SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.61 issue2AExpensive cerebral blood flow measurements alone are useless and misinformative in comatose patients: a comprehensive alternative author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivos de Neuro-Psiquiatria

Print version ISSN 0004-282X

Abstract

BIGAL, Marcelo E.; BORDINI, Carlos A.; ANTONIAZZI, Ana L.  and  SPECIALI, José G.. Formulações dos triptanos: avaliacão crítica. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2003, vol.61, n.2A, pp. 313-320. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2003000200032.

Os triptanos, drogas anti-migranosas específicas, revolucionaram o tratamento da migrânea e são considerados as drogas de escolha para o tratamento da crise migranosa. Diferentes triptanos são disponíveis em diferentes formulações, incluindo comprimidos, tabletes de dispersão oral, sprays para administração nasal e injeções subcutâneas. Na Europa, sumatriptan também é disponível como supositório. Diferenças específicas entre os triptanos são evidenciadas por seu diferente perfil farmacológico, incluindo T½, Tmax, Cmax, AUC, metabolismo, perfil de interação entre drogas, entre outros parâmetros. Controvérsias existem sobre se, ou como, essas variáveis traduzem-se em eficácia clínica e tolerabilidade. A distinção clínica entre esses agentes é sutil e a escolha adequada de um triptano requer consideração sobre as características específicas de cada paciente, conhecimento da preferência dos mesmos, obtenção de história acurada sobre a eficácia de medicações previamente utilizadas, assim como consideração sobre as características individuais das diversas drogas. A via posológica parece desempenhar importante papel no modo de ação dos triptanos. A seleção de droga antimigranosa adequada para o tratamento da crise migranosa depende da estratificação do ataque de acordo como a intensidade da dor, tempo para que a máxima intensidade da dor seja atingida, sintomas associados, tempo para que os sintomas associados se manifestem, doenças concomitantes e tratamentos adjuvantes que possam causar interações medicamentosas. O clínico dispõe em seu armamentário uma variedade de medicamentos em constante expansão, em múltiplas formulações e dosagens, seguras e com bom perfil de tolerabilidade. O uso continuado dos triptanos perimitirá familiaridade com essa classe de medicação e possibilitará ao clínico a prescrição de drogas com características específicas para atender as necessidades clínicas de diferentes pacientes, de modo a otimizar o benefício terapêutico.

Keywords : triptanos; migrânea; tratmento agudo.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English