SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.77 issue3Prevalence of asthama in schoolchildrenSerum immunoglobulins in children perinatally exposed to human immunodeficiency virus author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

ROMANELLI, Roberta M.C. et al. Diagnóstico das meningites através de fitas reagentes. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2001, vol.77, n.3, pp. 203-208. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572001000300011.

OBJETIVO: determinar a utilidade de fitas reagentes para a avaliação liquórica de pleocitose, glicorraquia e proteinorraquia no diagnóstico precoce e rápido de meningites em crianças. MÉTODOS: Foram incluídas no estudo amostras de líquor provenientes de 164 crianças admitidas no ambulatório de doenças infecto-contagiosas do Centro Geral de Pediatria (CGP-FHEMIG), com suspeita clínica de meningite, no período diurno de Maio/97 à Maio/99. A faixa etária dos pacientes variou de um mês a 12 anos (mediana de 12 meses), sendo obtidos resultados da citobioquímica liquórica (celularidade, glicorraquia e proteinorraquia) de 154 desses pacientes. Esses achados foram comparados com reações do líquor em fitas reagentes. RESULTADOS: Através da citobioquímica líquórica foram identificados 43 casos de provável meningite bacteriana, 19 provavelmente viróticas e 83 amostras sem alterações. Pelas fitas reagentes, detectaram-se 41 casos de provável meningite bacteriana, dois casos de infecção meníngea provavelmente virótica, e em 71 exames não se verificaram alterações. Comparando os resultados obtidos por meio das fitas reagentes com a citobioquímica convencional, observou-se sensibilidade, especificidade, valores preditivos positivo e negativo e acurácia (90,7; 98,1; 95,1; 96,4; 96,1%, respectivamente). Ademais, a análise estatística pelo teste de Mc Nemar não evidenciou discordância significativa no diagnóstico de meningite bacteriana obtido através de ambos os métodos (p=0,68) e, pela estatística Kappa, verificou-se elevado grau de concordância entre os testes (p<0,0001). CONCLUSÕES: Os resultados sugerem que o emprego de fitas reagentes pode se tornar recurso auxiliar útil para o diagnóstico de meningites bacterianas, principalmente em casos de dificuldades para a obtenção de volume suficiente do líquor e/ou para direcionar a terapêutica inicial.

Keywords : fitas reagentes; meningite bacteriana; líquido cerebroespinhal.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese