Scielo RSS <![CDATA[Trends in Psychiatry and Psychotherapy]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=2237-608920170004&lang=pt vol. 39 num. 4 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[A contribuição das ciências humanas para os desafios da psiquiatria contemporânea]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400229&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt <![CDATA[Primum non nocere ou primum facem meliorem? O cérebro pirateado do século 21]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400232&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Transcranial direct current stimulation (tDCS) is a non-invasive brain stimulation technique that modulates cortical excitability. It is devoid of serious adverse events and exerts variable effects on cognition, with several research findings suggesting that it can improve memory, verbal and mathematical skills. Because tDCS devices are low-cost, portable and relatively easy to assemble, they have become available outside of the medical setting and used for non-medical (“cosmetic”) purposes by laypersons. In this sense, tDCS has become a popular technique aiming to improve cognition and the achievement of a better performance not only at work, but also in other fields such as sports, leisure activities (video games) and even the military. In spite of these unforeseen developments, there has been a general paralysis of the medical and regulatory agencies to develop guidelines for the use of tDCS for cosmetic purposes. Several challenges are present, most importantly, how to restrict tDCS use outside of the medical setting in face of variable and sometimes conflicting results from scientific research. This article aims to describe the popular use of tDCS, in light of the pillars of neuroethics, a branch of bioethics relative to brain research. Between two possible but extreme solutions – total release or total restriction of tDCS – it is paramount to develop a spectrum of alternatives, which may vary over time and in different cultural backgrounds.<hr/>Resumo A estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) é uma técnica não invasiva de estimulação cerebral que modula a excitabilidade cortical. A ETCC é desprovida de efeitos adversos graves e exerce efeitos variáveis sobre a cognição, com vários achados de pesquisa sugerindo que a técnica pode promover melhora nas habilidades mnêmica, verbal e matemática. Devido ao seu baixo custo, portabilidade e facilidade de montagem, os aparelhos de ETCC tornaram-se disponíveis fora do contexto médico, sendo usados para fins não médicos (“cosméticos”) por indivíduos leigos. Nesse sentido, a ETCC tornou-se um procedimento popular para aprimoramento da cognição e a realização de melhor desempenho não somente no ambiente de trabalho, mas também em campos tais como o esporte, atividades de lazer ( video games ) e até no meio militar. Apesar desses acontecimentos imprevisíveis, há uma certa morosidade das agências médicas e regulatórias em desenvolver diretrizes para o uso de ETCC para fins cosméticos. Há muitos desafios presentes, principalmente, como restringir o uso da ETCC fora do contexto médico em face de resultados variáveis, e muitas vezes conflitantes, da pesquisa científica sobre o tema. Este artigo tem como objetivo descrever o uso popular da ETCC sob a luz da neuroética, um ramo da bioética que se dedica ao estudo do cérebro. Entre duas situações possíveis, mas extremas – liberação ou restrição totais da ETCC –, é primordial o desenvolvimento de um espectro de alternativas, que podem variar ao longo do tempo e depender de diversos contextos culturais. <![CDATA[Sintomas de ansiedade e depressão em brasileiros não heterossexuais usuários de ecstasy e LSD]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400239&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Background This study examined drug use patterns and psychiatric symptoms of anxiety and depression among young Brazilian sexual minority ecstasy and LSD users and compared findings with those reported for their heterosexual peers. Method This cross-sectional study employed targeted sampling and ethnographic mapping approaches via face-to-face interviews conducted at bars and electronic music festivals using an adapted, semi-structured version of the Global Appraisal of Individual Needs questionnaire. The sample comprised 240 male and female young adults who had used ecstasy and/or LSD in the 90 days prior to the interview and who were not on treatment for alcohol and drug abuse. Results Of the 240 subjects enrolled (mean age: 22.9±4.5 years), 28.7% were gay or bisexuals. Multivariate regression analysis showed that the prevalence of depression symptoms in the past 12 months in the sexual minority group was 37% higher than among heterosexuals (prevalence ratio [PR]=1.79; 95% confidence interval [95%CI] 1.03-3.11; p=0.037). Conclusion Strategies should be developed to assess and address individual needs and treatment approaches should be tailored to address depressive symptoms in young, sexual minority club drug users.<hr/>Resumo Introdução Este estudo examinou os padrões de uso de drogas e os sintomas psiquiátricos de ansiedade e depressão entre brasileiros não heterossexuais usuários de ecstasy e/ou LSD e comparou os achados com aqueles relatados por seus pares heterossexuais. Método Este estudo transversal empregou amostragens direcionadas e abordagens de mapeamento etnográfico através de entrevistas presenciais realizadas em bares e festivais de música eletrônica usando uma versão adaptada e semiestruturada do questionário de Avaliação Global de Necessidades Individuais. A amostra incluiu 240 adultos jovens do sexo masculino e feminino que haviam usado ecstasy e/ou LSD nos 90 dias anteriores à entrevista e que não estavam em tratamento para abuso de álcool e drogas. Resultados Dos 240 sujeitos incluídos (idade média: 22,9±4,5 anos), 28,7% eram homossexuais ou bissexuais. A análise de regressão multivariada mostrou que a prevalência de sintomas de depressão nos últimos 12 meses no grupo não heterossexual foi 37% superior à dos heterossexuais [razão de prevalência (RP) = 1,79; intervalo de confiança de 95% (IC95%) 1.03-3.11; p=0,037]. Conclusão Estratégias devem ser desenvolvidas para avaliar e abordar as necessidades individuais, e as abordagens de tratamento devem ser adaptadas para sintomas depressivos em usuários de drogas jovens e não heterossexuais. <![CDATA[Transtorno de estresse agudo e mecanismos de defesa: pesquisa com pacientes que sofreram trauma físico atendidos em um hospital de emergência]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400247&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Acute stress disorder (ASD) encompasses a set of symptoms that can arise in individuals after exposure to a traumatic event. This study assessed the defense mechanisms used by victims of physical trauma who developed ASD. Method: This was a controlled cross-sectional study of 146 patients who suffered physical trauma and required hospitalization. A structured questionnaire was used to evaluate ASD symptoms based on DSM-5 diagnostic criteria, in addition to the Defense Style Questionnaire (DSQ). Results: Ten participants (6.85%) received a positive diagnosis of ASD, and 136, (93.15%) a negative diagnosis. The majority of the sample consisted of men with median age ranging from 33.50 to 35.50. The most prevalent defense mechanisms among the 10 patients with ASD were cancellation and devaluation, which belong to the neurotic and immature factors, respectively. Positive associations between the presence of symptoms from criterion B of the DSM-5 and defense mechanisms from the DSQ were found. These included the mechanisms of undoing, projection, passive aggression, acting out, autistic fantasy, displacement, and somatization. Conclusion: Patients with ASD employed different defense mechanisms such as undoing and devaluation when compared to patients not diagnosed with ASD. These results mark the importance of early detection of ASD symptoms at a preventative level, thereby creating new possibilities for avoiding exacerbations related to the trauma, which represents an important advance in terms of public health.<hr/>Resumo Introdução: O transtorno de estresse agudo (TEA) reúne um conjunto de sintomas que pode surgir nos indivíduos após exposição a um evento traumático. Este estudo verificou a relação entre o estilo defensivo e o desenvolvimento de TEA e seus sintomas em uma amostra de pacientes que sofreram trauma físico. Métodos: Este estudo transversal controlado envolveu 146 pacientes que sofreram trauma físico e necessitaram hospitalização. Um questionário estruturado foi utilizado para avaliar sintomas de TEA, baseado nos critérios diagnósticos do DSM-5, além do Questionário de Estilo Defensivo (Defense Style Questionnaire - DSQ). Resultados: Dez (6,85%) pacientes tiveram diagnóstico positivo para TEA, e 136 (93,15%), diagnóstico negativo. A maioria da amostra foi composta por homens com idade mediana variando de 33,50 a 35,50. Nos 10 pacientes positivos para TEA, destacou-se a maior utilização de mecanismos de defesa de anulação e desvalorização, pertencentes ao fator neurótico e ao fator imaturo, respectivamente. Foram observadas associações positivas entre presença de sintomas de TEA do critério B do DSM-5 e os mecanismos de defesa do DSQ, sobretudo nos mecanismos de anulação, projeção, agressão passiva, acting out, fantasia autística, deslocamento e somatização. Conclusão: Pacientes com TEA utilizaram mais mecanismos de defesa do tipo anulação e desvalorização quando comparados aos pacientes sem diagnóstico de TEA. Ressalta-se a importância da detecção precoce de sintomas de TEA a fim de evitar outros agravos relacionados ao trauma, o que representa uma importante evolução em termos de saúde pública. <![CDATA[Sobrecarga elevada e fragilidade: relação com baixo desempenho cognitivo em idosos cuidadores moradores de comunidades rurais]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400257&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction: Older caregivers living in rural areas may be exposed to three vulnerable conditions, i.e., those related to care, their own aging, and their residence context. Objective: To analyze the association of burden and frailty with cognition performance in older caregivers in rural communities. Method: In this cross-sectional survey, 85 older caregivers who cared for dependent elders were included in this study. Global cognition (Addenbrooke's Cognitive Examination – Revised; Mini Mental State Examination), burden (Zarit Burden Interview) and frailty (Fried's frailty phenotype) were assessed. All ethical principles were observed. Results: Older caregivers were mostly women (76.7%); mean age was 69 years. Cognitive impairment was present in 15.3%, severe burden in 8.2%, frailty in 9.4%, and pre-frailty in 52.9% of the older caregivers. More severely burdened or frail caregivers had worse cognitive performance than those who were not, respectively (ANOVA test). Caregivers presenting a high burden level and some frailty degree (pre-frail or frail) simultaneously were more likely to have a reduced global cognition performance. Conclusion: A significant number of older caregivers had low cognitive performance. Actions and resources to decrease burden and physical frailty may provide better cognition and well-being, leading to an improved quality of life and quality of the care provided by the caregivers.<hr/>Resumo Introdução: Idosos cuidadores que moram em comunidades rurais podem estar expostos a uma tripla condição de vulnerabilidade, por exemplo, condições relacionadas a ser cuidador de outro, condições inerentes ao seu próprio envelhecimento e ao seu contexto de moradia. Objetivo: Analisar a associação entre sobrecarga, fragilidade e desempenho cognitivo em idosos cuidadores que moram em comunidades rurais. Método: Tratou-se de uma pesquisa transversal com 85 idosos cuidadores que cuidavam de idosos dependentes na comunidade. A cognição global (Exame Cognitivo de Addenbrooke – Revisado; Mini Exame do Estado Mental), a sobrecarga (Entrevista de Sobrecarga de Zarit) e a fragilidade (Fenótipo de Fragilidade de Fried) foram mensuradas. Todos os princípios éticos foram respeitados. Resultados: Os idosos cuidadores foram predominantemente mulheres (76.7%) com média de idade de 69 anos. A proporção de indício de alteração cognitiva foi de 15.3%, sobrecarga severa de 8.2%, fragilidade de 9.4% e pré-fragilidade de 52.9% nos idosos cuidadores. Cuidadores severamente sobrecarregados ou frágeis apresentaram pior desempenho cognitivo comparado àqueles levemente sobrecarregados e não frágeis, respectivamente (teste ANOVA). Apresentar simultaneamente sobrecarga elevada e algum grau de fragilidade (pré-frágil ou frágil) esteve associado à redução do desempenho cognitivo global. Conclusão: Um significante número de idosos cuidadores teve indício de alteração cognitiva. Estratégias e recursos para reduzir o sentimento de sobrecarga e a fragilidade física podem melhorar o desempenho mental e o bem estar, levando assim a uma melhora da qualidade de vida do idoso que cuida, bem como a qualidade do cuidado prestado por ele. <![CDATA[Correlatos clínicos da perda de <em>insight</em> no transtorno bipolar]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400264&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction Affective state may influence insight, especially regarding mania. Nevertheless, studies have so far suggested that depression seems not to significantly impair insight. To the best of our knowledge, this study pioneers the evaluation of how insight variations in bipolar depression correlate with clinical variables. Method A group of 165 bipolar patients, 52 of whom had depressive episodes according to DSM-5 criteria, were followed during a year. All patients underwent clinical assessment, and insight was evaluated through the Insight Scale for Affective Disorders (ISAD). Repeated-measures ANOVA was calculated comparing scores on the four ISAD factors (insight into symptoms, the condition itself, self-esteem and social relationships) in order to investigate differences in insight according to different objects. Correlational analysis explored which clinical symptoms were linked to reduced insight. Results Worse total insight correlated with suicide attempt/ideation and fewer subsyndromal manic symptoms such as mood elevation, increased energy and sexual interest. Worse self-esteem insight was associated with not only suicide ideation/attempt but also with activity reduction and psychomotor retardation. Worse symptom insight also correlated with psychomotor retardation. Better insight into having an affective disorder was associated with more intense hypochondria symptoms. Finally, worse insight into having an illness was associated with psychotic episodes. Conclusion Our study found that symptoms other than psychosis – suicide ideation, psychomotor retardation and reduction of activity and work – correlate with insight impairment in bipolar depression.<hr/>Resumo Introdução O estado afetivo pode influenciar o insight , especialmente a mania. No entanto, até o momento os estudos mostram que a depressão parece não prejudicar significativamente o insight . De acordo com o conhecimento dos autores, este estudo é pioneiro em avaliar como as alterações de insight na depressão bipolar se correlacionam com variáveis clínicas. Método Um grupo de 165 pacientes bipolares, com 52 pacientes apresentando episódios depressivos de acordo com os critérios do DSM-5, foi acompanhado por um ano. Os pacientes foram submetidos a avaliação clínica, e o insight foi avaliado utilizandose a Insight Scale for Affective Disorders (ISAD). Diferenças no insight de acordo com o objeto foram investigadas utilizandose ANOVA de medidas repetidas, comparando os escores dos quatro fatores da ISAD ( insight sobre sintomas, sobre sua condição, autoestima e relações sociais). Análises de correlação exploraram quais sintomas clínicos estiveram associados a redução de insight . Resultados Pior insight total correlacionou-se com ideação/tentativa de suicídio e com sintomas subsindrômicos de mania (elevação do humor, energia aumentada e interesse sexual). Pior insight sobre autoestima associou-se não somente a ideação/tentativa de suicídio, mas também a redução de atividade e alentecimento psicomotor. Pior insight sobre sintomas também mostrou correlação com alentecimento psicomotor. Melhor insight sobre ter uma doença afetiva associou-se a sintomas hipocondríacos mais intensos. Finalmente, pior insight sobre a condição esteve associado a sintomas psicóticos. Conclusão O estudo mostrou que, além da psicose, outros sintomas parecem se correlacionar com prejuízo de insight na depressão bipolar, como ideação suicida, redução de atividade e alentecimento psicomotor. <![CDATA[Perfil clínico e familiar do transtorno bipolar com e sem transtorno obsessivo-compulsivo: estudo indiano]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400270&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction Comorbid obsessive-compulsive disorder (OCD) is common in bipolar disorder (BD). Clinical characteristics, functionality and familial pattern of this comorbidity are largely understudied. Objective To assess clinical profile, familial loading of psychiatric disorders and level of functioning in remitted BD patients who have comorbid OCD and to compare results with those of remitted BD patients without OCD. Methods Remitted BD-I subjects were assessed using the Structured Clinical Interview for DSM-IV Axis I Disorders, Global Assessment of Functioning Scale (GAF), Hamilton Depression Rating Scale (HDRS), Young Mania Rating Scale (YMRS), Yale-Brown Obsessive-Compulsive Scale (Y-BOCS) and Family Interview for Genetic Studies (FIGS). BD patients with and without OCD were compared. Group differences were analyzed using the chi-square test and the independent samples t test. Values &lt;0.05 were considered statistically significant. Results Of the 90 remitted BD-I patients, 35.5% (n=32) had obsessive-compulsive symptoms/OCD. The BD-OCD group showed significantly lower GAF scores, higher rates of suicidal attempts, hospitalizations, manic and depressive episodes compared to the group with BD only (p&lt;0.05). In addition, first and second-degree relatives had higher rates of BD-OCD and OCD, but not of BD. Conclusions BD-OCD is characterized by more severe BD, more dysfunction and higher familial loading of BD-OCD and OCD. Larger studies involving relatives of probands will help to confirm our findings and to delineate nosological status of BD-OCD comorbidity.<hr/>Resumo Introdução Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) comórbido é comum no transtorno bipolar (TB). Características clínicas, funcionalidade e história familiar dessa comorbidade são pouco estudadas. Objetivo Avaliar o perfil clínico, a carga familiar de transtornos psiquiátricos e o nível de funcionalidade em pacientes com TB em remissão que apresentam TOC comórbido e comparar os resultados com aqueles obtidos em pacientes com TB em remissão sem TOC. Métodos Indivíduos com TB-I em remissão foram avaliados usando a Entrevista Clínica Estruturada para o DSM-IV- Transtornos do Eixo I, Escala de Avaliação Global do Funcionamento, Escala de Depressão de Hamilton, Escala de Mania de Young, Escala Obsessivo-Compulsiva de Yale-Brown e Entrevista Familiar para Estudos Genéticos. Pacientes com TB com e sem TOC foram comparados. Diferenças entre os grupos foram analisadas usando o teste do qui-quadrado e o teste t para amostras independentes. Valores &lt;0,05 foram considerados estatisticamente significativos. Resultados Dos 90 pacientes com TB-I em remissão, 35,5% (n=32) tinham sintomas obsessivo-compulsivos/TOC. O grupo com TB-TOC mostrou escores significativamente mais baixos na Escala de Avaliação Global do Funcionamento, maiores taxas de tentativas de suicídio, hospitalizações, episódios maníacos e depressivos quando comparado ao grupo com apenas TB (p&lt;0,05). Além disso, familiares de primeiro e segundo grau mostraram maiores níveis de TB-TOC e TOC, mas não de TB. Conclusões TB-TOC se caracteriza por TB de maior gravidade, mais disfunção e maior carga familiar de TB-TOC e TOC. Estudos maiores envolvendo familiares de probandos ajudarão a confirmar nossos achados e a delinear o status nosológico de TB-TOC comórbidos. <![CDATA[Acurácia da versão de 15 itens da Escala de Depressão Geriátrica (GDS-15) em uma amostra de idosos muito-idosos residentes na comunidade: Estudo Pietà]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400276&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction Late-life depression (LLD) is common, but remains underdiagnosed. Validated screening tools for use with the oldest-old in clinical practice are still lacking, particularly in developing countries. Objectives To evaluate the accuracy of a screening tool for LLD in a community-dwelling oldest-old sample. Methods We evaluated 457 community-dwelling elderly subjects, aged ≥75 years and without dementia, with the Geriatric Depression Scale (GDS-15). Depression diagnosis was established according to DSM-IV criteria following a structured psychiatric interview with the Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI). Results Fifty-two individuals (11.4%) were diagnosed with major depression. The area under the receiver operating characteristic (ROC) curve was 0.908 (p&lt;0.001). Using a cut-off score of 5/6 (not depressed/depressed), 84 (18.4%) subjects were considered depressed by the GDS-15 (kappa coefficient = 53.8%, p&lt;0.001). The 4/5 cut-off point achieved the best combination of sensitivity (86.5%) and specificity (82.7%) (Youden's index = 0.692), with robust negative (0.9802) and reasonable positive predictive values (0.3819). Conclusion GDS-15 showed good accuracy as a screening tool for major depression in this community-based sample of low-educated oldest-old individuals. Our findings support the use of the 4/5 cut-off score, which showed the best diagnostic capacity.<hr/>Resumo Introdução A depressão geriátrica (DG) é um transtorno prevalente que permanece sendo subdiagnosticado. Ferramentas validadas para rastreio de DG em idosos muito idosos na prática clínica são necessárias, especialmente em países em desenvolvimento. Objetivos Avaliar a acurácia diagnóstica da Escala de Depressão Geriátrica (Geriatric Depression Scale, GDS-15) em uma população de idosos muito idosos residentes na comunidade. Métodos Foram avaliados, com a GDS-15, 457 indivíduos nãodemenciados, residentes na comunidade, com idade ≥75 anos. O diagnóstico definitivo de depressão maior foi realizado através da entrevista semiestruturada Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI), de acordo com os critérios do DSM-IV. Resultados Cinquenta e dois indivíduos (11,4%) foram diagnosticados com episódio depressivo maior. A área sob a curva receiver operating characteristic (ROC) foi de 0,908 (p&lt;0,001). Utilizando-se o ponto de corte 5/6 (não-deprimido/deprimido), 84 (18,4%) indivíduos foram considerados deprimidos pela GDS-15 (coeficiente de kappa = 53,8%, p&lt;0,001). O ponto de corte 4/5 atingiu a melhor combinação entre sensibilidade (86,5%) e especificidade (82,7%) (índice de Youden = 0,692), com valor preditivo negativo robusto (0,9802) e razoável valor preditivo positivo (0,3819). Conclusão A GDS-15 demonstrou boa acurácia para o rastreio de depressão maior nesta amostra de base populacional de idosos muito idosos com baixa escolaridade. Os resultados do presente estudo indicam que o ponto de corte 4/5 mostrou-se mais adequado para utilização nesta população. <![CDATA[Cortisol salivar durante aquisição de memória na gravidez prediz sintomas depressivos no período pós-parto: um estudo longitudinal]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400280&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction Postpartum depression (PPD) is a common disorder that substantially decreases quality of life for both mother and child. In this longitudinal study, we investigated whether emotional memory, salivary cortisol (sCORT) or alpha-amylase during pregnancy predict postpartum depressive symptoms. Methods Forty-four pregnant women (14 euthymic women with a diagnosis of major depressive disorder [MDD] and 30 healthy women) between the ages of 19 and 37 years (mean age = 29.5±4.1 years) were longitudinally assessed in the 2nd trimester of pregnancy (12-22 weeks of gestational age) and again at 14-17 weeks postpartum. Depressive symptoms were assessed using the Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS). Results Follow-ups were completed for 41 women (7% attrition). Postpartum EPDS scores were predicted by sCORT collected immediately after an incidental encoding memory task during pregnancy (b=-0.78, t -2.14, p=0.04). Postpartum EPDS scores were not predicted by positive (p=0.27) or negative (p=0.85) emotional memory. Conclusions The results of this study indicate that higher levels of sCORT during a memory encoding task in the 2nd trimester of pregnancy are associated with lower postpartum EPDS scores. While the hypothalamus-pituitary-adrenal (HPA) axis has long been associated with the neurobiology of MDD, the role of the HPA axis in perinatal depression deserves more attention.<hr/>Resumo Introdução A depressão pós-parto é um transtorno prevalente que afeta negativamente a qualidade de vida da mãe e da criança. Neste estudo longitudinal, nós investigamos se a memória emocional, o cortisol salivar (salivary cortisol, sCORT) ou alfa-amilase durante a gravidez predizem sintomas depressivos no período pós-parto. Métodos Um total de 44 mulheres grávidas [14 eutímicas com diagnóstico de transtorno depressivo maior (TDM) e 30 voluntárias sadias] entre 19 e 37 anos de idade (idade média = 29.5±4.1 anos) foram avaliadas longitudinalmente no 2° trimestre da gravidez (12-22 semanas de gestação) e na 1417ª semana pós-parto. Sintomas depressivos foram avaliados com a Escala de Depressão Pós-Natal de Edimburgo (Edinburgh Postnatal Depression Scale, EPDS). Resultados Quarenta e uma mulheres completaram o seguimento (7% de perda). sCORT coletado imediatamente antes de um teste de aquisição memória durante a gravidez foi preditor dos escores da escala EPDS no período pós-parto (b=-0.78, t -2.14, p=0.04). Memória emocional positiva (p=0.27) ou negativa (p=0.85) não foram preditores dos escores da escala EPDS no período pós-parto. Conclusão Os resultados deste estudo indicam que altos níveis de sCORT durante um teste de aquisição de memória no 2° trimestre da gravidez foram associados com baixos escores na escala EPDS no período pós-parto. Uma vez que o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HHA) tenha sido envolvido na neurobiologia do TDM, o papel do eixo HHA na depressão perinatal merece mais atenção. <![CDATA[Hepatite C: características clínicas e biológicas relacionadas às diferentes formas de uso da cocaína]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-60892017000400285&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Abstract Introduction Hepatitis C virus (HCV) infection is related with several liver diseases such as cirrhosis and hepatocellular carcinomas, leading to more than 0.5 million deaths every year and to a great global burden. It is known that injection drug users show a high prevalence of HCV infection, being considered a risk group for this disease. Cocaine users seem to be in greater risk than other drug users, and several hypotheses for this association are being studied. Aim To review data on HCV infection in cocaine users, taking into consideration the relevance of the different routes of drug administration and other risk behaviors. Methods This was a narrative review performed in the main scientific databases. Results and conclusion Data suggest that cocaine use could be associated with HCV infection due to the specificities of cocaine consumption pattern, even in those subjects who do not inject drugs, in addition to other risky behaviors, such as tattooing and unprotected sex. Injectable cocaine users seem to be more susceptible to contamination than users who do not inject drugs. However, evidence is pointing to the possibility of infection by sharing drug paraphernalia other than syringes. Moreover, specific immune system impairments caused by cocaine use are also being linked with HCV infection susceptibility, persistence and increased pathological effects.<hr/>Resumo Introdução O vírus da hepatite C (HCV) está relacionado com graves patologias hepáticas, como a cirrose e o carcinoma hepatocelular, causando mais de meio milhão de mortes todos os anos, o que reflete um problema de saúde mundial. Sabe-se que usuários de drogas injetáveis possuem alta prevalência de infecção pelo HCV, sendo por isso considerados um dos maiores grupos de risco. Usuários de cocaína parecem ter maior risco de contrair o vírus do que usuários de outras drogas, e diversas hipóteses para essa associação estão sendo estudadas. Objetivo Revisar evidências de associação da infecção pelo HCV em usuários de cocaína, considerando a relevância das diferentes formas de administração da droga e comportamentos de risco. Métodos Esta foi uma revisão narrativa realizada nos principais bancos de dados científicos. Resultados e conclusão As evidências atuais sugerem que o uso de cocaína pode estar associado com a infecção por HCV devido às especificidades do padrão de consumo da droga, mesmo naqueles indivíduos que não fazem uso de drogas injetáveis, além de outros comportamentos de risco, como tatuagens e sexo desprotegido. Usuários de cocaína injetável parecem estar mais suscetíveis à contaminação do que usuários de cocaína não injetável. Entretanto, há a possibilidade de infecção devido ao compartilhamento de outros equipamentos de uso além das seringas (cachimbos, por exemplo). Além disso, prejuízos do sistema imune causados pela cocaína também parecem estar associados com a suscetibilidade de infecção pelo HCV, além da manutenção e piora dos sintomas da doença.