SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 número5Metástase de carcinoma de células renais para hipófise simulando macroadenoma não funcionante índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia

versão impressa ISSN 0004-2730

Resumo

PRIETO-TENREIRO, Alma  e  DIAZ-GUARDIOLA, Patricia. Tratamento de longa duração com análogos da somatostatina de um microadenoma tirotrofinoma. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. 2010, vol.54, n.5, pp. 502-506. ISSN 0004-2730.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302010000500012.

Tirotrofinomas (TSH-omas) representam < 1% dos adenomas hipofisários. Eles são uma causa muito rara de hipertireoidismo. O diagnóstico é frequentemente feito na fase de macroadenoma em consequência da natureza agressiva do tumor e do feito de que os doentes são tratados inicialmente por engano e por um longo tempo para hipertireoidismo primário. A terapêutica de primeira linha é a ressecção transesfenoidal do tumor, que cura um terço dos pacientes completamente. Contudo, se a cirurgia não for possível ou curativa, a radioterapia da pituitária e/ou o tratamento com análogos da somatostatina (SSA) podem ser úteis. Relatou-se o caso de uma mulher de 54 anos, tratada há 20 anos por uma suspeita equivocada de hipertireoidismo primário. Dada a persistência dos sintomas, foram realizados mais exames e a paciente foi diagnosticada com TSH-oma. Apesar do diagnóstico tardio e da ablação prévia com iodo radioativo, encontrou-se um microadenoma. Como a cirurgia transesfenoidal não foi considerada eficaz, iniciou-se o tratamento da paciente com SSA. Atualmente, após quatro anos de acompanhamento, a paciente continua com o tratamento e permanece eutireoidea e assintomática. Neste artigo, relatou-se a eficácia da terapia medicamentosa com SSA em longo prazo, após cirurgia não eficaz.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês