valores de curva ROC semelhantes à versão de 10 itens e oferece um meio de reduzir o custo e o tempo necessário para administrar o instrumento. <![CDATA[Depressão, ansiedade, desesperança e qualidade de vida em usuários de cocaína/crack em tratamento ambulatorial]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000100034&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: To identify symptoms of anxiety, depression, and feelings of hopelessness in patients in outpatient treatment for substance dependency and to test for correlations with various aspects of their quality of life. Methods: A cross-sectional study of a sample of 25 men in recuperation from substance dependency, selected by convenience. We assessed symptoms of depression (Beck Depression Inventory-II), anxiety (Beck Anxiety Inventory), hopelessness (Beck Hopelessness Scale), and quality of life (World Health Organization Quality of Life instrument-Abbreviated version [WHOQOL-Bref]), and also analyzed sociodemographic profile, substance abuse, and family history. Categorical variables were expressed as frequencies and percentages and quantitative variables as means and standard deviations or as medians and interquartile ranges. We also analyzed Spearman correlations to a 5% significance level. Results: The study revealed prevalence rates of 32% for depression, 24% for anxiety, and 12% for hopelessness, at a moderate/severe level. Correlations between Beck scales and WHOQOL-Bref were significant; but impacts differed in the four areas evaluated. Conclusions: Overall, we observe global negative impacts on subjects' lives, affecting their psychiatric symptoms and quality of life and their relationships and occupational factors to a similar degree. The results show that the lower the scores on these scales, the better the quality of life in some areas, indicating that there is a negative correlation between psychiatric symptoms and quality of life.<hr/>Resumo Objetivo: Identificar sintomas de ansiedade, depressão e sentimentos de desesperança em pacientes dependentes químicos em tratamento ambulatorial e verificar a existência de correlações com os diferentes âmbitos da qualidade de vida. Métodos: Estudo transversal com 25 homens em recuperação para dependência química, selecionados por conveniência. Foram avaliados sintomas de depressão (Inventário de Depressão de Beck-II), ansiedade (Inventário de Ansiedade de Beck) desesperança (Escala de Desesperança de Beck) e qualidade de vida (World Health Organization Quality of Life instrument-Abbreviated version [WHOQOL-Bref]), bem como perfil sociodemográfico, uso de substâncias e histórico familiar. Variáveis categóricas foram apresentadas como frequências e percentuais, e variáveis quantitativas, como médias e desvios-padrão ou medianas e intervalos interquartis. Foram utilizadas também correlações de Spearman com nível de significância de 5%. Resultados: O estudo revelou prevalência de 32% para depressão, 24% para ansiedade e 12% para desesperança, em níveis moderado/grave. As correlações entre os inventários Beck e o WHOQOL-Bref foram significantes; entretanto, os impactos diferiram nos quatro domínios avaliados. Conclusões: De modo geral, observaram-se prejuízos globais na vida dos sujeitos, tanto frente a sintomas psiquiátricos e qualidade de vida quanto sobre relacionamentos e questões ocupacionais, em níveis semelhantes. Os resultados apontam que, quanto menor a pontuação nesses inventários, melhor a qualidade de vida em alguns domínios, indicando haver correlação negativa entre sintomas psiquiátricos e qualidade de vida. <![CDATA[Concentração sérica de fator neurotrófico derivado do cérebro em pacientes diagnosticados com disforia de gênero que realizaram cirurgia de redesignação sexual]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000100043&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Transsexualism (ICD-10) is a condition characterized by a strong and persistent dissociation with one's assigned gender. Sex reassignment surgery (SRS) and hormone therapy provide a means of allowing transsexual individuals to feel more congruent with their gender and have played a major role in treatment over the past 70 years. Brain-derived neurotrophic factor (BDNF) appears to play a key role in recovery from acute surgical trauma and environmentally mediated vulnerability to psychopathology. We hypothesize that BDNF may be a biomarker of alleviation of gender incongruence suffering. Objectives: To measure preoperative and postoperative serum BDNF levels in transsexual individuals as a biomarker of alleviation of stress related to gender incongruence after SRS. Methods: Thirty-two male-to-female transsexual people who underwent both surgery and hormonal treatment were selected from our initial sample. BDNF serum levels were assessed before and after SRS with sandwich enzyme linked immunosorbent assay (ELISA). The time elapsed between the pre-SRS and post-SRS blood collections was also measured. Results: No significant difference was found in pre-SRS or post-SRS BDNF levels or with relation to the time elapsed after SRS when BDNF levels were measured. Conclusion: Alleviation of the suffering related to gender incongruence after SRS cannot be assessed by BDNF alone. Surgical solutions may not provide a quick fix for psychological distress associated with transsexualism and SRS may serve as one step toward, rather than as the conclusion of, construction of a person's gender identity.<hr/>Resumo Introdução: O transexualismo (CID-10) é uma condição caracterizada por forte e persistente dissociação com o gênero atribuído. A cirurgia de redesignação sexual (CRS) e a terapia hormonal (TH) permitem que indivíduos transexuais se sintam mais congruentes com seu gênero e, por isso, têm desempenhado papel importante nos últimos 70 anos. O fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF) parece desempenhar um papel fundamental na recuperação do trauma cirúrgico agudo e vulnerabilidade ambiental à psicopatologia. Nós hipotetizamos que o BDNF pode ser um biomarcador de alívio do sofrimento de incongruência de gênero pós-CRS. Objetivos: Mensurar os níveis séricos de BDNF no pré e pós-operatório em indivíduos transexuais como biomarcador de alívio de estresse relacionado à incongruência de gênero após a CRS. Métodos: Trinta e duas pessoas transexuais masculino para feminino submetidas a cirurgia e tratamento hormonal foram selecionadas de nossa amostra inicial. O nível sérico de BDNF foi avaliado antes e depois da CRS pela técnica ELISA. O tempo decorrido entre as coletas de sangue pré e pós-CRS foi medido. Resultados: Não houve diferença significativa nos níveis de BDNF pré e pós-CRS ou em relação ao tempo decorrido entre a CRS e a coleta. Conclusão: O alívio do sofrimento relacionado à incongruência de gênero pós-CRS não pode ser avaliado apenas pelo BDNF. Soluções cirúrgicas podem não fornecer uma solução rápida para o sofrimento associado ao transexualismo, e a CRS pode servir como um passo em direção à, em vez de conclusão da, construção da identidade de gênero de uma pessoa. <![CDATA[Revisão crítica da literatura de ensaios clínicos em estimulação transcraniana por corrente contínua e estimulação de nervo trigêmeo para depressão: o problema da mania tratamento-emergente]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000100048&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Objective: This study is a critical review analyzing occurrence of treatment-emergent mania (TEM) related to transcranial direct current stimulation (tDCS) and trigeminal nerve stimulation (TNS). Method: We present a systematic review of the literature on TEM related to tDCS and TNS treatment for major depressive disorder (MDD), conducted in accordance with the recommendations from Cochrane Group and the PRISMA guidelines. Results: Our search identified few reported episodes of TEM in the literature. In fact, we found 11 trials focused on treatment of MDD (seven controlled trials of tDCS and four trials of TNS, three open label and one controlled). We highlight the need for safety assessment in clinical research settings to establish with precision and in larger samples the risks inherent to the technique under investigation. Conclusion: Safety assessment is of fundamental importance in clinical research. TEM is a very important safety issue in MDD trials. Further and larger controlled trials will help to clarify both the safety and the clinical effects of combinations of pharmacotherapy and tDCS or TNS in daily clinical practice.<hr/>Resumo Objetivo: O presente estudo consiste em uma revisão e análise crítica da ocorrência de mania tratamento-emergente (TEM) relacionada a estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) e estimulação do nervo trigêmeo (TNS). Método: Apresentamos uma revisão sistemática de literatura sobre TEM relacionada a ETCC e TNS no tratamento de transtorno depressivo maior (TDM), conduzida de acordo com as recomendações do Grupo Cochrane e protocolo PRISMA. Resultados: A pesquisa identificou poucos relatos de TEM na literatura. Na verdade, foram encontrados 11 ensaios clínicos com foco no tratamento de TDM (sete estudos controlados de ETCC e quatro de TNS, sendo três abertos e um controlado). Destacamos a necessidade de avaliações de segurança em pesquisas clínicas para se estabelecer com maior precisão e em amostras maiores os riscos inerentes à técnica sob investigação. Conclusão: Avaliação de segurança é fundamental na pesquisa clínica. A TEM é um efeito adverso importante no tratamento do TDM. Maiores ensaios clínicos controlados ajudarão a esclarecer os efeitos clínicos e a segurança da combinação de psicotrópicos e ETCC ou TNS. <![CDATA[Triagem e diagnóstico de depressão pós-parto: quando e como?]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000100054&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Prevalence rates of postpartum depression (PPD) vary widely, depending on the methodological parameters used in studies: differences in study populations, diagnostic methods, and postpartum time frame. There is also no consensus on the ideal time to perform screening, on whether PPD can only be diagnosed in the early postnatal period, or on how soon after a delivery depression may be related to it. Objective: To review which instruments have been used over recent years to screen and diagnose PPD and the prevailing periods of diagnosis. Methods: Only articles published within 5 years and related exclusively to screening and diagnosis were selected. The sample comprised 22 articles. Results: The Edinburgh Posnatal Depression Scale (EPDS) was the most common screening tool, used in 68% of the sample (15 articles), followed by the Beck Depression Inventory (BDI-II) (27%, 6 articles), and the Patient Health Questionnaire-9 (PHQ-9) (18%, 4 articles). Screening time frame was reported in 21/22 articles: 0 to 3 months postpartum in 9 (43%), up to 6 months in 4 (19%), and up to 12 months or more in 8 (38%). In short, 13 articles screened during the first 6 months (59%) while only 8 (36%) screened up to 1 year. Conclusion: The most frequent PPD diagnosis tool was the EPDS, but other scales were also used. The most common period for diagnosis was up to 3 months postpartum. However, some researchers diagnosed PPD 12 months or more postpartum. Greater standardization of parameters for investigation of this disease is needed.<hr/>Resumo Introdução: A prevalência de depressão pós-parto (DPP) varia consideravelmente dependendo dos parâmetros metodológicos utilizados: diferentes populações, métodos de diagnóstico e o tempo pós-parto considerado. Também não há consenso sobre o momento ideal para a triagem, se a DPP pode ser diagnosticada apenas no período puerperal, e por quanto tempo após o parto a depressão pode ser relacionada a ele. Objetivo: Revisar os instrumentos mais usados recentemente para rastreamento e diagnóstico de DPP e os períodos predominantes de diagnóstico. Métodos: Foram selecionados apenas artigos relacionados exclusivamente ao rastreio e diagnóstico publicados num período de 5 anos. A amostra incluiu 22 artigos. Resultados: A Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo (EPDS) foi a ferramenta mais frequente, utilizada em 68% da amostra (15 artigos), seguida pelo Inventário de Depressão de Beck (27%, 6 artigos) e o Patient Health Questionnaire-9 (PHQ-9) (18%, 4 artigos). O tempo de rastreio foi definido em 21/22 artigos: 0-3 meses pós-parto em 9 (43%), &lt; 6 meses em 4 (19%), e ≤ 12 meses em 8 (38%). Treze artigos selecionaram as mulheres durante os primeiros 6 meses (59%), enquanto apenas 8 (36%) o fizeram até 1 ano. Conclusão: A EPDS foi o instrumento mais utilizado para o diagnóstico de DPP, mas outras escalas também foram aplicadas. O período mais comum para o diagnóstico foi de &lt; 3 meses pós-parto. No entanto, alguns pesquisadores consideraram o diagnóstico de PPD em ≤ 12 meses após o parto. Há necessidade de maior padronização de parâmetros em relação à investigação desta doença. <![CDATA[Eletroconvulsoterapia bitemporal com pulso ultra-breve para o tratamento de síndrome neuroléptica maligna em um primeiro episódio psicótico: um relato de caso]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000100062&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Prevalence rates of postpartum depression (PPD) vary widely, depending on the methodological parameters used in studies: differences in study populations, diagnostic methods, and postpartum time frame. There is also no consensus on the ideal time to perform screening, on whether PPD can only be diagnosed in the early postnatal period, or on how soon after a delivery depression may be related to it. Objective: To review which instruments have been used over recent years to screen and diagnose PPD and the prevailing periods of diagnosis. Methods: Only articles published within 5 years and related exclusively to screening and diagnosis were selected. The sample comprised 22 articles. Results: The Edinburgh Posnatal Depression Scale (EPDS) was the most common screening tool, used in 68% of the sample (15 articles), followed by the Beck Depression Inventory (BDI-II) (27%, 6 articles), and the Patient Health Questionnaire-9 (PHQ-9) (18%, 4 articles). Screening time frame was reported in 21/22 articles: 0 to 3 months postpartum in 9 (43%), up to 6 months in 4 (19%), and up to 12 months or more in 8 (38%). In short, 13 articles screened during the first 6 months (59%) while only 8 (36%) screened up to 1 year. Conclusion: The most frequent PPD diagnosis tool was the EPDS, but other scales were also used. The most common period for diagnosis was up to 3 months postpartum. However, some researchers diagnosed PPD 12 months or more postpartum. Greater standardization of parameters for investigation of this disease is needed.<hr/>Resumo Introdução: A prevalência de depressão pós-parto (DPP) varia consideravelmente dependendo dos parâmetros metodológicos utilizados: diferentes populações, métodos de diagnóstico e o tempo pós-parto considerado. Também não há consenso sobre o momento ideal para a triagem, se a DPP pode ser diagnosticada apenas no período puerperal, e por quanto tempo após o parto a depressão pode ser relacionada a ele. Objetivo: Revisar os instrumentos mais usados recentemente para rastreamento e diagnóstico de DPP e os períodos predominantes de diagnóstico. Métodos: Foram selecionados apenas artigos relacionados exclusivamente ao rastreio e diagnóstico publicados num período de 5 anos. A amostra incluiu 22 artigos. Resultados: A Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo (EPDS) foi a ferramenta mais frequente, utilizada em 68% da amostra (15 artigos), seguida pelo Inventário de Depressão de Beck (27%, 6 artigos) e o Patient Health Questionnaire-9 (PHQ-9) (18%, 4 artigos). O tempo de rastreio foi definido em 21/22 artigos: 0-3 meses pós-parto em 9 (43%), &lt; 6 meses em 4 (19%), e ≤ 12 meses em 8 (38%). Treze artigos selecionaram as mulheres durante os primeiros 6 meses (59%), enquanto apenas 8 (36%) o fizeram até 1 ano. Conclusão: A EPDS foi o instrumento mais utilizado para o diagnóstico de DPP, mas outras escalas também foram aplicadas. O período mais comum para o diagnóstico foi de &lt; 3 meses pós-parto. No entanto, alguns pesquisadores consideraram o diagnóstico de PPD em ≤ 12 meses após o parto. Há necessidade de maior padronização de parâmetros em relação à investigação desta doença.