SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.50 issue3Controle da glicemia na fase aguda do acidente vascular cerebralPerspectivas de abordagem de crianças nascidas com ambigüidade genital author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230

Rev. Assoc. Med. Bras. vol.50 no.3 São Paulo July/Sept. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302004000300022 

DIRETRIZES EM FOCO
MEDICINA BASEADA EM EVIDÊNCIAS

 

O manejo das síndromes dolorosas miofasciais

 

 

Norton Moritz Carneiro

 

 

Dor é o motivo mais comum para os pacientes procurarem assistência médica, e a síndrome dolorosa miofascial é a causa imediata ou o componente mais freqüente da dor músculo-esquelética1. O manejo dos pacientes com síndromes dolorosas miofasciais é um dos problemas mais importantes encontrados na prática clínica.

O quadro de dor referida em uma região do corpo relacionada à presença de pontos-gatilho ativos, comum nos serviços de emergência, tende a se tornar crônico. Afeta pacientes que se apresentam com queixas como cefaléia, torcicolo e lombalgia (Figuras 1, 2 e 3).

 

 

 

 

 

 

A síndrome dolorosa miofascial é de natureza funcional2 - não se demonstram alterações estruturais nem processos inflamatórios significativos. Exames laboratoriais como hemograma, velocidade de hemossedimentação, anticorpos antinucleares podem estar normais, assim como os estudos por imagem não apresentarem alteração3.

O componente fisiopatológico pode ter origem em contratura muscular, restrição dos movimentos, distúrbios articulares, stress biomecânico como as lesões relacionadas a atividades, ou em processos inflamatórios. O diagnóstico é feito com base em dados da história clínica e do exame físico, e inclui a identificação do músculo ou músculos afetados4.

Muitas vezes as síndromes dolorosas miofasciais são mal diagnosticadas, mas uma vez reconhecidas, são de manejo relativamente simples5.

 

Comentário

A indicação da acupuntura para o tratamento de diversas condições dolorosas está bem estabelecida. Evidências provenientes da pesquisa clínica demonstram eficácia e vantagens significativas do uso do método, comparado com placebo e outros métodos6-10.

Os objetivos do tratamento das condições dolorosas em geral incluem: alívio da dor; melhora funcional; prevenção ou minimização das possíveis seqüelas da condição, incluindo a cronicidade; redução da necessidade de medicamentos. O objetivo imediato do tratamento das síndromes dolorosas músculo-esqueléticas por acupuntura é a normalização da atividade dos focos de anomalia (sensorial, motora e autonômica) da rede neural que são os pontos-gatilho miofasciais.

Os procedimentos incluem punção com agulhas de acupuntura, infiltração intradérmica, subcutânea ou mais profunda de anestésico local, e eletroestimulação aplicada em pontos-gatilho. Por meio dessa intervenção neuromoduladora, a acupuntura promove, além de analgesia, uma normalização funcional, que ajuda a evitar a recorrência da atividade neural anormal.

 

Referências

1. Fischer AF. New developments in diagnosis of myofascial pain and fibromyalgia. Phys Med Rehabil Clin North Am 1997; 8(1):455.

2. Gan TJ, Woolf C, Brennan TJ, Kehlet H, Mekhail NA. Unraveling the mechanisms and clinical consequences of pain: recent discoveries and the implications for pain management: a case-based interactive expert forum. The Postgraduate Institute for Medicine; 2003.

3. Steven B, Graff-Radford DDS. Regional myofascial pain syndrome and headache: principles of diagnosis and management. Curr Pain Headache Rep 2002; 5:376_81.

4. Harden RN, Bruehl SP, Gass S, Niemiec C, Barbick B. Signs and symptoms of the myofascial pain syndrome: a national survey of pain management providers. Clin J Pain 2000; 16(1):64-72.

5. Sola AE, Bonica JJ. Myofascial pain syndromes loeser: bonica's management of pain. 3rd ed. Edinburg: Lippincott Williams & Wilkins; 2001.

6. Gunn CC, Milbrandt WE, Little AS, Mason KE. Dry needling of muscle motor points for chronic low-back pain: a randomized clinical trial with long-term follow-up. Spine 1980; 5(3):279-91.

7. Kleinhenz J. Randomised clinical trial comparing the effects of acupuncture and a newly designed placebo needle in rotator cuff tendinitis. Pain 1999, 83(2): 235-41.

8. Smith JC. Acupuncture for chronic osteoarthritis pain, headache, and low back pain. ICSI, Minneapolis (MN): ICSI; 1997.

9. Hesse J, Mogelvang B, Simonsen H. Acupuncture versus metoprolol in migraine prophylaxis: a randomized trial of trigger point inactivation. J Intern Med 1994; 235(5):451-6.

10. Irnich D, Behrens N, Molzen H, Konig A, Gleditsch J, Krauss M, et al. Randomised trial of acupuncture compared with conventional massage and "sham" laser acupuncture for treatment of chronic neck pain. BMJ 2001; 322(7302):1574-8.