SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 issue3Killer toxin of Saccharomyces cerevisiae Y500-4L active against Fleischmann and Itaiquara commercial brands of yeastProperties of a new fungal b-galactosidase with potential application in the dairy industry author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Microbiologia

Print version ISSN 0001-3714

Abstract

NAMPOOTHIRI, K. Madhavan  and  PANDEY, Ashok. Produção de ácido L-glutâmico a partir de um hidrolisado de amido de mandioca usando resina de troca iônica. Rev. Microbiol. [online]. 1999, vol.30, n.3, pp.258-264. ISSN 0001-3714.  http://dx.doi.org/10.1590/S0001-37141999000300013.

Pesquisas foram realizadas com o objetivo de produzir ácido glutâmico a partir de Brevibacterium sp. utilizando um substrato disponível na região, a mandioca (Manihot esculenta Crantz). Estudos iniciais, desenvolvidos em shaker, demonstraram que mesmo obtendo elevado rendimento com 85-90 DE (Dextrose Equivalent value), a taxa de conversão máxima (~34%) foi obtida usando um hidrolisado de amido parcialmente digerido, i.e. 45-50 DE. As fermentações foram realizadas em um fermentador de 5 L, usando um hidrolisado de amido de mandioca adequadamente diluído, preparado à partir de um valor DE de 85-90. O meio enriquecido com nutrientes resultou em um acúmulo de 21 g/L de ácido glutâmico, com uma elevada (66,3%) taxa de conversão da glicose em ácido glutâmico (baseada em glicose consumida e em uma taxa de conversão teórica de 81,74%). As condições mais favoráveis, levando à uma máxima produção, foram pH 7.5, temperatura 30°C e agitação de 180 rpm. Quando a fermentação foi conduzida em um reator do tipo descontinuo alimentado, onde a concentração de açúcares redutores era mantida em 5% w/v, foram obtidos 25.0 g/L de glutamato após 40 h (16% a mais do que no modo descontinuo). Para a recuperação e purificação do ácido glutâmico, foi utilizada a separação por cromatografia com resina de troca inônica. O ácido foi posteriormente cristalizado e separado, levando-se em consideração a sua baixa solubilidade no ponto isoelétrico (pH 3.2).

Keywords : Brevibacterium sp; L-ácido glutâmico; hidrolisado de mandioca; processo batch e fed-batch; resina de troca iônica; purificação.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License