SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.70 issue7Management of desmoid-type fibromatosis involving peripheral nervesClinical complications in patients with severe cervical spinal trauma: a ten-year prospective study author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivos de Neuro-Psiquiatria

Print version ISSN 0004-282X

Abstract

VANZIN, José Ricardo; ABUD, Daniel Giansante; REZENDE, Marco Tulio Salles  and  MORET, Jacques. Quantidade de molas necessárias para o tratamento endovascular dos aneurismas cerebrais de acordo com seu tamanho: estudo baseado em uma série de 952 aneurismas embolizados. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2012, vol.70, n.7, pp. 520-523. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2012000700009.

OBJETIVO: O sistema público brasileiro determina uma quantidade limitada de molas permitida para o tratamento endovascular dos aneurismas cerebrais. O objetivo deste trabalho foi determinar a quantidade de molas necessária para tratar um aneurisma usando tamanho como referência. MÉTODO: Foram revisados todos os pacientes com aneurismas embolizados entre 1999 e 2003. RESULTADOS: No total, 952 aneurismas foram analisados. O diâmetro médio foi de 8,2 mm, com 7,9 molas usadas por aneurisma. Do total, 462 aneurismas eram pequenos, com tamanho médio de 4,8 mm e 4,6 molas/aneurisma. Foram tratados 315 aneurismas médios, com tamanho médio de 8,6 mm e 8,2 molas/aneurisma. Dentre os 135 aneurismas grandes, o tamanho foi de 17 mm, com 16,1 molas/aneurisma. Foram tratados 40 aneurismas gigantes, com média de 32 mm e 28,7 molas/aneurisma. CONCLUSÃO: Propomos que se utilize o tamanho do aneurisma como referência para prever o número de molas necessário para embolização: uma mola para cada milímetro de tamanho do saco aneurismático.

Keywords : aneurisma intracraniano; tratamento endovascular; molas.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English