SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 número1Dieta deficiente em metionina e colina induz mudanças hepáticas características de esteatohepatite não-alcoólicaA capacidade aeróbica e a força muscular inspiratória estão correlacionadas em candidatos ao transplante hepático índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Arquivos de Gastroenterologia

versão impressa ISSN 0004-2803

Resumo

SOARES, Pedro M. G. et al. Mucosite induzida pelo metotrexato retarda o esvaziamento gástrico e o trânsito gastrointestinal de líquidos em ratos acordados. Arq. Gastroenterol. [online]. 2011, vol.48, n.1, pp. 80-85. ISSN 0004-2803.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-28032011000100016.

CONTEXTO: Metotrexato e outros agentes anticâncer podem induzir uma mucosite intestinal, que é um dos fatores de limitante mais comum que limitam o aumento escalonado da dose do metotrexato. OBJETIVOS: Avaliar o esvaziamento gástrico e o trânsito gastrointestinal de líquidos na mucosite intestinal induzida por metotrexato. MÉTODOS: Ratos Wistar, receberam metotrexato (2.5 mg/kg/dia por 3 dias, subcutâneo) ou salina. Após 1, 3 ou 7 dias, secções do duodeno, jejuno e íleo foram retirados para análise morfométrica e dosagem da atividade de mieloperoxidase (marcador bioquímico da infiltração de neutrófilos). Outros ratos foram pré-tratados com metotrexato ou salina, após 3 ou 7 dias, foram alimentados mediante gavagem com uma refeição teste e sacrificados após 10, 20 e 30 minutos. As retenções fracionais do corante no estômago e em três segmentos do intestino delgado foram determinados por espectrofotometria. RESULTADOS: Após 3 dias do metotrexato, houve lesão do epitélio intestinal em todos os segmentos, com aumento da atividade de mieloperoxidase, no duodeno e íleo. Sete dias após o metotrexato, foi observada completa reversão da lesão intestinal. Observou-se ainda retardo no esvaziamento gástrico após 10 min, 20 min e 30 min, após 3 dias, mas não após 7 dias do tratamento com metotrexato. A retenção fracional dos segmentos do intestino foi reduzida no primeiro e segundo segmentos após 10 min, e no terceiro segmento após 30 min da administração da refeição, somente 3 dias após o tratamento com metotrexato. CONCLUSÃO: A mucosite intestinal induzida por metotrexato retarda o esvaziamento gástrico e o trânsito gastrointestinal de líquidos em ratos acordados.

Palavras-chave : Mucosite; Metotrexato; Esvaziamento gástrico; Trânsito gastrointestinal; Ratos.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês