SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.62 número3AAlterações na distribuição de potência cortical em função da consolidação da memória no aprendizado de datilografiaPrevalência de anticorpos antimicrossomais em pacientes com esclerose múltipla índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos de Neuro-Psiquiatria

versão impressa ISSN 0004-282Xversão On-line ISSN 1678-4227

Resumo

CIRIACO, Jovana G.M. et al. Vertigem postural fóbica: aspectos clínicos e evolutivos. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2004, vol.62, n.3a, pp.669-673. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2004000400019.

A vertigem postural fóbica (VPF), o segundo diagnóstico mais freqüente em ambulatório de distúrbios vestibulares, é síndrome somatoforme caracterizada por desequilíbrio subjetivo e ataques breves de vertigem em situações específicas. Em período de 18 meses, a VPF foi observada em 41 pacientes, de 251 atendidos. Vinte e seis apresentavam VPF primária; em 65% havia distúrbios de ansiedade ou depressão, e 15 pacientes tiveram diagnóstico de VPF secundária. O exame neurológico e a avaliação complementar foram normais na maioria dos casos. Observou-se resposta favorável ao tratamento (antidepressivos, benzodiazepínicos, psicoterapia e/ou orientações) em 62% dos pacientes, sem diferença entre os grupos de VPF primária e VPF secundária. Apesar da alta prevalência, a VPF é subdiagnosticada. Entretanto, seu reconhecimento é importante para o tratamento adequado, evitando recorrência e incapacitação.

Palavras-chave : vertigem postural fóbica; diagnóstico; tratamento.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons