SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.78 issue4Autoimmune hepatitis in children and adolescents: clinical study, diagnosis and therapeutic responseAnemia in infancy: etiology and prevalence author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

VIANNA, Gisele M.C.  and  GONCALVES, Arthur L.. Comparação entre dois métodos de suplementação de ferro para a prevenção da anemia ferropriva no primeiro ano de vida em crianças nascidas prematuras. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2002, vol.78, n.4, pp. 315-320. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572002000400011.

Objetivo: comparar dois métodos de suplementação de ferro (fórmula fortificada versus gotas de sulfato ferroso) para prevenir a anemia por carência de ferro em prematuros. Métodos: foram incluídos sessenta e seis lactentes, nascidos com até 36 semanas de gestação e peso de 1.000g até 2.000g. Quarenta crianças completaram o seguimento previsto, do 2º ao 12º mês de vida, divididas em dois grupos - grupo A: 20 lactentes que receberam fórmula fortificada, com 11mg Fe/litro; e grupo B: 20 lactentes alimentados com leite de vaca em pó integral, suplementado com sulfato ferroso em gotas (2mg Fe/kg/dia). Foi coletado sangue aos dois e 12 meses de idade (2ml) para dosagens de hemoglobina, hematócrito, ferro sérico, TIBC, ferritina sérica e protoporfirina eritrocitária livre; e aos seis meses (1 ml), para hemoglobina e hematócrito. Para análise estatística, usou-se o teste "t" de Student e o do "qui-quadrado" (c2), com p < 0,05. Resultados: não houve diferenças significativas entre os grupos em relação ao peso aos dois, seis e 12 meses de idade, nem quanto ao ganho ponderal global. Aos dois meses, os níveis de hemoglobina, hematócrito, ferro sérico e saturação de TIBC não diferiam significativamente entre os dois grupos, mas aos 12 meses o grupo que recebeu a fórmula fortificada apresentou níveis significativamente superiores desses indicadores (p < 0,05), o que já tinha sido observado aos seis meses em relação ao hematócrito e hemoglobina. A protoporfirina eritrocitária livre permaneceu estável nas crianças que receberam a fórmula, tendo aumentado do 2º para o 12º mês no grupo B (p < 0,05). Os níveis de ferritina de ambos os grupos eram normais aos dois meses e diminuíram acentuadamente aos 12 meses, mas apenas quatro (20%) crianças do grupo A apresentaram níveis £ 10ng/ml, contra doze (60%) do grupo B (p < 0,02). Conclusão: a fórmula fortificada com ferro mostrou-se mais eficaz para prevenir a carência de ferro e a anemia tardia da prematuridade, comparada à administração diária de ferro em gotas.

Keywords : prematuro; deficiência de ferro; anemia; prevenção e controle.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese