SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número69Sobre a vida multiespécieBotos bons, peixes e pescadores: sobre a pesca conjunta em Laguna (Santa Catarina, Brasil) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista do Instituto de Estudos Brasileiros

versão impressa ISSN 0020-3874versão On-line ISSN 2316-901X

Resumo

GARCIA, Uirá. Macacos também choram, ou esboço para um conceito ameríndio de espécie. Rev. Inst. Estud. Bras. [online]. 2018, n.69, pp.179-204. ISSN 2316-901X.  http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-901x.v0i69p179-204.

Este artigo discute parte das práticas de conhecimento relativas aos animais e à caça de macacos entre os Guajá, considerando o processo de destruição de seus territórios. O artigo explicita conexões feitas e refeitas continuamente, em um regime que relaciona humanos e animais, sem, no entanto, recorrer à ideia de que caça e criação seriam formas complementares de relação com os animais. Sugiro que as maneiras como humanos e bugios vivem juntos talvez encontre aqui outra forma de pensar a própria ideia de “espécie”. O desafio a mais do artigo está em refletir, a partir dessa “noção indígena de espécie”, como poderíamos pensar outros fenômenos, por exemplo, o surto de febre amarela experimentado no Sudeste brasileiro no ano de 2017.

Palavras-chave : Macacos; caça; espécie; febre amarela; Guajá..

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )