SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 issue2Young women? experiences in clandestine abortion ? a sociological approachRights of parturients: adolescents? knowledge and that of their companion author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Saúde e Sociedade

Print version ISSN 0104-1290

Abstract

FONTENELE, Claudia Valença  and  TANAKA, Ana Cristina d?Andretta. O fio cirúrgico da laqueadura é tão pesado!: laqueadura e novas tecnologias reprodutivas. Saude soc. [online]. 2014, vol.23, n.2, pp.558-571. ISSN 0104-1290.  https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000200016.

A laqueadura é um método de esterilização cirúrgica feminina, que consiste em cortar cirurgicamente as trompas, que unem os ovários ao útero. É um método considerado seguro, irreversível, cujas taxas dobraram desde 2003, no contexto brasileiro. O presente estudo é pesquisa qualitativa com o objetivo de descrever e analisar os pensamentos e as avaliações acerca da laqueadura entre as mulheres que buscavam auxílio das novas tecnologias reprodutivas para conceber novamente. As entrevistas foram realizadas em um hospital da rede pública de saúde, na região Sudeste do Brasil, São Paulo, com 16 mulheres esterilizadas. Como resultados, as seguintes temáticas emergiram do estudo: o não cuidado com a vida reprodutiva; laqueadura e habitus; e o arrependimento traduzido pela frase proferida por Rosa: “O fio cirúrgico da laqueadura é tão pesado!”. O estudo desvelou a necessidade de que as mulheres sejam mais bem informadas sobre os procedimentos cirúrgicos que desejam aceder: seja à laqueadura, seja a tratamentos na área das novas tecnologias reprodutivas. O acesso às informações pode promover melhor familiaridade com os termos e mais segurança ante as escolhas.

Keywords : Laqueadura; Esterilização; Novas tecnologias Reprodutivas; Saúde da Mulher.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )