SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.51 issue1Chest pain in women in the emergency room: management and evolutionEarly diagnosis of intra-uterine growth restriction by ultrasonographic estimation of fetal weight author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Associação Médica Brasileira

Print version ISSN 0104-4230On-line version ISSN 1806-9282

Abstract

LEWASCHIW, Elaine Milani; PEREIRA, Irla Abadia  and  AMARAL, José Luiz Gomes do. Ondansetrona oral na prevenção de náuseas e vômitos pós-operatórios. Rev. Assoc. Med. Bras. [online]. 2005, vol.51, n.1, pp.35-40. ISSN 0104-4230.  http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302005000100017.

OBJETIVOS: Em passado não remoto, a incidência de náuseas e vômitos no pós-operatório (NVPO) ainda alcançava 40% a 50%. Publicações mais recentes indicam que a freqüência desta complicação ainda é considerável: 20% a 30%. O presente estudo teve como objetivo avaliar, em pacientes submetidos à anestesia geral, o impacto da administração oral de ondansetrona na incidência de NVPO. MÉTODOS: Foram incluídos 178 pacientes em estudo prospectivo, randomizado, controlado e duplo-cego, divididos em dois grupos (ondansetrona=89 e placebo= 89), utilizando-se comprimidos de dissolução oral rápida, especialmente preparados para este estudo. A medicação foi administrada entre 30 e 60 minutos antes da indução anestésica. Anotou-se fatores que pudessem influenciar o evento, como gênero, idade, antecedentes de discinesia ou NVPO, tabagismo, tipo de cirurgia, índice de massa corpórea, reversão do bloqueio neuromuscular com neostigmine e intensidade da dor pós-operatória. RESULTADOS: Não houve diferença significativa entre os grupos referentes aos fatores anotados, exceto tabagismo e índice de massa corpórea, que prevaleceu no grupo placebo. Estes fatores não interferiram na análise dos resultados. Observou-se NVPO em 23 (26%) pacientes do grupo ondansetrona e 38 (43%) pacientes do grupo placebo (p<0,05). CONCLUSÕES: A ondansetrona, 16 mg por via oral, administrada no pré-operatório reduz significativamente a incidência de náuseas e vômitos no pós-operatório. A simplicidade de administração e o baixo custo desta apresentação justificam a opção por esta via de administração.

Keywords : Náuseas; Vômitos; Antieméticos; Ondansetrona.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License