SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.65 número3AConhecimento sobre doenças cerebrovasculares em uma população urbana no BrasilToxina botulínica tipo A no tratamento da enxaqueca refratária: um estudo aberto índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos de Neuro-Psiquiatria

versão impressa ISSN 0004-282Xversão On-line ISSN 1678-4227

Resumo

CARDOSO, Eduardo et al. Toxina botulínica proporciona melhora funcional em pacientes com espasticidade secundária a acidente vascular cerebral?. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2007, vol.65, n.3a, pp.592-595. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2007000400008.

Espasticidade secundária a acidente vascular cerebral (AVC) é importante causa de incapacidade em adultos. O prognóstico para estes pacientes depende de vários fatores como tratamento precoce e terapia física adequada, evitando encurtamento muscular, dor e outras conseqüências. Vários estudos têm demonstrado que aplicacões intramusculares de toxina botulínica do tipo A (TxB-A) reduzem a espasticidade após AVC, entretanto poucos autores observaram melhora funcional de membros superiores com esta terapêutica. Para determinar se aplicações individualizadas de TxB-A melhoram a função no membro superior espástico de pacientes com hemiparesia secundária a AVC, acompanhamos 20 pacientes com história de AVC entre 6 meses e 5 anos. A escala de Fulg-Meyer para membros superiores, a medida de independência funcional, a escala modificada de Ashworth e goniometria foram aplicadas no início da investigação, na 16ª e 32ª semanas. TxB-A foi aplicada no início do estudo e na 16ª semana e todos os participantes foram tratados adicionalmente com fisioterapia. Observamos melhora na escala de Ashworth e aumento na amplitude de movimento em todos os pacientes até a 32ª semana (p<0.05). A análise dos 3 primeiros parâmetros da escala de Fulg-Meyer e a parte motora da MIF mostraram melhora estatisticamente significante até o final do estudo. Concluímos que a escolha adequada dos músculos e doses individualizadas de TxB-A melhoram a função em pacientes com espasticidade pós-AVC

Palavras-chave : toxina botulínica; espasticidade; acidente vascular cerebral; reabilitação.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons