SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.43 número2Análise retrospectiva do resultado do tratamento com iodo radioativo em 120 pacientes tirotóxicos por doença de Basedow-gravesAbordagem clínica e laboratorial do bócio uninodular sólido: vantagens da determinação da calcitonina sérica por métodos distintos no rastreamento do carcinoma medular de tireóide, forma esporádica índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia

versión impresa ISSN 0004-2730

Resumen

GOMES, Marília de Brito; SILVA JUNIOR, Gildásio R. da  y  CLEMENTE, Eliete Leão da S.. Variabilidade da pressão arterial de consultório em pacientes com diabetes mellitus do tipo 1. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. 1999, vol.43, n.2, pp. 96-103. ISSN 0004-2730.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27301999000200005.

Objetivo: Analisar a associação da variabilidade da pressão arterial auscultatória sistólica (PAS) e diastólica (PAD) com variáveis clínicas do diabetes tipo 1 (DM1). Métodos: Foram estudados 58 pacientes com DM1 (33 mulheres) com 24,6±8,5 (9-43) anos e duração do diabetes de 8,4±6,6 (0,4-36) anos, sendo 46 adultos e 12 púberes. A PAS e a PAD foram aferidas em três diferentes dias na posição supina, antes e após 5 e 10 min de repouso, calculando-se o coeficiente de variação médio (CVM) e intra-individual (CVI). Resultados; O CVM da PAS entre os diferentes tempos de aferição variou de 3,0 a 3,6% (adultos) e 3,3 a 4,6% (púberes) e o da PAD de 5,5 a 6,6% (adultos) e 6,3 a 7,4% (púberes).O CVM da PAS entre os diferentes dias de aferição variou de 6,4 a 6,8% (adultos) e 8,7 a 9,2% (púberes), sendo o CVI da PAS sem e após 5 min de repouso maior em púberes do que adultos, respectivamente (8,1 ±3,1 vs 5,3±4,1%; p=0,004) e (7,9±4,7 vs 5,2±3,7%; p=0,02) e apresentando uma maior correlação com a idade (PAS antes e após 5 min de repouso, respectivamente r= -0,34; r2= 0,12; p=0,007 e r= -0,31; r2= 0,09; p=0,01. O CVM da PAD entre os diferentes dias de aferição variou de 9,7 a 10,1% para os adultos e de 13 a 14,2% para os púberes. Nos adultos observamos diminuição da PAS e PAD entre os diferentes tempos de aferição e uma maior correlação entre duração do diabetes e PAS final após 5 min (r = 0,39; r2 = 0,15; p=0,007) e PAD após 10 min de repouso (r= 0,36; r2 = 0,13; p= 0,01). Conclusão: A variabilidade da PAS e PAD entre os diferentes dias e tempos de aferição observados neste estudo justificam a necessidade da realização de várias aferições após repouso de até 10 min em ambiente apropriado para o acompanhamento ambulatorial de rotina do paciente com DM1.

Palabras llave : Diabetes mellitus tipo 1; Pressão arterial; Variabilidade.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · pdf en Portugués