SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.70 issue9Clinical and neuropsychological correlation in patients with rolandic epilepsyNeurological complications following bariatric surgery author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • On index processCited by Google
  • Have no similar articlesSimilars in SciELO
  • On index processSimilars in Google

Share


Arquivos de Neuro-Psiquiatria

Print version ISSN 0004-282X

Abstract

SAINJU, Rup Kamal; WOLF, Bethany Jacobs; BONILHA, Leonardo  and  MARTZ, Gabriel. Relação entre o número de crises epilépticas registradas em vídeo-EEG e o resultado cirúrgico na epilepsia refratária do lobo temporal. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2012, vol.70, n.9, pp. 694-699. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2012000900009.

INTRODUÇÃO: O planejamento cirúrgico para epilepsia refratária do lobo medial temporal (rMTLE) depende da localização da região de origem das convulsões por meio do eletroencefalografia (EEG) ictal. Múltiplos fatores podem influenciar o número de crises registradas. Neste artigo, avaliamos se a obtenção de liberdade de crises epilépticas no pós-operatório se relaciona com o número de crises epilépticas registradas durante a avaliação pré-operatória e os fatores que afetam tal resultado. MÉTODOS: Foram coletados dados de 32 pacientes com rMTLE que foram submetidos à lobectomia temporal anterior. A análise principal avaliou o número de convulsões captadas como fator preditivo do resultado cirúrgico, e as análises subsequentes exploraram outros fatores que podem ter afetado o resultado cirúrgico. RESULTADOS: O número de convulsões registradas não mostrou valor preditivo para resultados livres de crises. Foi registrado maior número de convulsões quando houve: maior número de dias em que ocorreram crises (p<0,001); salvas de convulsões (p<0,011); e localização subótima da origem das crises (PLSz) (p=0,004). O modelo de regressão mostrou tendência para os indivíduos com um menor número de crises pobremente localizadas terem um melhor desfecho cirúrgico (p=0,052). CONCLUSÕES: O número total de crises registrado não afeta o desfecho cirúrgico, que possivelmente é influenciado por múltiplos fatores. Pacientes com mais PLSz têm maior possibilidade de pior resultado cirúrgico.

Keywords : epilepsia; lobo temporal; cirurgia de epilepsia; eletroencefalografia.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English