SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.64 número3BTorcicolo paroxístico benigno da infância: diagnóstico e evolução clínica de seis pacientesMicro-hemorragias cerebrais e trombólise endovenosa: relato de caso índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Arquivos de Neuro-Psiquiatria

versão impressa ISSN 0004-282X

Resumo

ZYLBERBERG, Daniela et al. Avaliação plasmática de igf-1 no prolactinoma. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2006, vol.64, n.3b, pp. 849-854. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2006000500026.

Prolactinomas são os tumores hipofisários mais comuns, podendo co-secretar GH (hormônio do crescimento). IGF-1 (fator de crescimento insulina-símile-1) é o principal responsável pelas ações do GH e parâmetro diagnóstico de acromegalia. Objetivando determinar por uma dosagem de IGF-1, na avaliação inicial de pacientes com prolactinoma, ocorrência de tumores mistos [GH e prolactina (PRL)], estudamos 7 homens e 27 mulheres, entre 19 e 72 anos, confrontando-os aos resultados de GH basal e durante teste oral de tolerância à glicose, quando GH basal >0,4 ng/mL ou níveis de IGF-1 alterados. A proporção de pacientes com GH >0,4 ng/mL e IGF-1 elevada foi alta; mas, após administração de 75g de glicose por via oral, nenhum paciente foi diagnosticado como acromegálico. Sugerimos, porém que a dosagem de IGF-1 seja realizada pelo risco de co-secreção de GH nos prolactinomas. Atenção especial para pacientes que apresentem significativa diminuição dos níveis de PRL, sem correspondente regressão do tamanho do adenoma.

Palavras-chave : fator de crescimento insulin-like I; hiperprolactinemia; prolactinoma; acromegalia.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português