SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.77 issue2Idiopathic hypercalciuria: presentation of 471 casesPositive skin test and age author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

MACHADO, Claudia Saad Magalhães et al. O perfil da antiestreptolisina O no diagnóstico da febre reumática aguda. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2001, vol.77, n.2, pp. 105-111. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572001000200010.

OBJETIVO: estabelecer o perfil dos títulos de ASO, mediante o diagnóstico diferencial da FRA com outras afecções que também cursam com níveis elevados de ASO. MÉTODOS: foram estudados 78 casos de FRA na apresentação e seguimento, 22 de coréia isolada, 45 de infecções orofaringeanas recorrentes (IOR) e 23 de artrites idiopáticas juvenis (AIJ), com início ou reativação recente. A determinação seqüencial de ASO (UI/ml) foi realizada por ensaio nefelométrico automatizado (Behring®-Germany) nos períodos de 0-7 dias, 1-2 semanas, 2-4 semanas, 1-2 meses, 2-4 meses, 4-6 meses, 6-12 meses, 1-2 anos, 2-3 anos, 3-4 anos e 4-5 anos após o diagnóstico. RESULTADOS: os títulos de ASO na fase aguda da FRA apresentaram elevação significante até o intervalo de 2- 4 meses (p < 0,0001), quando atingiram os níveis basais e permaneceram estáveis por 5 anos na vigência de profilaxia secundária com penicilina. Os valores de ASO na apresentação da FRA também foram mais elevados e com diferença significante quando comparados aos de coréia isolada, IOR e AIJ (p = 0,0025). As variações etárias e o limite superior da normalidade (320 UI/ml) foram considerados para a comparação entre estes grupos, assim como para o cálculo da sensibilidade (73,3%) e da especificidade (57,6%) mediante o diagnóstico clínico de FRA. A especificidade e valor preditivo positivo do teste aumentaram com títulos crescentes, sendo mais alta com títulos > 960 UI/ml. CONCLUSÃO: esta reavaliação do perfil da ASO indicou uma resposta exuberante na fase aguda da febre reumática indicou ainda que os seus níveis séricos podem diferenciá-la de outras afecções que também cursam com níveis elevados de ASO, como as infecções orofaringeanas recorrentes ou as artrites idiopáticas juvenis em atividade.

Keywords : artrite; febre reumática; antiestreptolisina; coréia.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese