SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 suppl.1Kangaroo position: Immediate effects on the physiological variables of preterm and low birth weight newbornsManual hyperinflation and the role of physical therapy in intensive care and emergency units author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Fisioterapia em Movimento

On-line version ISSN 1980-5918

Abstract

COSTA, Valéria Sovat de Freitas et al. Efeito da equoterapia na coordenação motora global em sujeitos com Síndrome de Down. Fisioter. mov. [online]. 2017, vol.30, suppl.1, pp.229-240. ISSN 1980-5918.  http://dx.doi.org/10.1590/1980-5918.030.s01.ao22.

Introdução:

A Síndrome de Down (SD), de todas as síndromes genéticas é a mais comum. Na Equoterapia, os movimentos tridimensionais, proporcionados pelo andadura do cavalo, despertam no corpo das crianças com SD uma grande quantidade de estímulos sensoriais e neuromusculares, que interferem diretamente no desenvolvimento global e na aquisição de habilidades motoras.

Objetivo:

Analisar os efeitos de um programa de Equoterapia sobre as variáveis de coordenação motora global em indivíduos com SD de ambos os gêneros e comparar indivíduos com a mesma síndrome que não praticam Equoterapia.

Métodos:

Participaram do estudo 41 indivíduos sendo 20 que praticavam Equoterapia (GE) e 21 que não praticavam Equoterapia (GC). Utilizou-se o teste Körperkoordinations test für Kinder (KTK) composto por quatro tarefas: Equilíbrio sobre traves, Salto monopedal, Salto lateral e Transferência sobre plataforma para análise de coordenação motora para indivíduos.

Resultados:

Comparando os grupos observou-se diferença significativa (p < 0,01) para o Quociente Motor da Tarefa de Salto lateral, o GE apresentando melhor escore (114,10) em relação ao GC (88,47), e ainda, no Quociente Motor Total (GE =115,10; GC =102,47). Os indivíduos que praticam Equoterapia apresentaram melhores resultados na coordenação motora global, com diferença significativa (p < 0,05). No GE, 5% apresentaram coordenação motora global alta, 40% boa e 55% normal, já no GC, apenas 10% apresentaram coordenação motora global boa e 90% normal.

Conclusão:

Pode-se destacar que a equoterapia apresenta benefícios de melhora na coordenação motora global. Especificamente nas tarefas como a trave de equilíbrio, salto monopedal e salto lateral, além da coordenação motora global.

Keywords : Síndrome de Down; Fisioterapia; Equoterapia.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )