SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.62 número1Infarto cerebral em crianças de zero a quinze anos de idadeContribuição à avaliação dos distúrbios de linguagem em lesões subcorticais: estudo piloto índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos de Neuro-Psiquiatria

versão impressa ISSN 0004-282Xversão On-line ISSN 1678-4227

Resumo

DESLANDES, Andréa et al. Eletroencefalografia quantitativa (EEGq) na discriminação entre demência degenerativa primária e transtorno depressivo maior (depressão). Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2004, vol.62, n.1, pp.44-50. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2004000100008.

A Eletroencefalografia (EEG) pode ser utilizada como uma técnica valiosa na avaliação de mudanças eletrofisiológicas relacionadas à demência. Em pacientes com suspeita de demência, o EEG é em geral bastante informativo. A sensibilidade do EEG em detectar correlatos de desordens psiquiátricas pode ser incrementada através de métodos de análise quantitativa (EEG quantitativo). Padrões quantitativos são extraídos de pelo menos 2 minutos de dados livres de artefatos, em que os sujeitos estão com olhos fechados e em estado de repouso. São aplicados métodos quantitativos, tais como: transformação logarítmica para obtenção de uma distribuição Gaussiana, regressão por faixa etária e o escore Z relativo a normas populacionais preestabelecidas (Neurometrics). Utilizando uma amostra de padrões de EEG quantitativo (EEGq), será implementada uma análise discriminante (forward stepwise) a fim de estabelecer funções classificatórias. Neste contexto, o objetivo principal deste estudo é distinguir perfis de EEGq que diferenciem pacientes com depressão de pacientes com demência (n = 125). Os resultados demonstraram que pacientes acometidos por demência apresentam desvios acima do grupo controle em variáveis associadas a ritmos lentos: Potência Monopolar Relativa Normalizada em Teta para Cz e Potência Bipolar Relativa Normalizada em Teta para Cabeça. Por outro lado, desvios abaixo do grupo controle ocorrem em variáveis associadas ao ritmo alfa: Potência Monopolar Relativa Normalizada em Alfa para P3. Através deste método, a presente investigação demonstrou uma alta acurácia em discriminar pacientes com Demência Degenerativa Primária de pacientes com Transtorno Depressivo Maior.

Palavras-chave : EEGq; neurometrics; doença de Alzheimer; depressão.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons