SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 suppl.1THE ROLE OF THE TRANSDIAPHRAGMATIC PRESSURE GRADIENT IN THE PATHOPHYSIOLOGY OF GASTROESOPHAGEAL REFLUX DISEASEWATER INGESTION DYNAMICS IN PATIENTS WITH ACHALASIA: INFLUENCE OF SEX AND AGE author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos de Gastroenterologia

Print version ISSN 0004-2803On-line version ISSN 1678-4219

Abstract

MURAD-REGADAS, Sthela Maria et al. O ultrassom anorretal tridimensional pode ser incluído como um método diagnóstico na avaliação da fístula anal antes e após o tratamento cirúrgico?. Arq. Gastroenterol. [online]. 2018, vol.55, suppl.1, pp.18-24.  Epub Aug 06, 2018. ISSN 1678-4219.  https://doi.org/10.1590/s0004-2803.201800000-42.

CONTEXTO:

Não há dados definitivos quanto a níveis diferentes na secção do complexo esfincteriano e o efeito na função do canal anal no tratamento das fístulas anais.

OBJETIVO:

Avaliar a aplicação do ultrassom anorretal tridimensional no diagnóstico da fístula anal, quantificando o comprimento da musculatura que será seccionada, selecionando pacientes para diferente abordagens e identificando cicatrização e recorrência após tratamento.

MÉTODOS:

Um estudo prospectivo incluindo paciente portadores de fístula anal criptoglandular, tipo trans-esfinctérica avaliados pelo escore de incontinência fecal, ultrassom anorretal 3D e manometria anorretal antes e após a cirurgia. De acordo com os dados do ultrassom, pacientes do sexo masculino com envolvimento ≥50% do esfíncter externo anterior ou esfíncter externo+puborretal e do sexo feminino com envolvimento ≥40% foram referidos para cirurgia de ligadura do trajeto no espaço inter-esfinctérico (LIFT) ou colocação do sedenho. Aqueles com envolvimento <50% em homens e <40% mulheres foram indicados para fistulotomia em um tempo. Após a cirurgia, a musculatura secccionada (fibrose) e o músculo residual foram medidos e comparados no pós-operatório.

RESULTADOS:

Um total de 73 pacientes foi incluído. A indicação para LIFT foi significativamente maior em mulheres (47%) e a fistulotomia em homens (46%) e o sedenho similar em ambos os sexos. Sintomas de incontinência leve foi identificado em 31% dos submetidos à cirurgia com divisão de esfíncter e similar em ambos os sexos. O ultrassom identificou sete casos que não cicatrizaram.

CONCLUSÃO:

O ultrassom anorretal tridimensional demonstrou ser um método efetivo na avaliação da fístula anal, quantificando o comprimento do esfíncter a ser dividido, como demonstrado no resultado pós-operatório, fornecendo um tratamento seguro de acordo com sexo e percentual de músculo envolvido. Adicionalmente, identifica o tecido cicatrizado, tipo de recorrência e a falha no tratamento.

Keywords : Malformações anorretais; Fístula retal; Incontinência fecal; Ultrassom.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )