SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.79 issue1Decrease of the occurrence of pneumothorax in newborns with respiratory distress syndrome through reduction of ventilatory parametersXYY male with total anomalous pulmonary venous return and short stature author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557

Abstract

SANTOS, Luis R. Longo dos et al. Fatores prognósticos e sobrevida em recém-nascidos com hérnia diafragmática congênita. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2003, vol.79, n.1, pp. 81-86. ISSN 0021-7557.  http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572003000100014.

Objetivo:analisar a importância de fatores prognósticos para sobrevida, no período neonatal, de pacientes com hérnia diafragmática congênita (HDC) tratados no Hospital das Clínicas da FMUSP e comparar os resultados com os da literatura. Com isso, permitir a atualização do aconselhamento familiar e orientar mudanças de conduta em nosso serviço. Método: estudo retrospectivo de 27 casos consecutivos de recém-nascidos com HDC, admitidos no serviço de cirurgia pediátrica do Instituto da Criança do HCFMUSP entre abril de 1991 e janeiro de 2002, e comparação estatística com dados de meta-análise da literatura. Resultados: dos 27 pacientes, 12 nasceram na instituição, e 15 foram transferidos após o nascimento. Doze (44%) tiveram diagnóstico pré-natal, e 85% (23/27) eram nascidos de termo. A maioria apresentou desconforto respiratório precoce e necessitou intubação em sala de parto. Seis crianças (22%) reuniam critérios para indicação de ECMO. Vinte pacientes (74%) foram submetidos à correção cirúrgica, e sete (26%) evoluíram a óbito sem conseguir estabilização clínica mínima para a cirurgia (cinco destes apresentavam critérios para indicação de ECMO). A mortalidade pós-operatória foi de 25% (5/20). A sobrevida global no período neonatal foi de 56% (15/27). A sobrevida dos nascidos em nosso hospital foi de 33% (4/12), e dos casos externos foi de 73% (11/15). Desconforto respiratório grave, indicação precoce de ventilação mecânica e hipoxemia grave (pO2 pós-ductal < 100mmHg apesar de terapêutica máxima) foram fatores de mau prognóstico, estatisticamente significativos. Conclusão: nossa elevada mortalidade de recém-nascidos com HDC é estatisticamente semelhante à descrita na literatura internacional. No grupo de pacientes não responsivos ao tratamento padrão disponível, a utilização de ECMO poderia reduzir a mortalidade. A repercussão desta estratégia terapêutica na sobrevida global depende de outros fatores não analisados neste estudo. O aconselhamento dos familiares de pacientes com HDC, em nosso serviço, pode seguir o mesmo padrão do referido na literatura mundial.

Keywords : hérnia diafragmática congênita; ECMO; insuficiência respiratória no recém-nascido.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese