SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38 issue3Comparative study between magnetic resonance cholangiopancreatography and endoscopic retrograde cholangiopancreatography in the diagnosis of the pancreatic and biliary obstructionContribution of hepatic immunoglobulin A deposits to the diagnosis of alcoholic hepatopathy author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos de Gastroenterologia

Print version ISSN 0004-2803On-line version ISSN 1678-4219

Abstract

DANTAS, Roberto Oliveira et al. Pressão intra-esofágica durante a produção da voz esofágica em pacientes laringectomizados com e sem recuperação da capacidade de comunicação oral. Arq. Gastroenterol. [online]. 2001, vol.38, n.3, pp.158-161. ISSN 1678-4219.  https://doi.org/10.1590/S0004-28032001000300003.

Racional — As contrações esofágicas estão alteradas após laringectomia para tratamento de neoplasias de faringe/laringe. Estes pacientes podem ser reabilitados, quanto a comunicação oral, com a voz esofágica. As pressões intra-esofágicas com a produção da voz podem ser diferentes daquelas dos pacientes não reabilitados. Objetivo - Avaliar a pressão intra-esofágica durante a produção da voz esofágica de 25 pacientes laringectomizados com idades entre 40 e 70 anos (mediana de 57 anos), 10 reabilitados com voz esofágica e 15 incapazes de produção da voz. Material e Métodos - Foi utilizado o método manométrico com sonda aberta e perfusão contínua. As pressões foram medidas nos 5 cm proximais do esôfago durante a tentativa da pronúncia da vogal "a" e durante a deglutição de ar. Resultados - A pressão esofágica durante a produção da voz esofágica foi maior nos pacientes reabilitados (26,4 ± 10,1 mm Hg, média ± DP) do que nos pacientes inabilitados para comunicação oral (13,7 ± 7,2 mm Hg). Quando a introdução do ar no esôfago foi seguida de contração esofágica, a amplitude destas contrações foi maior nos pacientes reabilitados (45,3 ± 8,6 mm Hg) do que nos não reabilitados (33,8 ± 13,1 mm Hg). Conclusão - Pacientes laringectomizados com voz esofágica desenvolvem maior pressão intra-esofágica durante a produção da voz do que aqueles incapazes da produção da voz, o que deve refletir a presença de ar no esôfago.

Keywords : Esôfago [fisiologia]; Motilidade gastrointestinal; Laringectomia; Voz esofágica; Treinamento da voz.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License