SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.65 issue4BAwareness, attitudes and perceptions on epilepsy in Southern BrazilHeadache and systemic lupus erythematosus: prevalence and associated conditions author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivos de Neuro-Psiquiatria

Print version ISSN 0004-282X

Abstract

LOPES, Manuel Alvim Leite et al. Testes de triagem não são suficientes para diagnosticar heminegligência. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2007, vol.65, n.4b, pp. 1192-1195. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2007000700019.

OBJETIVO: Verificar a sensibilidade dos subtestes convencionais da Behavioral Inattention Test (BIT) no diagnóstico da heminegligência após o acidente vascular cerebral (AVC). MÉTODO: Foram avaliados prospectivamente 102 pacientes com AVC. Em 22 casos heminegligência foi diagnosticada através do BIT. A freqüência de diagnóstico correto utilizando os 6 subtestes específicos desta bateria foi analisada. RESULTADOS: 10 pacientes não seriam diagnosticados como heminegligentes se fossem avaliados apenas com o " line crossing" , 2 se o teste de triagem escolhido fosse o " letter cancellation" , e 4 se utilizássemos apenas o " line bisection" . Além disso, 3 pacientes não teriam recebido o diagnóstico correto mesmo utilizando dois testes usuais de triagem - " line crossing" e " line bisection" . CONCLUSÃO: O uso de testes isolados de triagem pode falhar em diagnosticar heminegligência após o AVC. O uso de uma bateria formal de avaliação é necessário para identificar indivíduos com diferentes tipos de heminegligência.

Keywords : transtornos da percepção; heminegligência; acidente cerebrovascular; diagnóstico.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English