SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.50 issue2ESOPHAGEAL MOTILITY IN TROUBLESOME BELCHINGPREVALENCE OF RISK FACTORS FOR HEPATITIS C AND ASSOCIATED FACTORS: a population-based study in southern Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos de Gastroenterologia

Print version ISSN 0004-2803

Abstract

FALCAO, Angela et al. WHAT IS THE REAL IMPAIRMENT ON ESOPHAGEAL MOTILITY IN PATIENTS WITH GASTROESOPHAGEAL REFLUX DISEASE?. Arq. Gastroenterol. [online]. 2013, vol.50, n.2, pp.111-116. ISSN 0004-2803.  https://doi.org/10.1590/S0004-28032013000200019.

Contexto

Alteração no peristaltismo esofágico assim como diminuição do tônus basal do esfíncter inferior do esôfago são um achado comum em pacientes com doença do refluxo gastroesofágico. A presença de hipotonia acentuada do esfíncter inferior do esôfago pode facilitar a ocorrência de refluxo gastroesofágico mais intenso e a presença de alteração no peristaltismo esofágico pode contribuir para uma deficiente depuração esofágica.

Objetivo

Avaliar a função motora do esfíncter inferior do esôfago e do corpo esofágico nas várias formas da doença do refluxo gastroesofágico.

Métodos

Avaliaram-se os prontuários de 268 pacientes, que realizaram manometria esofágica como parte da investigação diagnóstica da doença do refluxo gastroesofágico. Os pacientes foram distribuidos em quatro grupos: 33 pacientes que não tinham esofagite, 92 pacientes que tinham esofagite erosiva; 101 pacientes que tinham esôfago de Barrett curto e 42 pacientes que tinham esôfago de Barrett longo (grupo EBL).

Resultados

O grupo dos que tinham EBL, apresentou menor média de pressão do esfíncter inferior do esôfago e maior percentual de hipotonia acentuada do esfíncter inferior do esôfago; no segmento distal do corpo do esôfago, este grupo apresentou maior percentual de hipocontratilidade acentuada (< 30 mm Hg). O grupo dos que tinham EBL apresentou maior porcentagem de distúrbios da motilidade esofágica.

Conclusões

As alterações mais intensas na motilidade esofágica e no esfíncter inferior do esôfago foram observadas no grupo com EBL. Aqueles com esofagite de refluxo e esôfago de Barrett curto tiveram comprometimento da função motora esofágica, intermediárias entre os pacientes sem esofagite e com EBL. Os doentes com sintomas típicos de refluxo gastroesofágico, mas sem esofagite ao estudo endoscópico, não apresentaram comprometimento da função motora esofágica.

Keywords : Refluxo gastroesofágico; Transtornos da motilidade esofágica; Esôfago de Barrett; Manometria.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )