SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.77 issue5Study of mechanisms and factors related to sexual abuse in female children and adolescentsRecessive type of Freeman-Sheldon syndrome: report of two affected siblings author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

FRAGA, José C.; SCHOPF, Luciano; VOLKER, Vanessa  and  CANANI, Simone. Supraglotoplastia endoscópica em crianças com laringomalacia grave com e sem doença neurológica associada. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2001, vol.77, n.5, pp. 420-424. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572001000500014.

OBJETIVOS: descrever as indicações e resultados da supraglotoplastia endoscópica em crianças com e sem lesão neurológica que apresentavam laringomalacia grave. MÉTODOS: estudo retrospectivo de 8 crianças com laringomalacia grave submetidas à supraglotoplastia endoscópica com material de microcirurgia. Quatro crianças tinham paralisia cerebral (todas masculinas, idade média 6 anos) e 4 eram crianças sem doença neurológica (3 femininas, idade média de 11,5 meses). As indicações da cirurgia foram dificuldade respiratória em repouso e/ou esforço, dificuldade de deglutição, deficiência de crescimento e baixa saturação transcutânea de oxigênio. Estudo polissonográfico realizado nas últimas duas crianças mostrou dessaturação na oximetria, apnéia e hipoventilação durante o sono. As crianças receberam corticóide e antibiótico no pré-operatório. RESULTADOS: todas as crianças sem doença neurológica apresentaram melhora significativa do estridor e da obstrução ventilatória. Das crianças com paralisia cerebral, uma necessitou traqueostomia logo após a cirurgia por edema e tecido de granulação supraglótico. As outras três apresentaram melhora clínica inicial, mas pioraram progressivamente, apesar da realização de outros procedimentos: uma necessitou nova supraglotoplastia após 6 meses; outra necessitou traqueostomia após 7 meses. Aquelas sem traqueostomia persistem com obstrução ventilatória grave. Não foi observada complicação do procedimento cirúrgico. CONCLUSÕES: 1) a supraglotoplastia é bem tolerada e sem complicações na criança; 2) a supraglotoplastia, neste estudo, mostrou-se eficaz no tratamento da laringomalacia grave em crianças sem paralisia cerebral; entretanto, a supraglotoplastia não melhorou a obstrução ventilatória de crianças com paralisia cerebral e laringomalacia grave.

Keywords : laringomalacia; supraglotoplastia endoscópica.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese