SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.68 número6Estimulação elétrica do córtex motor no tratamento da dor neuropáticaParalisia supranuclear progressiva: conceitos atuais índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Arquivos de Neuro-Psiquiatria

versão impressa ISSN 0004-282X

Resumo

BORDINI, Ana Luisa et al. Escalas de coma: uma revisão histórica. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2010, vol.68, n.6, pp. 930-937. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2010000600019.

OBJETIVO: Apresentar as escalas de coma de maior relevância desenvolvidas nos últimos cinqüenta anos. MÉTODO: Foi realizado levantamento bibliográfico nos bancos de dados Medline e Scielo compreendendo o período de 1969 a 2009 de acordo com as palavras-chave: coma scales, coma, disorders of consciousness, coma score, levels of coma. RESULTADOS: Foram encontradas cinco escalas principais, em ordem cronológica: Escala de coma de Jouvet, Escala de coma de Moscou, Escala de coma de Glasgow (GCS), Escala de Bozza-Marrubini e Escala FOUR (Full Outline UnResponsiveness), além de outras com menor repercussão e raramente usadas fora do seu país de origem. DISCUSSÃO: Das cinco escalas principais, a GCS é, de longe, a mais usada. É de fácil aplicabilidade e bastante adequada para situações de trauma crânio encefálico (TCE), porém, apresenta falhas, como a impossibilidade de se testar o componente verbal em pacientes intubados, entre outras. A escala de Jouvet é bastante sensível, especialmente para níveis de consciência mais próximos do normal, no entanto, é de difícil execução. A escala de Moscou apresenta um bom valor preditivo, porém, é pouco usada pela comunidade médica. A escala FOUR é de fácil aplicação e fornece mais detalhes neurológicos se comparada à GCS.

Palavras-chave : coma; escalas; consciência; revisão.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês