SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.78 issue1Comparison of 3 different anesthetic approaches for intravitreal injections: a prospective randomized trialEvaluation of a simulation tool in ophthalmology: application in teaching funduscopy author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos Brasileiros de Oftalmologia

Print version ISSN 0004-2749

Abstract

SHIROMA, Helio F. et al. Survey: técnica para realização de injeção intravítrea pelos membros da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV). Arq. Bras. Oftalmol. [online]. 2015, vol.78, n.1, pp.32-35. ISSN 0004-2749.  https://doi.org/10.5935/0004-2749.20150009.

Objetivo:

Avaliar e descrever os cuidados envolvidos durante o procedimento de injeção intravítrea de drogas antiangiogênicas realizado pelos oftalmologistas membros da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV).

Métodos:

Foi enviado um questionário aos 920 membros da SBRV, por meio de correio eletrônico, entre o período de 15/11/2013 a 31/04/2014, contendo 22 questões, relacionado aos cuidados pré, intra e pós-operatório da injeção intravítrea.

Resultados:

Foram obtidas 352 respostas (38% dos sócios). Houve um predomínio do sexo masculino (76%), procedentes da região Sudeste (51%). O tempo de experiência profissional se concentrou entre 6 a 15 anos após o término da especialização (50%). A maioria dos participantes tem média semanal de 1 a 10 (76%), sendo 88% das vezes realizado dentro do centro cirúrgico, utilizando iodopovidona (99%), luvas e blefarostato estéreis (94%). A anestesia tópica com colírio anestésico foi a técnica mais utilizada (65%). Entre os participantes, ranibizumabe (Lucentis®) é a droga mais utilizada (55%) e a degeneração macular relacionada a idade (DMRI) é a doença mais tratada (57%). Das complicações citadas pelos oftalmologistas, 6% já vivenciaram pelo menos um caso de descolamento de retina, 20% endoftalmite, 9% hemorragia vítrea e 12% toque cristaliniano.

Conclusão:

A injeção intravítrea é um procedimento realizado rotineiramente por retinólogos, com baixo índice de complicações. A realização do procedimento no centro cirúrgico com técnica asséptica é preferida pelos pesquisados. A droga mais utilizada foi o ranibizumabe e a doença mais tratada foi a DMRI.

Keywords : Injeções intravítreas; Doenças retinianas; Inibidores da angiogênese; Anestesia tópica.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )