SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.68 número2Mutação homozigótica intrônica no gene GAA em três irmãos com doença de Pompe de início tardioPrejuízo de memória operacional em pacientes com esclerose múltipla recorrente-remitente com déficits de memória episódica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos de Neuro-Psiquiatria

versão impressa ISSN 0004-282X

Resumo

PAVAN, Karina; TILBERY, Charles Peter; LIANZA, Sergio  e  MARANGONI, Bruna Eriko Matsuda. Validação do teste de marcha "Six Step Spot Test" em pacientes com esclerose múltipla no Brasil. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2010, vol.68, n.2, pp.198-204. ISSN 0004-282X.  https://doi.org/10.1590/S0004-282X2010000200009.

As manifestações clínicas da esclerose múltipla (EM) são variáveis e o curso da doença não é linear, caracterizado por sintomas, acúmulo progressivo de incapacidades. Estas variações são difíceis de quantificar na prática clínica, motivo pelo qual surgiram diversos estudos para criação de instrumentos capazes de mensurar essas incapacidades. O Six Step Spot Test (SSST) foi desenvolvido para avaliar função dos membros inferiores (MMII) de forma quantitativa, mensurado no domínio tempo, avaliando a complexa função sensório-motora, como força em MMII, espasticidade, coordenação e equilíbrio, além da visão e cognição. Este estudo teve como objetivo validar o SSST para pacientes com EM no Brasil. Estudo prospectivo do qual participaram 75 pacientes com EM e EDSS de 0 a 6,5 no grupo de estudo e 91 indivíduos saudáveis no controle que foram selecionados aleatoriamente. Segundo os dados estatísticos deste estudo, o SSST é válido, confiável e reprodutível para pacientes com EM no Brasil.

Palavras-chave : marcha; esclerose múltipla; avaliação da deficiência; estudos de validação; reprodutibilidade dos testes.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons