SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue2Sexual differences of visual attention in cryptogenic partial epilepsyClinical factors adversely affecting early outcome after brain infarction author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivos de Neuro-Psiquiatria

Print version ISSN 0004-282X

Abstract

CARRILHO, P.G. et al. Achados de ressonância magnética e SPECT cerebral em pacientes com epilepsia unilateral do lobo temporal e com TC de crânio normal. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 1994, vol.52, n.2, pp. 149-152. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1994000200003.

Foram estudados 26 pacientes com epilepsia do lobo temporal clinicamente documentada por vários EEGs com atividade epileptiforme intercrítica e TC de crânio normal. SPECT com99mTC HMPAO e ressonância magnética (RM) foram realizados em todos os casos. 61.5% (n=16) das RM e 65.4% (n=17) dos SPECTs revelaram algum tipo de anormalidade. Atrofia hipocampal, nas imagens enfatizadas em Tl e presença de hipersinal nas imagens enfatizadas em T2, sugerindo esclerose mesial temporal, foram o principal achado (n=12; 75% das RM anormais). RM correlacionou-se ao EEG em 50% (n=13). Concordância entre RM e SPECT ocorreu em 30.7% (n=8) e entre SPECTe EEG em 57.7% (n=15). RM, SPECT e EEG foram congruentes em 26.9% (n=7). Estes resultados refletem o valor do SPECT intercrítico e RM na detecção e lateralização de anormalidades em epilepsia do lobo temporal. Por outro lado, em dois casos, o SPECT correlacionou-se mal com o EEG. Este método funcional não deve ser utilizado isoladamente na detecção de focos temporais. RM é mais útil do que a TC como recurso de neuroimagem na epilepsia do lobo temporal. Ela pode detectar pequenas lesões estruturais e esclerose mesial temporal, não facilmente identificáveis pela TC.

Keywords : epilepsia; lobo temporal; TC; RM; EEG; SPECT.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English