SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.47 issue2Access to pediatric cancer care in Brazil: mapping origin-destination flowsPublic spending on drugs for the treatment of osteoporosis in post-menopause author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Abstract

VANDERLEI, Lygia Carmen de Moraes  and  NAVARRETE, Maria Luisa Vazquez. Mortalidade infantil evitável e barreiras de acesso à atenção básica no Recife, Brasil. Rev. Saúde Pública [online]. 2013, vol.47, n.2, pp.379-389. ISSN 0034-8910.  http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2013047003789.

OBJETIVO:

Analisar os fatores que influenciam na mortalidade infantil evitável na perspectiva dos protagonistas envolvidos.

MÉTODOS:

Estudo qualitativo crítico-construtivista de análise do acesso das crianças à atenção e à mortalidade infantil evitável por ações e serviços no Distrito Sanitário I do Recife, PE, entre fevereiro de 2007 e fevereiro de 2008. Desenhou-se amostra teórica em duas etapas: I) instituições prestadoras de serviços de saúde infantil; II) informantes: gestores (11); profissionais da Estratégia de Saúde da Família e do Programa de Agentes Comunitários de Saúde (48); profissionais das policlínicas (12), mães (20), com tamanho definido por saturação dos discursos. Foram realizadas entrevistas individuais semiestruturadas e estudo de caso de óbito infantil evitável. Utilizou-se análise temática de conteúdo com geração mista de categorias (emergentes e roteiro).

RESULTADOS:

Houve posições de conflito entre grupos de atores, refletindo o papel desempenhado na rede assistencial. Os participantes institucionais relacionavam os óbitos infantis à ausência/má divulgação das políticas de saúde infantil e das ações intersetoriais; profissionais e mães destacaram dificuldades de acesso por insuficiência global de recursos, principalmente a falta de médicos na Estratégia de Saúde da Família, deslocando a assistência para enfermeiras. Ausência de médicos, rechaço às doenças agudas, atenção desumanizada e/ou de má qualidade técnica foram os principais fatores relacionados aos óbitos pelas mães. Os participantes da Estratégia de Saúde da Família, do Programa de Agentes Comunitários de Saúde e mães identificaram a condição de exclusão social e negligência materna com os óbitos enquanto o estudo de caso de óbito mostrou sua associação à baixa qualidade da atenção ofertada.

CONCLUSÕES:

Numerosas barreiras de acesso apontam a insuficiente implantação do Sistema Único de Saúde e falta de resolubilidade da principal porta de entrada, a Estratégia de Saúde da Família. Melhorias dos fatores estruturais e organizacionais da oferta são necessárias, sobretudo mecanismos de incentivo à contratação de médicos para a Estratégia de Saúde da Família e de formação/capacitação profissional da equipe compatível com o modelo de atenção para o cumprimento das políticas de atenção à saúde da criança e prevenção das mortes infantis evitáveis.

Keywords : Mortalidade Infantil; Acesso aos Serviços de Saúde; Qualidade da Assistência à Saúde; Programa Saúde da Família; Desigualdades em Saúde; Pesquisa Qualitativa.

        · abstract in English | Spanish     · text in Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )