SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.65 número4AAnálise de associação entre um polimorfismo VNTR no intron 8 do gene do transportador de dopamina (SLC6A3) e transtorno obsessivo-compulsivo em uma amostra brasileira índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Arquivos de Neuro-Psiquiatria

versão impressa ISSN 0004-282X

Resumo

FIGUEIRA, Fernando Faria Andrade; SANTOS, Valeria Silva dos; FIGUEIRA, Gustavo Medeiros Andrade  e  SILVA, Ângela Correa Marques da. Índice de corpo caloso: um instrumento prático para o seguimento a longo prazo de pacientes com esclerose múltipla. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2007, vol.65, n.4a, pp. 931-935. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2007000600001.

Mais do que inflamação aguda, a perda celular e conseqüente atrofia cerebral são os fatos patofisiológicos mais marcantes na fase progressiva da esclerose múltipla (EM). No entanto, correlatos clínicos e de imagem por ressonância magnética (IRM) destes eventos, requerem sofisticada tecnologia, nem sempre prática e quase nunca acessível à maioria dos centros de tratamento. Deste modo, considerando a hipótese de que esta perda celular compromete fibras associativas que compõem o corpo caloso (CC), estrutura facilmente acessível à IRM convencional, nosso grupo elaborou um estudo prospectivo aberto, atualmente com 5 anos de duração, e envolvendo 128 pacientes consecutivos, todos em acompanhamento regular em nosso centro de tratamento para a EM. A aquisição do índice de CC se deu através de um "melhor" corte meio-sagital em estudo convencional de imagem ponderada por T1, utilizando um sistema linear ortogonal semi-automatizado. Este índice foi obtido no início do seguimento e sua evolução foi acompanhada anualmente. A partir do terceiro ano deste seguimento, sua diferença entre os pacientes com a forma surto-remissiva e aqueles com a forma secundariamente progressiva alcançou significância estatística. Esta diferença não mostrou correlação com o grau de incapacidade medido pelo EDSS. Assim, um índice de CC mostrou-se uma medida prática para o seguimento de alterações morfométricas do corpo caloso, provando assim potencial para ser utilizado no acompanhamento em longo prazo de pacientes com EM, em especial aqueles com a forma progressiva.

Palavras-chave : esclerose múltipla; IRM; corpo caloso.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês