SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue4Compliance to drug therapy in inflammatory bowel diseases outpatients from an university hospitalp53 and Ki-67 in Barrett's carcinoma: is there any value to predict recurrence after circumferential endoscopic mucosal resection? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos de Gastroenterologia

Print version ISSN 0004-2803On-line version ISSN 1678-4219

Abstract

COSTA, Milton M. B.; ALMEIDA, Juliana T. de; SANT'ANNA, Eliane  and  PINHEIRO, Gláucia M.. Padrões reprodutíveis de viscosidade para uso em videofluoroscopia e na terapia de reabilitação de pacientes disfágicos. Arq. Gastroenterol. [online]. 2007, vol.44, n.4, pp.297-303. ISSN 0004-2803.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-28032007000400004.

RACIONAL: Com freqüência, a consistência identificada e indicada pelo exame videofluoroscópico como segura, para uso nos pacientes disfágicos, tem sido empiricamente produzida pela mistura de alimentos com a solução de sulfato de bário. É expressiva a dificuldade observada quando se busca reproduzir esta consistência, subjetivamente indicada, para usá-la na terapia de reabilitação. OBJETIVO: Construir duas series de soluções, com valores reprodutíveis de viscosidade, uma com e outra sem a adição de sulfato de bário, a serem utilizadas a primeira, como meio de contraste radiológico, e a segunda, como base para reprodução da consistência definida como segura na reabilitação do paciente disfágico. MÉTODOS: As duas séries com viscosidades padrão foram buscadas com uso de amido, água destilada e solução de sulfato de bário a 100%. Os níveis de viscosidade foram definidos passo à passo com o uso de um viscosímetro digital (Brookfield, model LVTD-II) e um termômetro de infravermelho Icel TD-960. As viscosidades foram registradas em centipoise (cP) e os limites superior e inferior de cada nível foi complementado pela informação do tipo e velocidade do "spindle" necessário e da temperatura da solução. RESULTADOS: As duas series de soluções, com e sem sulfato de bário, puderam ser definidas como aquosa (>1-143,5 cP), líquido fino (428-551 cp), liquido espesso (4.284-7.346,5 cp), pastosa (7.346,4-13.035 cP), pastosa espessa (19.260-34.320 cP) e cremosa (163.500-255.300 cP). CONCLUSÕES: Podem-se oferecer fórmulas com viscosidades reprodutíveis, com e sem adição de meio de contraste, a serem utilizadas, cada uma delas, na avaliação radiológica e na terapia nutricional, minimizando as falhas de reprodução entre a avaliação e a terapia.

Keywords : Transtornos de deglutição; Fluoroscopia; Meios de contraste; Viscosidade.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License