SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.77 issue6Adenoid cystic carcinoma of mandible author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Otorhinolaryngology

Print version ISSN 1808-8694

Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.) vol.77 no.6 São Paulo Nov./Dec. 2011

http://dx.doi.org/10.1590/S1808-86942011000600022 

CASE REPORT

 

Síndrome de Ramsay Hunt após otoplastia

 

 

Marco Antônio Rios LimaI; Jacinto de Negreiros JúniorII

IMédico Residente de ORL (R3)
IIMestrado, Médico assistente e Coordenador do Programa de Residência médica em otorrinolaringologia do Hospital das Forças Armadas de Brasília. Hospital das Forças Armadas de Brasília

Endereço para correspondência

 

 


Palavras-chave: herpes zoster, herpes zoster da orelha externa, paralisia facial.


 

 

INTRODUÇÃO

A Síndrome de Ramsay Hunt (SRH) é caracterizada pela associação de Herpes-zoster oticus com paralisia facial periférica aguda.1 A sua fisiopatologia está ligada à reativação do vírus varicela-zoster (VVZ) no gânglio geniculado do nervo facial1,2.

Diferentes procedimentos cirúrgicos têm sido descritos na literatura como fatores desencadeantes da reativação viral1,2.

Descrevemos o qual acreditamos ser o primeiro caso relatado de SRH sucedendo-se à otoplastia, enfocando seu diagnóstico, tratamento e evolução.

 

APRESENTAÇÃO DO CASO

Paciente de 12 anos, sexo masculino, previamente hígido, foi submetido à otoplastia bilateral para correção de orelhas em abano. Evoluiu inicialmente sem intercorrências, com retirada dos pontos no 14º dia pós-operatório (PO).

No 25º dia PO, foi observada leve dificuldade no fechamento do olho esquerdo. O paciente relatou aparecimento de vesículas em pavilhão auricular esquerdo há 3 dias associado à otalgia e hipoacusia ipsilateral. Há 2 dias, notou dificuldade na movimentação facial à esquerda. Tinha história de varicela aos 4 anos de idade sem complicações. Ao exame físico, apresentava paralisia facial periférica à esquerda, House Brackmann grau III, além de lesões crostosas em pavilhão auricular esquerdo (Figura 1). A otoscopia revelou hiperemia e edema difusos em conduto auditivo externo esquerdo, impossibilitando visualização da membrana timpânica. Pavilhão auditivo direito e a otoscopia ipsilateral sem alterações. Oroscopia e rinoscopia anterior normais. Apresentava Rinne negativo à esquerda com Weber lateralizado para o mesmo lado.

 

 

Iniciou-se tratamento da SRH com Dexametasona 4mg/dia via oral por 7 dias com desmame progressivo (28 dias de corticoterapia, conforme protocolo do serviço), Aciclovir 2g/dia (7 dias) e colírio lubrificante ocular à esquerda. A otite externa foi tratada com gotas otológicas (Ciprofloxacino 0,2% + hidrocortisona 1% - 10 dias). Foram solicitados hemograma completo e sorologias. Uma semana depois, apresentava resolução completa das lesões em pavilhão auricular esquerdo, bem como da otite externa ipsilateral. A audiometria tonal mostrou limiares auditivos normais em ambas as orelhas. O hemograma mostrou leucocitose (16.100) sem desvios. As sorologias mostraram IgG positivo e IgM negativo para Herpes I e II, mononucleose e citomegalovírus; sorologia negativa para HIV. Evoluiu com recuperação progressiva da mímica facial, apresentando resolução completa da paralisia facial na quarta semana após o diagnóstico. Realizou a sorologia para Herpes-zoster (imunoensaio enzimático) apenas 1 mês após o início do quadro que revelou IgM negativo e IgG positivo em altos títulos (2.556 - referência até 0,2).

 

DISCUSSÃO

A SRH é rara na infância, com uma incidência de aproximadamente 5 casos/100.000 habitantes/ano. No entanto é a segunda causa mais comum de paralisia facial não traumática3.

Atualmente, acredita-se que a reativação viral seja uma importante causa de paralisia facial no PO tardio1. Após a primoinfecção, o VVZ permanece latente nos gânglios sensoriais do nervo facial (VII) e do nervo trigêmeo (V)2. Intervenções cirúrgicas nas proximidades do trajeto do nervo facial, como cirurgias da orelha média e orelha interna, desencadeariam a reativação viral e paralisia facial pela estimulação direta do nervo VII1. Também são relatados casos de paralisia facial periférica tardia induzida pelo VVZ após cirurgias orofaciais e procedimentos dentários, sendo aventada, nesses casos, uma infecção viral ascendente pelo nervo lingual2.

Pode-se hipotetizar que a otoplastia tenha desencadeado a reativação viral pela estimulação direta do nervo VII (concha auricular)4, ou pela estimulação do nervo V (ramo auriculotemporal)4, que transmitiria o estímulo via nervo corda do tímpano ao facial.

O diagnostico é fundamentalmente clínico5. A realização de exames complementares pode corroborar ou confirmar o diagnóstico. No presente caso, o diagnostico sorológico não pode ser firmado pela dificuldade do paciente em realizar a sorologia no momento do diagnóstico. No entanto, os altos títulos de anticorpo IgG anti-VVZ encontrados 1 mês após o início do quadro são altamente sugestivos da reativação viral. Resposta sorológica não é sempre detectada em pacientes com SRH2. São relatados padrões variáveis de resposta imunológica do hospedeiro ao vírus6.

 

COMENTÁRIOS FINAIS

Descrevemos um caso de paciente que desenvolveu a SRH no pós-operatório tardio de otoplastia bilateral, obtendo melhora completa do quadro após tratamento clínico. É importante o acompanhamento próximo dos pacientes submetidos a cirurgias otorrinolaringológicas e cérvico-faciais, visando a um diagnóstico precoce, bem como adequada condução dos casos e otimização do prognóstico.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Gyo K, Honda N. Delayed facial palsy after middle-ear surgery due to reactivation of varicella-zoster virus. J Laryngol Otol. 1999;113(10):914-5.         [ Links ]

2. Furuta Y, Ohtani F, Fukuda S, Inuyama Y, Nagashima K. Reactivation of varicella-zoster virus in delayed facial palsy after dental treatment and oro-facial surgery. J Med Virol. 2000;62(1):42-5.         [ Links ]

3. Kim D, Bhimani M. Ramsay Hunt syndrome presenting as simple otitis externa. CJEM. 2008;10(3):247-50.         [ Links ]

4. Zorzetto NL. Anatomia da orelha. In: Costa SSD, et al. Otorrinolaringologia - Princípios e Prática. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2006. p.26.         [ Links ]

5. Sandoval CC, Núñez FA, Lizama CM, Margarit SC, Abarca VK, Escobar HR. Síndrome de Ramsay-Hunt en Pediatría: Reporte de cuatro casos y revisión de la literatura. Rev Chil Infectol. 2008;25(6):458-64.         [ Links ]

6. Aizawa H, Ohtani F, Furuta Y, Sawa H, Fukuda S. Variable patterns of varicella-zoster virus reactivation in Ramsay Hunt syndrome. J Med Virol. 2004;74(2):355-60.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Marco Antônio Rios Lima
S.M.T, conjunto 16, casa 5
Taguatinga - DF. 72023-480

Este artigo foi submetido no SGP (Sistema de Gestão de Publicações) da BJORL em 12 de outubro de 2010. cod. 7370
Artigo aceito em 7 de novembro de 2010.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License