SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 issue1New definitions of evidence in contemporary Medicine: contributions from AnthropologyThe social construction of peripheral bodies author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Saúde e Sociedade

Print version ISSN 0104-1290On-line version ISSN 1984-0470

Abstract

RAPOSO, Vera Lúcia. A insustentável leveza da culpa: a compensação de danos no exercício da medicina. Saude soc. [online]. 2016, vol.25, n.1, pp.57-69. ISSN 0104-1290.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902016144195.

Diante das crescentes dificuldades apresentadas pela responsabilidade civil para lidar com a má -prática médica e com a compensação aos pacien tes, muitos advogam a implementação do sistema no-fault , isto é, um mecanismo no qual o paciente é compensado por via de um fundo económico de socialização do risco, independentemente da de monstração de negligência por parte do médico. Neste estudo comparámos as principais notas do modelo no-fault com o clássico modelo fundado na culpa, com vista a determinar qual o mais adequa do em termos de justiça, melhoria dos cuidados de saúde e segurança do paciente. Concluímos que, apesar de o modelo no-fault trazer muitas vantagens, também envolve sérias difi culdades, riscos e fragilidades. Nomeadamente, é duvidoso que promova a diligência na prestação de cuidados médicos, dado que em regra não se verifica qualquer sanção para o profissional de saúde. Além disso, só pode operar com sucesso em condições mui to concretas, que não se encontram na maior parte das ordens jurídicas. Por conseguinte, não cremos que seja a solução mais adequada, pelo menos quan do implementada como um mecanismo geral para lidar com danos causados por tratamentos médicos.

Keywords : Má-prática Médica; Negligência; No-fault; Compensação; Responsabilização.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )