SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 issue4Comparison of IgA class reticulin and endomysium antibodies for diagnosis and control of the diet in celiac diseaseSquamous cell carcinoma of the esophagus and multiple primary tumors of the upper aerodigestive tract author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos de Gastroenterologia

Print version ISSN 0004-2803On-line version ISSN 1678-4219

Abstract

PRADO, Elizabeth Teixeira Mendes Livramento; ARAUJO, Maria de Fátima  and  CAMPOS, José Vicente Martins. Colestase neonatal prolongada: estudo prospectivo. Arq. Gastroenterol. [online]. 1999, vol.36, n.4, pp.185-194. ISSN 1678-4219.  https://doi.org/10.1590/S0004-28031999000400005.

Em razão da urgência de se decidir por um tratamento clínico ou por uma intervenção cirúrgica imediata, o estudo da colestase neonatal prolongada envolve dois objetivos básicos: o diagnóstico diferencial entre atresia biliar e hepatite neonatal e a pesquisa dos agentes etiológicos associados. Desta maneira, através de estudo prospectivo desenvolvido na década de 1970, foram avaliadas 77 crianças portadoras de colestase neonatal prolongada para estabelecer o diagnóstico diferencial entre atresia biliar e hepatite neonatal e, numa segunda fase, 108 crianças, visando esclarecer a etiopatogenia da colestase neonatal prolongada. Os resultados do diagnóstico diferencial revelaram que, dos 18 atributos avaliados, apenas oito mostraram-se bons indicadores de atresia biliar, em ordem decrescente: ductos proliferados (espaço-porta), fibrose (espaço-porta), colestase (espaço-porta), cor das fezes ¾ acolia, hepatomegalia, colestase canalicular (lóbulo), infiltrado (espaço-porta), células gigantes (lóbulo). Estes oito atributos foram então compostos, mediante uma ponderação, em um único indicador de grande poder discriminativo, capaz de decidir o diagnóstico diferencial em 99% dos casos. Quanto à etiopatogenia, registrou-se: vírus rubéola 0%, vírus herpes simples 0%, listeriose 0%, citomegalovirose 2,2%, vírus hepatite B 2,4%, toxoplasmose 2,8%, deficiência de alfa-1-antitripsina 13,1%, sífilis 21,1 %, auto-anticorpos hepáticos 58,4%. O trabalho desenvolvido mostra que as 8 variáveis mais decisivas, como indicadoras diferenciais entre atresia biliar e hepatite neonatal, permanecem como índices fundamentais, auxiliando, em conjunto com novos métodos diagnósticos, na composição de uma estratégia multifatorial cada vez menos invasiva e mais precisa. O estudo da etiopatogenia, dependente das condições epidemiológicas locais e da época, com a introdução de novos métodos diagnósticos, torna-se atualmente cada vez mais completo e abrangente, evoluindo para a ideal diminuição progressiva dos processos idiopáticos.

Keywords : Colestase; Hepatite neonatal [etiologia]; Atresia biliar [etiologia]; Biopsia; Lactente.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License