SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 issue4Helicobacter pylori antibiotic resistance in Brazil: clarithromycin is still a good optionLocally advanced colorectal cancer: results of surgical treatment and prognostic factors author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos de Gastroenterologia

Print version ISSN 0004-2803

Abstract

MURAD-REGADAS, Sthela Maria et al. Influência da idade, tipo de parto e paridade na prevalência das disfunções do assoalho pélvico no compartimento posterior. Arq. Gastroenterol. [online]. 2011, vol.48, n.4, pp.265-269. ISSN 0004-2803.  https://doi.org/10.1590/S0004-28032011000400009.

CONTEXTO: A correlação entre parto vaginal, idade e disfunções do assoalho pélvico em pacientes com evacuação obstruída permanece ainda controverso. OBJETIVO: Determinar a influência da idade, tipo de parto e paridade na prevalência de disfunções do assoalho pélvico posterior em mulheres com evacuação obstruída. MÉTODOS: Quatrocentas e sessenta e nove mulheres com evacuação obstruída foram avaliadas, retrospectivamente, utilizando ultrassonografia tridimensional dinâmica para quantificar disfunções do assoalho pélvico posterior (retocele grau II ou III, intussuscepção retal, anismus e entero/sigmoidocele grau III) e presença de lesão esfincteriana. As pacientes foram agrupadas de acordo com a idade (<50 anos e >50 anos) e estratificadas por tipo de parto e paridade em grupo I (<50 anos): incluindo 218 pacientes (75 nulíparas, 64 com partos vaginais e 79 apenas com operações cesarianas) e grupo II (>50 anos): incluindo 251 pacientes (60 nulíparas, 148 com partos vaginais e 43 apenas com cesarianas). Além disso, as pacientes foram estratificadas por número de partos vaginais em nulíparas (n = 135), com um parto vaginal (n = 46) e com mais de um parto vaginal (n = 166). RESULTADOS: Retocele, intussuscepção, associação de intussuscepção e retocele e lesão esfinceriana foram mais prevalentes no grupo II (P = 0,0432, P = 0,0028, P = 0,0178, P = 0,0001). Não houve diferença significante na prevalência de retocele, intussuscepção ou anismus em relação ao tipo de parto e paridade, em cada faixa etária. Êntero/sigmoidocele foi mais prevalente em pacientes com parto vaginal no grupo I e em nulíparas e com parto vaginal no grupo II. Nenhuma correlação foi encontrada entre prevalência de retocele e número de partos vaginais. CONCLUSÃO: A idade superior a 50 anos está associada a maior prevalência de retocele, intussuscepção e lesão esfincteriana, no entanto, a paridade e o tipo de parto não se correlacionam com a prevalência de intussuscepção, retocele e anismus em mulheres com evacuação obstruída.

Keywords : Efeito idade; Parto; Paridade; Assoalho pélvico; Intussuscepção; Retocele; Imagem tridimensional.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License