SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.74 número3A significant longshore transport divergence zone at the Northeastern Brazilian coast: implications on coastal Quaternary evolutionSilica enrichment, graphic granite and aquamarine growth: a new exploration guide índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Anais da Academia Brasileira de Ciências

versão impressa ISSN 0001-3765

Resumo

COSTA, JOÃO B. S. et al. Tectonics and paleogeography of the Marajó Basin, northern Brazil. An. Acad. Bras. Ciênc. [online]. 2002, vol.74, n.3, pp. 519-531. ISSN 0001-3765.  http://dx.doi.org/10.1590/S0001-37652002000300013.

A área da Bacia do Marajó apresenta feições geológicas e geomorfológicas devidas principamente à distensão Mesozóica e à neotectônica pós-miocênica. O evento de distensão, com fases do Cretáceo Inferior e Superior, originou quatro sub-bacias que contituem a Bacia do Marajó, com uma espessa seqüência clástica continental mostrando influência marinha. Falhas normais NW e NNW e direcionais NE e ENE controlaram a geometria da bacia. A distensão, relacionada com a abertura do Atlântico Equatorial, propagou-se continente adentro ao longo de zonas de fraqueza crustal dos cinturões orogênicos pré-cambrianos Tumucumaque, Amapá e Araguaia. O evento neotectônico é um regime transcorrente que desenvolveu bacias transtensivas preenchidas por sedimentos marinhos rasos (Formação Pirabas) e seqüências transicionais (Grupo Barreiras) do Terciário Superior, seguidos por depósitos fluviais e seqüências transicionais do Quaternário, derivadas dos rios Amazoans e Tocantins e do estuário do Marajó. A paisagem atual tem morfologia tipicamente estuarina. A morfologia costeira apresenta escarpas em seqüências transicionais do Terciário Superior, enquanto no interior dominam elevações sustentadas por crosta laterítica do Pleistoceno Médio, aparadas por superfície erosiva a 70 m. No leste da Ilha do Marajó são reconhecidas várias gerações de paleocanais com seqüências estuarinas associadas, enquanto no lado oeste predomina uma planície flúvio-marinha.

Palavras-chave : Bacia do Marajó; estrutura; evolução; paleogeografia; geomorfologia.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês