SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.49 número1Alterações manométricas e intensidade do refluxo no esôfago de Barrett curto e longoHiperplasia e danos hepáticos induzidos por micotoxinas do gênero Fusarium-zearalenone em camundongos BAB/c índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Arquivos de Gastroenterologia

versão impressa ISSN 0004-2803

Resumo

FERRI, Priscila Menezes et al. Trombose de veia porta em crianças e adolescentes: experiência de 20 anos de um serviço de referência em hepatologia pediátrica. Arq. Gastroenterol. [online]. 2012, vol.49, n.1, pp. 69-76. ISSN 0004-2803.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-28032012000100012.

CONTEXTO: Trombose da veia porta refere-se a uma obstrução total ou parcial do fluxo de sangue nesta veia devido à formação de um trombo. É uma causa importante da hipertensão porta na faixa etária pediátrica, com taxas elevadas de morbidade devido a sua principal complicação - a hemorragia digestiva alta. OBJETIVO: Descrever o grupo de crianças e adolescentes com trombose de veia porta sem doença hepática associada do Ambulatório de Hepatologia Pediátrica do Hospital das Clínicas da UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil, com ênfase no diagnóstico, forma de apresentação, complicações clínicas e na abordagem da hipertensão porta. MÉTODOS: Trata-se de estudo descritivo de uma série de casos de crianças e adolescentes atendidos de janeiro de 1990 a dezembro de 2010. O diagnóstico de trombose de veia porta foi estabelecido por ultrassonografia. RESULTADOS: Dos 55 pacientes analisados, 30 (54,5%) eram do gênero masculino. Em 29 pacientes (52,7%) não foi identificado nenhum fator de risco para trombose de veia porta. A forma de apresentação predominante foi hemorragia digestiva alta (52,7%). Em 20 pacientes (36,4%), a manifestação inicial foi esplenomegalia. Durante todo o período de seguimento, 39 pacientes (70,9%) apresentaram, pelo menos, um episódio de hemorragia digestiva alta. A média de idade dos pacientes neste primeiro episódio foi de 4,6 ± 3,4 anos. O exame endoscópico, seja realizado na urgência ou eletivamente para pesquisa de varizes esofágicas, mostrou sua presença em 84,9% dos pacientes avaliados. O tratamento endoscópico profilático foi realizado com ligadura elástica de varizes em 31,3% dos pacientes. Apenas um evoluiu para óbito devido a sangramento refratário. CONCLUSÕES: A trombose de veia porta é uma das causas mais importantes de hemorragia digestiva alta em crianças. Deve-se suspeitar de trombose de veia porta em toda criança com esplenomegalia afebril e/ou hematêmese, sem hepatomegalia e com testes de função hepática normais. Desta forma, uma abordagem diagnóstica e terapêutica adequada é desejável na tentativa de reduzir a morbimortalidade.

Palavras-chave : Trombose venosa; Veia porta; Hipertensão portal; Crianças; Adolescentes.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês