SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.65 issue1Factors associated to the positive cerebrospinal fuid culture in the tuberculous meningitisEvent-related potentials (P300) and neuropsychological assessment in boys exhibiting Duchenne muscular dystrophy author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos de Neuro-Psiquiatria

Print version ISSN 0004-282XOn-line version ISSN 1678-4227

Abstract

RODRIGUES, Raimundo Nonato Delgado et al. Evolução dos índices de sonolência e fadiga em pacientes com síndrome da apnéia obstrutiva do sono portadores ou não de associação com síndrome das pernas inquietas após CPAP nasal. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2007, vol.65, n.1, pp.54-58. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2007000100012.

OBJETIVO: A associação síndrome de apnéia obstrutiva do sono / síndrome de pernas inquietas (SAOS-SPI) tem sido mencionada na literatura há muito. Ambas podem ser responsáveis por queixas de fadiga e sonolência secundárias à fragmentação do sono noturno. O objetivo deste estudo é avaliar a evolução dos sintomas de fadiga e sonolência diurna excessiva antes e após o tratamento com pressão aérea positiva contínua (CPAP) em pacientes portadores de SAOS, com e sem SPI. MÉTODO: Estudo prospectivo e comparativo entre um grupo de 13 pacientes com SAOS e um grupo de 17 com SAOS +SPI. Exames laboratoriais e polissonografia (PSG) foram realizados no início do estudo. A escala de sonolência de Epworth (ESE) e o questionário de fadiga/depressão de Pichot (PIC) foram aplicados antes do tratamento com CPAP e 3 meses após. Os resultados foram comparados. RESULTADOS: No início do estudo não foram encontradas diferenças significativas na avaliação laboratorial e PSG. Ambos os grupos apresentavam inicialmente pontuação semelhante na avaliação da ESE e PIC (p=0,73 e 0,08, respectivamente). Após CPAP, os pacientes SAOS+SPI apresentaram maiores ESE e PIC (p=0,017 e 0,03, respectivamente). CONCLUSÃO: Apesar de resposta inicial favorável em ambos os grupos, o CPAP foi aparentemente menos eficaz na redução das queixas de fadiga e sonolência nos pacientes apnéicos com associação a SPI.

Keywords : SAOS; síndrome das pernas inquietas; fadiga; sonolência; escala de sonolência de Epworth; Pichot.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License