SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.73 issue1Multidrug resistance in tumour cells: characterisation of the multidrug resistant cell line K562-Lucena 1Evidence of mingling between contrasting magmas in a deep plutonic environment: the example of Várzea Alegre, in the Ribeira Mobile Belt, Espírito Santo, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais da Academia Brasileira de Ciências

On-line version ISSN 1678-2690

Abstract

TRAVERSA, GIANBOSCO et al. Petrography and mineral chemistry of carbonatites and mica-rich rocks from the Araxá complex (Alto Paranaíba Province, Brazil). An. Acad. Bras. Ciênc. [online]. 2001, vol.73, n.1, pp. 71-98. ISSN 1678-2690.  http://dx.doi.org/10.1590/S0001-37652001000100008.

O complexo de Araxá (16 km2) é constituído por carbonatitos na forma de um núcleo central e de complexa rede de diques concêntricos e radiais, além de pequenos veios; adicionalmente, ele contém rochas ricas em mica, foscoritos e lamprófiros. Fenitos também ocorrem e estão representados principalmente por quartzitos e xistos proterozóicos do Grupo Araxá. O estudo petrográfico de 130 amostras de testemunhos de sondagem indica que o complexo reúne basicamente dois tipos litológicos, carbonatitos e rochas ricas em mica, e, subordinadamente, um terceiro de composição híbrida. Carbonatitos apresentam composição química variável e têm magnésiocarbonatitos como o tipo mais abundante. Dolomita e calcita são os seus principais constituintes, mas outras fases carbonáticas, incluindo as pertencentes ao grupo dos carbonatos ricos em ETR, são também reconhecidas. Fosfatos e óxidos diversos caracterizam os acessórios mais comuns enquanto que os minerais silicáticos consistem de representantes dos grupos da olivina, clinopiroxênio, mica e anfibólio. As rochas ricas em mica reúnem abundantes glimmeritos e escassos piroxenitos cumuláticos portadores de quantidades variáveis de flogopita, olivina e diopsídio. As rochas híbridas contêm principalmente flogopita e tetraferriflogopita, respectivamente, como fases cumulus e intercumulus; minerais carbonáticos podem também estar presentes. Dados químicos indicam que os carbonatitos são fortemente enriquecidos em ETR e possuem teores mais baixos em Nb, Zr, V, Cr, Ni e Rb em relação às rochas mais ricas em mica. As concentrações mais altas em K, Nb e Zr dessas últimas poderiam ser atribuídas a processos metassomáticos (glimeritização) que teriam afetado os piroxenitos. O comportamento similar dos ETR nos carbonatitos e nas rochas ricas em mica parece sugestivo de que essas litologias estão relacionadas a um mesmo magma parental, possivelmente de composição ijolítica. O pronunciado fracionamento ETRL/ETRP e os elevados teores em ETR de algumas amostras de carbonatitos poderiam estar ligados a processos de natureza hidrotermal ou mesmo supergênicos.

Keywords : rochas alcalinas; carbonatitos; geoquímica.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License