SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 issue3BDiscrepancy, coincidence or evidence in chronic idiopathic spastic paraparesis throughout the world: a meta-analysis on 2811 patientsEpilepsy surgery without invasive EEG: early results of a new program author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos de Neuro-Psiquiatria

Print version ISSN 0004-282X

Abstract

BORDINI, Carlos Alberto; ARRUDA, Marco Antônio; CICIARELLI, Marcelo Cedrinho  and  SPECIALI, José Geraldo. Ensaio duplo-cego comparando propranolol, flunarizina e flunarizina associada ao propranolol na profilaxia da migrânea sem aura. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 1997, vol.55, n.3B, pp.536-541. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1997000400003.

Quarenta e cinco pacientes com migrânea sem aura submeteram-se a ensaio paralelo e duplo-cego visando comparar os efeitos de propranolol (PPN), flunarizina (FNZ) e uso associado de propranolol mais flunarizina. Foram divididos em três grupos de 15 indivíduos. Após período preliminar de 20 dias sem a administração de qualquer droga, um grupo recebeu PPN 60 mg/dia, outro grupo FNZ 10 mg/dia, e o terceiro grupo PPN 60 mg/dia associado à FNZ 10 mg/dia. O tempo de tratamento foi 120 dias. O índice de dor no grupo sob PPN passou de 39,3 para 23,4 (p<0,05) no grupo sob FNZ de 33,7 para 18,7 (p<0,05) e no grupo recebendo ambas as drogas de 33,5 para 14,4 (p<0,05). Não houve diferenças entre os índices de dor dos três grupos após o tratamento. A frequência de crises no grupo sob PPN passou de 2,8 para 1,26 (p<0,01) no grupo sob FNZ de 2,6 para 1,2 (p<0,01) e no grupo recebendo ambas as drogas de 2,9 para 1,13 (p<0,01). Não houve diferenças entre as frequências de crises dos três grupos após o tratamento. Foram confirmadas as eficácias dessas drogas na profilaxia da migrânea sem aura. A associação das drogas não logrou benefício ulterior no que concerne à diminuição dos índices de dor ou da frequência de crises. Entretanto, na avaliação global por parte do paciente, os melhores resultados estavam entre os que usaram duas drogas. Nos grupos que usaram FNZ (isolada ou associada ao PPN), as melhoras alcançadas persistiram mesmo após 45 dias da retirada dos fármacos.

Keywords : migrânea; propranolol na migrânea; flunarizina na migrânea; migrânea e politerapia.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License